A Blu apresentou dois modelos na Eletrolar Show que ocorreu em São Paulo. O primeiro deles é o smartphone Amour D290i. Ele tem como objetivo atingir o público feminino que quer um modelo elegante e com um design exclusivo.

Com slogans como “o smartphone mais atraente e luxuoso” e “sofisticação no seu melhor”, o modelo apresenta configurações singelas. A tela de 4 polegadas é touch, além do processador Dual-Core MediaTek de 1.0 GHz, 512 MB de memória RAM e capacidade interna de 4 GB expansível com microSD até 32 GB.

O acabamento do modelo lembra uma bolsa de grife e ele ainda possui um botão feito de zircônia, um cristal brilhante que dá mais luxo ao aparelho. Ainda há duas câmeras no Amour D290i: a  traseira de 5 MP e a frontal VGA.

Quem deseja configurações melhores, a Blu apresenta a linha Life Play, que apresenta um design descolado e variedades de cores. O processador é um Quad-Core MediaTek de 1.2 GHz, 1 GB de RAM e 4 GB de capacidade de armazenamento. A câmera traseira é uma HD de 8 MP e a secundária de 2 MP.

Blu Amour D290i
Blu Amour D290i
Blu Life Play
Blu Life Play
Por Robson Quirino de Moraes


O crescimento da Samsung é impressionante em todo o mundo e atendendo a este aumento nas vendas a empresa informou neste último dia 07 de dezembro de 2012 a abertura de mais quatro lojas da marca no Brasil.

Segundo Paula Costa, diretora de Marketing e Telecomunicações da Samsung Brasil, a primeira loja será inaugurada na cidade de São Paulo no dia 11 de dezembro de 2012. Ainda de acordo com a empresa, as outras três unidades serão abertas até o final de dezembro de 2012.

Além disso, será aberta no Rio de Janeiro a Galaxy Studio, que não vende produtos, mas permite o manuseio de diversos itens oferecidos pela Samsung possibilitando, assim, o treinamento dos novos proprietários de um aparelho da marca.

Por Ana Camila Neves Morais


A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) publicou no dia 27 de janeiro um aviso que comunica a inclusão do nono dígito nos números de celulares da área 11, ou seja, a capital e os municípios da região metropolitana de São Paulo. A medida, que passará a valer a partir de 29 julho desse ano, tem como objetivo ampliar os recursos de numeração.

O dígito 9 será acrescido no começo dos números atuais fazendo com que o novo formato dos números seja 9xxxx-xxxx.

O nono dígito deve ser acrescentado no momento da discagem para números de São Paulo, independente do local de origem da ligação. As ligações que forem feitas a partir de 29 de julho sem o nono dígito serão completadas por tempo determinado, até que todos os usuários se acostumem com a nova medida e não esqueçam mais o novo dígito.

De acordo com a Anatel "gradualmente haverá interceptações e os usuários receberão mensagens com orientações sobre a nova forma de discagem" e o prazo será de 90 dias a partir da data de implementação do nono dígito,  vencendo esse prazo, as ligações que não forem feitas corretamente não serão mais completadas.

A decisão, tomada em reunião realizada em dezembro de 2011, chegou a cogitar um novo código de área para São Paulo, como DDD 010, mas acabaram decidindo pela adição do nono dígito.

Por Bruna Franca


A quantidade de aparelhos móveis no país superou o número de habitantes no final de 2010. Os profissionais do setor batalham para manter o crescimento vertiginoso por meio de medidas que não causem colapso no sistema e que permitam a continuidade de aumento dos números disponíveis.

A partir do dia 4 de abril, as operadoras de telefonia móvel instaladas na região metropolitana de São Paulo poderão vender novas linhas com prefixos principiados por 5. Essa determinação adiciona outros 6,9 milhões de números à área 11 (SP), ampliando a capacidade para 43,9 milhões.

O início de números com o dígito 5 é utilizada, atualmente, pela telefonia fixa. A deliberação, portanto, obrigará as operadoras a compartilharem o número com os telefones móveis. Para tanto, quando o cidadão for realizar uma chamada para um aparelho móvel da série 5XXX-XXXX as operadoras deverão informar através da mensagem "chamada para celular".

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Anatel


O crescimento do setor de telecomunicações tem posicionado bem o Brasil no mundo, constatação que reflete tanto o otimismo dos brasileiros em adquirir aparelhos como, também, o quão o segmento melhorou a oferta de serviços ao longo dos últimos anos. José Serra (PSDB), candidato derrotado no 2º turno das eleições presidenciais, alega ter sido a privatização da Telesp o grande motivador da atual conjuntura.

Na cidade de São Paulo a quantidade de celulares cresce a cada minuto. Devido a isso e ratificando deliberações adotadas recentemente, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) publicou no Diário Oficial da União, no dia 15 de dezembro, a Resolução 553, no intuito de permitir o incremento de um nono dígito nos números de celular.

A Band Online assinala que as operadoras terão exatamente dois anos para acatar a medida. Nesse prazo, a agência segue iniciativas temporárias, tais como usabilidade de numeração peculiar para os modems da geração 3G e adoção de sistemas de alocação dinâmica de numeração, entre algumas outras.

A partir da resolução e das adequações, a cidade de São Paulo angariará 370 milhões de novas possibilidades de números de celulares. A Anatel ressalta que a iniciativa foi levada adiante devido à facilidade de absorção pela população com o intento, algo que já aconteceu décadas antes, quando houve aumento de seis para sete dígitos e de sete para oito dígitos algum tempo depois.

Por Luiz Felipe T. Erdei


A quantidade de aparelhos celulares no Brasil ultrapassou o número de habitantes em novembro deste ano. Essa constatação e alcance, anunciados há meses devido à tendência diária, fizeram o Brasil ser considerado como um dos mais promissores mercados em todo o mundo.

Em virtude desse fato, chegou-se à conclusão da necessidade de expandir, ou a quantidade de dígitos no número telefônico ou, então, a instituição de um novo código (prefixo 10) para os celulares em São Paulo. Na última quinta-feira, 25 de novembro, o debate em torno desse estabelecimento estava previsto, porém Ronaldo Sardenberg, presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), decidiu delongar um pouco a temática.

Artigo veiculado pelo portal de Economia UOL assinala que Sardenberg prevê a retomada do assunto nos próximos encontros do Conselho Diretor.

Por Luiz Felipe T. Erdei





CONTINUE NAVEGANDO: