Modelo contará com 2 versões, o Gear S2 e o Gear S2 Classic.

Novidade para os amantes da tecnologia, a Samsung apresentou nesta semana o relógio inteligente Gear S2.

O lançamento contará com duas versões, o Gear S2 que possui pulseiras com design mais moderno nas cores preta ou prata e o Gear S2 Classic, que como o nome já diz, remete a um modelo mais clássico e acompanha pulseira de couro preta, as 2 versões possuem designs circulares e são feitas de aço inoxidável resistente que garantem elegância e flexibilidade para diversas ocasiões.

Quem estava apostando que o Gear S2 contaria com o sistema Android se enganou, o sistema operacional presente no relógio inteligente é o Tizen, que foi criado pela Linux em parceria com a Samsung e, portanto, há rumores de que o aparelho será compatível apenas com dispositivos da Samsung.

Dentre os recursos que estarão presentes, encontram-se o reconhecimento de voz, a possibilidade de checar e-mails, notificações e também enviar mensagens, espera-se que o dispositivo contenha aplicativos de fitness e controle de saúde, mas apesar de quase certa, a informação não foi confirmada.

A tela do relógio inteligente Gear S2 tem 1,2 polegada e contará com a resolução de 360×360. Além de ser a prova d’agua, o relógio tem um processador de 1GHz de 2 núcleos e bateria que garantem o uso de 2 a 3 dias.

A Samsung anunciou que o dispositivo funciona como ferramenta de pagamento móvel.

Dennis Miloseski, vice-presidente de design da Samsung America, postou recentemente uma foto no Instagram usando o Gear S2 e arrancou muitos comentários positivos do público que aprovaram o design e acharam a versão moderna e superior à anterior.

Não foram divulgadas informações de quando o produto chegará ao Brasil e nem de qual será seu valor, o jeito é aguardar e torcer para que o novo relógio inteligente Gear S2 chegue ao Brasil o quanto antes e com preço acessível para os brasileiros.

Por Beatriz Duarte

Samsung Gear S2

Samsung Gear S2

Fotos: Divulgação


Relógio inteligente poderá custar entre R$ 1.799,00 e R$ 98 mil no Brasil.

No dia 10 de abril deste ano o Apple Watch, um relógio inteligente, teve sua pré-venda e, o estoque acabou em pouco tempo após ele ter sido oferecido no site da Apple.

O Apple Watch é um relógio diferenciado de todos que você já viu. Ele é prático e, por ficar no pulso, é possível acrescentar um componente físico às notificações e alertas. Também possui um app específico para sua saúde, mostrando a evolução e, ainda, motiva a realizar mais exercícios.

Segundo informações da MacMagazine, aqui no Brasil a data estimada de lançamento é julho, porém, ainda não há uma data específica. O que se imagina é que acontecerá em alguma sexta-feira do mês, já que a Apple tem tradição em lançar qualquer produto nos finais de semana.

O gadget deverá custar entre R$ 1.799,00 e R$ 98 mil e, de acordo com uma tabela feita pelo site TecMundo, o cálculo feito para chegar a esse valor levou em conta alguns impostos, como 8,875% do imposto de Nova York, mais 6,38% de IOF e, ainda, a cotação do dólar, que está em R$ 3,06. Por isso, quem se interessar pelo aparelho, deverá preparar o bolso para desembolsar o dinheiro necessário.

Apple:

A Apple é uma multinacional americana com sede em Cupertino, na Califórnia, Estados Unidos. Fundada no dia 1º de abril de 1976, teve como mentores Steve Jobs e Steve Wozniak e, durante 30 anos foi chamada de Apple Computer, Inc.

Dentre os produtos mais conhecidos da empresa estão iPod, Macintosh, iLife, iWork, Aperture, Final Cut Studio, iPhone, iPad e, agora o mais recente Apple Watch. O sistema operacional desenvolvido pela Apple é o iOS, Mac OS X, iTunes, e também o navegador Safari.

Em 2010 a multinacional operava em dez países e 301 lojas de varejo, além de ter uma loja online que vende os produtos criados pela mesma. Já em 2011 passou a ser considerada uma das maiores do mundo e a mais valiosa do planeta.

Por Andréa Corneli Ortis

Apple Watch

Apple Watch

Fotos: Divulgação


A Apple está organizando um evento para o dia 9 de março deste ano, no qual acredita-se que será apresentado seu mais novo gadget, o Apple Watch. Diversas pistas foram deixadas pela empresa, que não anunciou oficialmente do que se tratará o evento em um convite feito aos jornalistas, mas ela destacou bem o termo “horário”.

No convite, a empresa utilizou o termo “Spring foward”, que é parte da expressão “Spring foward, Fall back” (Adiante na Primavera, atrase no Outono), que faz menção ao horário de Verão dos Estados Unidos, que entrará em vigor no dia 8 de março, apenas um dia antes do evento.

De acordo com o CEO da empresa, Tim Cook, em um pronunciamento em janeiro deste ano, a produção do relógio inteligente estava sendo feita na velocidade desejada e que possivelmente em abril começaria a ser vendido.

O possível evento de lançamento acontecendo em março nos deixa duas opções: ou a Apple adiantará as vendas do produto em um mês por alguma estratégia de marketing ou então o evento trará todas as informações do produto, inclusive afirmando oficialmente que o Watch começará a ser vendido em abril.

O lançamento está sendo esperado com muita expectativa pelos consumidores, já que a marca não é conhecida por decepcionar quem utiliza suas invenções. Alguns relógios inteligentes já estão presentes no mercado, porém com integração com o sistema Android na maioria das vezes.

O Apple Watch trata-se de um dispositivo eletrônico que em tese é um relógio com todas as funcionalidades que um modelo convencional teria, porém seu mostrador é composto por uma tela touchscreen conectada através de Bluetooth ao iPhone do usuário.

Através deste mostrador, o usuário pode ter rápido acesso às notificações do aparelho, assim como a execução de alguns aplicativos sem nem mesmo precisar tocar no smartphone.

A Apple já confirmou que o aparelho será altamente personalizável, com diversas opções de materiais para mostrador, disponíveis em dois tamanhos, além de diversos modelos de pulseiras.

A novidade chegará aos Estados Unidos com os modelos mais simples custando a partir de US$ 350, porém ainda não existem informações de preços no Brasil.

Por Rannier Ferreira Mendes

Apple Watch

Apple Watch

Apple Watch

Fotos: Divulgação


Os relógios estão em alta novamente, mas agora eles são conhecidos como "relógios inteligentes" ou "smartwatches” e assim como aconteceu com o celular, sua função principal foi praticamente deixada de lado, diante das muitas tarefas que ele pode cumprir.

A Motorola é uma das empresas que vem trabalhando muito para conquistar uma boa parte deste mercado e aposta no Moto 360 que conta com um visual bonito e total integração com Android, sistema operacional do Google.

O smartwatch Moto 360 já está disponível para a venda por R$ 799,00, mas a venda do modelo deve ser baixa, assim como vem acontecendo com outros modelos de relógios inteligentes que ainda não conseguiram provar para o consumidor, que eles são realmente importantes. Além das funções disponíveis nestes relógios não atraírem os consumidores tem a questão do preço que é alto e com o mesmo valor ou um pouco mais, pode-se comprar um bom smartphone.

O formato arredondado do Moto 360 agrada e a primeira vista ninguém suspeitará que é muito mais que um simples relógio. Os relógios inteligentes geralmente são quadrados e deixam claro que são repletos de tecnologia, mas o Moto 360 preferiu o contrário, contar com um modelo clássico e que não chame a atenção pela tecnologia, se apresentando simplesmente como um relógio com visual elegante.

O Moto G roda o sistema operacional Android Wear e é compatível com smartphone que roda o Android 4.3 ou versão atualizada.

Pesando 49 gramas, o Moto 360 conta com 4GB de espaço interno para armazenamento e oferece conexão Bluetooth 4.0. O consumo de energia é reduzido, usando pouco o Moto 360 sua bateria dura 1 dia. O modelo vem com 2 sensores, um pedômetro e um sensor que monitora a frequência cardíaca do usuário.

O relógio poderá receber notificações do smartphone, responder mensagens pelo WhatsApp por comando de voz e pode-se rejeitar alguma ligação não desejada, tocando na tela do relógio.
Pelo Moto 360 também é possível enviar mensagens SMS ditando o conteúdo, ter controle sobre o player de música do smartphone, pesquisar no Google Now, saber a previsão do tempo e até obter algumas informações sobre as principais notícias.

Por enquanto, o Moto 360 é mais um relógio inteligente caro e que não oferece nenhuma novidade que justifique sua compra, mas para quem gosta de estar sempre por dentro das novidades tecnológicas, é uma boa opção.

Por Russel

Moto 360

Moto 360

Fotos: Divulgação


A Apple lançou no início de outubro mais uma novidade que encantou milhares de apaixonados ela marca, o relógio inteligente Apple Watch.

O relógio roda aplicativos, conversa com iPhones, registras dados, ajuda o usuário a controlar sua saúde, e simplesmente virou uma sensação nos Estados Unidos. Desde a morte de Steve Jobs, esse é o primeiro produto a entrar como novidade na linha de produção da marca.

O produto será lançado apenas em 2015, e promete filas em frente à loja, como já deveria ser tradição por lá. O relógio tem a elegância e simplicidade, assim como todos os produtos da Apple. A versão mais básica deverá chegar ao mercado com valor em torno de 350 dólares, cerca de 30% mais caro do que similares dos concorrentes Android, Motorola e Sony.

Porém, em relação ao monitoramento da boa forma de seus usuários, a Apple dispara na frente de seus concorrentes. As funções com toque digital mandam mensagens e desenhos aos amigos para chamar atenção para a prática de exercícios.

Superestiloso, o relógio tem formato quadrado e até futurista. Terá, a princípio, duas versões, que irão variar apenas no tamanho, assim o mercado feminino poderá ser conquistado com a versão menor.

A Apple chama seu controlador de Coroa digital, que é um mostrador na parte lateral que irá disponibilizar mais conteúdo na tela do aparelho, como uma barra de rolagem. Além disso, a tela com função  "touchscreen" terá a sensibilidade de perceber entre um toque leve, ou curto, ou mais prolongado, e assim acionar diversas funções.

E não para por aí, o aparelho promete ser uma espécie de secretária, avisando o usuário de seus compromissos, monitor cardíaco, mapas, entre diversas outras aplicações que poderão ser acionadas por comando de voz.

Em termos de segurança, a empresa afirma que o sistema do relógio é completamente seguro, já que não haverá necessidade de armazenamento de dados, como cartões de crédito, por exemplo.

Por Vivian Schetini

Apple Watch

Apple Watch

Fotos: Divulgação


Os dispositivos ”vestíveis”, como ficaram conhecidos, sem dúvidas tomaram conta dos projetos das grandes fabricantes no setor de tecnologia.

Dentre as companhias que mais têm investido nesse meio, a Samsung obteve um destaque considerável com o Galaxy Gear, um relógio inteligente que não apenas trabalha em conjunto com smartphones da companhia, mas também possui um design bonito e combina bastante com o estilo fitness.

Sem dúvida as vantagens oferecidas por esse tipo de aparelho são enormes. Com o Gear, atualmente é possível receber as notificações do aparelho no relógio, atender a chamadas, medir frequências cardíacas, tirar fotos e muito mais. Apesar de ser um gadget bastante útil e de agregar um certo estilo ao usuário, o Galaxy Gear ainda sofre certa rejeição do público devido ao fato de funcionar apenas quando pareado ao aparelho celular. Dessa forma, ele funciona mais como um acessório da linha Galaxy e não como um relógio inteligente capaz ser autossuficiente.

A Samsung sabe dessa fraqueza e pretende mudar completamente a visão de smartwatches do mercado. Segundo o Wall Street Journal, a companhia sul-coreana já está testando um relógio capaz de receber diretamente o sinal de telefonia. Dessa forma, os gadgets não ficariam mais presos ao smartphone e sua utilização poderia ser bastante próxima daquela que vemos em filmes de ficção e espionagem.

Embora o Google tenha um sistema operacional Android exclusivo para relógios, a Samsung preferiu utilizar o Tizen, um sistema próprio da companhia. Ainda de acordo com o jornal, o lançamento deve ocorrer entre junho e julho deste ano.

A Samsung realmente não quer perder o mercado dos dispositivos vestíveis, já que é uma das poucas companhias que de fato possuem um aparelho que foi capaz de conquistar o consumidor. Sua principal concorrente, a Apple, ainda trabalha no seu próprio modelo de relógio mas ainda não se pronunciou oficialmente sobre o lançamento. 

Por Ebenezer Carvalho

Samsung Galaxy Gear

Foto: Divulgação


Conforme a tecnologia avança, surgem diversas novidades interessantes que poder realmente ser muito úteis no nosso dia a dia.

Sem dúvida, uma das maiores revoluções dos últimos tempos são as tecnologias vestíveis, as quais o usuário pode ter um acessório de moda que além de conferir estilo ao visual também auxilia em tarefas comuns do cotidiano.

Dentre os principais modelos desse tipo de tecnologia, temos os relógios inteligentes também chamados de smartwatches e os famosos óculos de realidade aumentada do Google, conhecidos como Google Glass.

 Enquanto o Glass ainda está em uma fase promissora de testes, os relógios inteligentes já são uma realidade e cada vez mais companhias estão focadas na produção de versões diferenciadas e elegantes de seus modelos.

A LG não perdeu tempo e já está planejando o lançamento da segunda versão de seu Smartwatch para concorrer diretamente com a conterrânea Samsung e com a Apple. Apesar do G Watch ter sido lançado há pouco tempo, mais precisamente no mês de março de 2014, a companhia coreana já planeja a segunda versão, de acordo com informações do site especializado Phone Arena.

Muito provavelmente, o novo gadget deve ser lançado juntamente ou pouco depois da sua primeira versão. Seguindo também a onda das pulseiras inteligentes, assim como a Galaxy Fit da rival Samsung, a LG também deve colocar à venda a Lifeband Touch, que terá como função principal o monitoramento das atividades esportivas do usuário, algo bastante parecido com o que foi anunciado pela Samsung para o Fit. A Lifeband Touch deve ser disponibilizada ainda no primeiro semestre de 2014.

Um dos maiores diferenciais da LG no setor de gadgets vestíveis é o lançamento dos fones de ouvido Heart Rate, que poderão monitorar o fluxo sanguíneo no ouvido e ainda se comunicam com outros dispositivos que tenham o sistema operacional Android e um aplicativo próprio instalado. Dessa forma, a companhia sul-coreana aumenta significativamente as suas chances em um mercado cada vez mais concorrido no setor da tecnologia.

Por Ebenezer Carvalho

Smartwatch da LG

Foto: Divulgação


Após a Samsung e Sony divulgarem suas versões de smartwatches, agora é a vez do Google mostrar ao mundo como será o seu gadget inteligente.

Segundo informações do site especializado 9to5Google o smartwatch do Gigante da Internet já está quase pronto e deve chegar logo ao consumidor. Se as informações estiverem corretas, o Google Now deve ser uma parte fundamental do aparelho que deve funcionar em conjunto com um smartphone, assim como o Galaxy Gear atualmente.

O Google Now é um assistente pessoal que se assemelha bastante com o Siri da Apple e já está presente na maioria dos smartphones com Sistemas Operacionais Android 4.1 ou superior.

Smartwatch do Google

Foto: Divulgação

Com ele é possível saber detalhes sobre a previsão do tempo, acessar a agenda do smartphone, criar compromissos, lembretes, dentre outros detalhes.

A utilização do sistema em um relógio deve ampliar mais ainda a funcionalidade do assistente e, se a companhia acertar na medida, pode inclusive superar as vendas dos seus atuais concorrentes Sony e Samsung. É importante também que a companhia observe os erros causados pela sua principal concorrente no ramo ao lançar o Galaxy Gear. Os consumidores não ficaram satisfeitos com o relógio inteligente da coreana que esquenta demais no pulso e é compatível apenas com o Galaxy Note 3.

Caso a empresa realmente ofereça algo útil aos consumidores, o trio Nexus 5, Google Glass e seu relógio inteligente ainda sem nome revelado devem ser grandes trunfos para vencer a forte concorrência.

Por Ebenézer Carvalho


Omate TrueSmart A Samsung é pioneira no lançamento dos dispositivos “vestíveis”, que são tendência para a nova geração de gadgets. Além dela, a Apple também já trabalha em um relógio inteligente para concorrer com a coreana. No entanto, um dos maiores problemas é o fato de que o Galaxy Gear não funciona caso não esteja conectado a um smartphone da linha Galaxy, o que pode decepcionar aqueles que buscam por liberdade na utilização do aparelho.

O grande diferencial do Omate TrueSmart é que ele consegue conversar com outros celulares no maior estilo James Bond  e ainda manda mensagens SMS, além de ser à prova d’água e de arranhões. Sua interface roda o SO Android 4.2 e os ícones são bastante grandes e fáceis de tocar. Talvez uma das maiores dificuldades na aceitação do produto seja o tamanho e design do visor que não agradam muito para os padrões da atualidade.

Uma unidade do aparelho foi posta à exposição na Glazed Conference, em San Francisco, EUA, e em breve já deve estar disponível à venda por lá.

O mercado de dispositivos vestíveis vem ganhando algum destaque não só com o lançamento do Galaxy Gear, mas também com as campanhas que o Google vem fazendo para divulgar o Glass, que ainda está em versão de testes, mas já impressiona pela liberdade que proporciona ao usuário.

Por Ebenézer Carvalho





CONTINUE NAVEGANDO: