A Polaroid é uma companhia que ganhou fama no mercado de fotografias, e hoje procura se reinventar. Agora, no CES 2015 ela apresentou sua nova aposta nos dispositivos com Android. São tablets e smartphones que não inovam, mas, pelo preço acessível, podem ser uma boa entrada da marca no mundo dos aparelhos mobile. Porém, um destes lançamentos pode causar dores de cabeça em uma batalha judicial.

Começando pelos tablets, a Polaroid demonstrou a L Series evoltos em mistério. A série conta com a presença de dois aparelhos: o L7 e o L10, que possuem respectivamente 7 e 10 polegadas, rodam o Android Lollipop, possuem câmeras frontal e traseira e contam com processadores quad-core.

Não possui conectividade 3G ou 4G, e a única forma de acesso à internet é via Wi-Fi. Os dispositivos terão auto-falantes localizados no lado frontal, proporcionando uma melhor imersão no áudio.

No mais, nada foi revelado até o momento. Eles devem chegar às lojas dos Estados Unidos em março e custarão respectivamente US$ 100 e US$ 150.

Mas o que realmente chamou a atenção foi a Polaroid Selfie, tanto pela novidade quanto por lembrar demais o Oppo N3.

Esse smartphone com Android Lollipop traz a promessa de capturar selfies com excelência, e para isso traz uma câmera de 13 megapixels que pode funcionar tanto como câmera traseira quanto frontal. Isso certamente representa uma boa economia, além de possibilitar utilizar a qualidade da câmera nas duas funções, já que geralmente a frontal é de qualidade inferior.

O problema é que a Oppo se irritou com as semelhanças entre o Polaroid Selfie e o N3, e afirmou que irá recorrer aos tribunais caso necessário. A única diferença entre as câmeras dos dois aparelhos, é que no caso da Polaroid é necessário remover manualmente para trocar de função.

No mais, a Polaroid Selfie tem uma tela HD de 5,5 polegadas e o seu processador é um Octa-Core. Outros detalhes, assim como os tablets, não foram revelados e não há previsão para lançamento ou preços anunciados.

Por Daniel Cavalcante

Foto: Engadget


Quem conhece a multinacional Caterpillar, já deve ter visto o slogan: "equipamentos duráveis e confiáveis". E é isso que eles também prometem no mercado de smartphones. Considerados “indestrutíveis” os modelos de celulares CAT B15Q e o CAT S50 são fabricados pela CAT (como é conhecida a Cartepillar), especializada em equipamentos de construção civil e mineração, conhecida mundialmente pela fabricação de motores, tratores e veículos pesados.

Já tendo sido lançados na Europa, os modelos de smartphones à “prova de bala” estão chegando nos Estados Unidos.

Os aparelhos são robustos no que tange à resistência. O próprio design sugere algo que lembra tratores ou esportes radicais. Aliás, os praticantes das modalidades esportistas mais aventureiras, como alpinismo, talvez possam se interessar. Mas o público alvo é mesmo aqueles que trabalham com construção civil e querem aparelhos resistentes.

Os celulares podem mergulhar, cair, levar uma lufada de areia, resistem à temperaturas extremas. Bem, você entendeu a ideia do “indestrutíveis”. E, caso você esteja mergulhando ou lavando seu equipamento, o display touch screen reconhece o toque, mesmo com os dedos molhados.

O hardware pode não empolgar muito, mas, considerando os propósitos do dispositivo, pode-se avaliar como satisfatório, além de ter preço bem acessível.

O modelo B15Q vem com sistema operacional Android 4.4 KitKat, tela de 4 polegadas com Gorilla Glass, processador quad-core MediaTek MT6577 de 1,3 GHz, memória RAM de 1GB. A memória de armazenamento é de 4GB (com suporte a micro SD). Possui câmera traseira de 5 megapixels com LED flash e a bateria com 2.000 mAh. O preço nos EUA é US$ 349.

Já o S50 tem como diferencial a tela de 4,7 polegadas, processador qualcomm Snapdragon 400 com 1,2 GHz, memória RAM de 2GB e armazenamento de 8GB (com suporte a cartão micro SD). A câmera traseira possui 8MP e a frontal é VGA. A bateria tem 2.630 mAh. Ainda não tem preço divulgado e deve chegar nos Estados Unidos em novembro.

Por Alexandre S.T.

Foto: divulgação


Depois de diversos rumores postados por sites internacionais de tecnologia, a fabricante chinesa Oppo anunciou recentemente o seu novo smartphone com câmera integrada de 50 MP. O Oppo Find 7 será lançado em duas versões, a primeira com uma ótima câmera e outra de baixo custo, com especificações simplificadas. A câmera do novo dispositivo móvel possui um sensor da Sony de 13 MP e utiliza um software que obtém uma resolução equivalente a 50 MP em um recurso denominado “Super Zoom”. Além de ter uma câmera frontal de 5 MP, o aparelho é capaz de filmar em 4K. O funcionamento da ferramenta “Super Zoom” pode ser visto no site Engadget, que já testou o aparelho e publicou imagens fotografadas com a câmera. 

A versão com a câmera potente terá uma tela QHD de 5,5 polegadas, com 538ppi e uma resolução de 2560×1440 pixels. O processador utilizado será o Snapdragon 801 de 2,5 GHz. O smartphone contará ainda com memória RAM de 3 GB, memória interna de 32GB (com possibilidade de expansão por cartão de memória) e bateria de 3000 mAh.

Já a versão simplificada terá um processador Snapdragon 800 de 2,3 GHz, bateria de 2800 mAh, memória interna de 16 GB (com possibilidade de expansão por cartão de memória) e memória RAM de 2 GB. Sua tela é de 5,5 polegadas, com resolução de 1080p. Não há detalhes sobre a câmera dessa versão.

O processador de ambas as versões será o Android 4.3 Jelly Bean, com uma bateria que carrega 75% da carga total em apenas 30 minutos. A versão completa custará US$ 599 e a simplificada US$ 499. O aparelho chega às lojas chinesas em abril desse ano, mas não se sabe quando ele chegará aqui no Brasil. Representantes da Oppo ainda não afirmaram se o Oppo Find 7 estará disponível para o mercado internacional.

Por Danilo Gonçalves


O smartphone Galaxy Pocket Neo é um aparelho que tem tamanho pequeno e cabe no bolso de forma fácil. Com cor de prata na parte da frente, representa uma ótima escolha para quem vai ter o primeiro smartphone. As opções do celular se encontram presentes com maior facilidade na tela, mesmo para quem nunca trabalhou em um produto com esse tipo de tecnologia.

De acordo com as informações colhidas no site oficial da Samsung, no aparelho há funções que trabalham com inteligência para tornar fácil a vida das pessoas. Por exemplo, quando em horas oportunas o celular toca, basta virar ele para baixo que o sistema faz diminuir o som do toque até silenciar por completo.

Quem deseja atualizar os dados do telefone precisa agitá-lo. Apenas depois de fazer o agito é possível saber atualizações de notícias, redes sociais, clima, entre outras opções. Com o sistema GPS que existe no aparelho é possível chegar com facilidade em diferentes pontos da cidade. O smartphone da Samsung pode trabalhar com um ou dois chips ao mesmo tempo.

Com o Android 4.1 os usuários possuem uma experiência gratificante em termos de velocidade ao acessar os recursos do telefone ou a rede mundial de computadores (internet). Entre os diferentes serviços vale destacar a presença do Google Now, que de forma prática trabalha como se fosse um assistente que demonstra informações de acordo com o seu perfil.

A velocidade ao acessar diferentes dados acontece também em consequência do processador com 850 MHZ, que possibilita agilidade ao ouvir músicas, assistir filmes e enviar arquivos para as redes sociais. Esse aparelho trabalha com tecnologia 3G e possui conectividade com a rede WI-FI.

Como acontece com grande parte dos celulares da Samsung atuais, a tela tem proteção para não prejudicar a retina de quem trabalha com o aparelho. Clique no link e acesse o site da marca japonesa para conhecer outras informações do Galaxy Pocket Neo.

Por Renato Duarte Plantier


Um dos smartphones mais aguardados do ano, o LG Flex, já tem data para chegar às lojas do Brasil. O smartphone de tela curva começará a ser vendido a partir da segunda semana de março, inicialmente somente nas lojas da marca. A partir da terceira semana do mês, o aparelho poderá ser encontrado nas lojas virtuais e somente na última semana de março ele poderá ser encontrado nas lojas físicas do varejo.

Inicialmente o aparelho terá um preço um pouco salgado, sendo vendido por R$ 2.699 desbloqueado e não vinculado às operadoras. A tela curva não é a única novidade deste smartphone, que também conta com a tecnologia de autocura na sua parte traseira, permitindo que a superfície se regenere de leves riscos e arranhões.

Além dessas novidades, o LG Flex conta com processador Quad Core Snapdragon 800 de 2,26GHz, possui GPU Adreno 330, conta com uma tela P-OLED de 6 polegadas HD (com resolução de 1280 por 720 pixels), tem 2 GB de Memória RAM, possui 32 GB de armazenamento, conta com câmera traseira de 13 megapixels e frontal de 2.1 megapixels, possui bateria de 3500mAh, tem conectividade Wi-Fi e 4G, além de utilizar o sistema Android 4.2.2 Jelly Bean.

A grande vantagem de se ter um smartphone de tela curva é sua ergonomia. O fato de se ter uma tela curva faz com que o microfone fique mais próximo da boca e o auto-falante mais próximo da orelha. A tela curva também faz com que levar o telefone no bolso fique mais confortável e deixa uma “folga” para o caso de se sentar acidentalmente com ele no bolso, dificultando a quebra do mesmo.

O futuro dos smartphones com tela curva ainda é difícil prever. Não há como saber se este é o futuro dos smartphones do mercado ou se é apenas uma tentativa da LG e da Samsung. O que é possível saber no momento é que o LG Flex deixou boas impressões e é fácil notar as diversas vantagens do aparelho com tela curva.

Por Jaime Pargan


Considerado como uma das últimas gerações em smartphones, o Motorola Moto X está com as vendas em alta por oferecer ferramentas e configurações modernas. O dispositivo móvel tem vários atributos que o coloca no topo de vendas, entre eles está o seu design belo e completo. 

Começando pelo exterior, a tela do Moto X possui 4,7 polegadas, o que já explica o seu sucesso em vendas, já que na linha dos smartphones essa dimensão em polegadas ainda não foi superada. Além dessa dimensão superior, o proprietário terá no Moto X uma qualidade de visibilidade, pois a resolução é de 1280×720 pixels.

Em questão de funcionalidade, o Moto X tem a tecnologia LTE 4G, que permite não apenas uma ótima navegação na internet, como também uma ágil transferência de dados, caso isso seja solicitado pelo usuário.

Somado a estes recursos, quem comprar o Moto X ainda contará com GPS, Internet Wi-Fi, Leitor de Multimídia, Bluetooth e vários meios para videoconferência. Tudo em uma memória de 32 GB, com câmara fotográfica de 10 megapixels, que permite imagens profissionais, pois a resolução é de 4320×2432 pixels.

O Moto X também pode ser um ótimo gravador de vídeo porque tem o suporte Full HD com a significativa resolução de 1920×1080 pixels, uma ferramenta e tanto para quem usa o smartphone de forma tanto profissional como para entretenimento.

O design do Moto X é bem interessante e leve, tendo 10,4 milímetros, peso de 130 gramas, sistema operacional Android 4.2.2 (Jelly Bean) e processador Dual Core de 1.7 GHz, o que possibilita uma grande velocidade no processamento de qualquer dado que precise fazer.

O preço do smartphone varia de R$ 1.214 a R$ 1.499, valores que em muitas lojas virtuais podem ser parcelados em até 10 vezes sem juros.

Por Michelle de Oliveira


Quando tratamos de smartphones cada vez mais finos, uma questão básica vem à mente: ”Qual será mesmo o objetivo disso?”. Muita gente até gosta, mas basta uma olhada mais atenta para perceber que a coisa não é tão boa quanto parece. Com os dispositivos cada vez mais com uma aparência de faca de cozinha, certos aspectos importantes acabam ficando de lado. Um exemplo disso é o pouco espaço para uma bateria com capacidade maior e o comprometimento da resistência mecânica do aparelho.

Mas deixando esses “detalhes de lado”, as empresas do setor parecem estar longe de abandonar essa área, um exemplo disso é a Huawei, que lançou o Ascend P6.

O aparelho até um tempo atrás era tido com um dos mais finos no mercado com seus 6,18 milímetros. A título de curiosidade, se compararmos esse modelo com o iPhone 5S, o último ia parecer ser meio “gordinho” perto do Ascend P6.

E falando do iPhone 5S, o Huawei Ascend P6 tem algumas semelhanças com ele. Na verdade ele parece muito com o iPhone 4/4S, pois este é bem fino e possui uma tela maior. A tela do aparelho possui 4,7 polegadas e tem resolução de 720×1280. Além disso, tem ainda a tecnologia LCD e IPS, que possibilita o melhoramento dos ângulos de visão.

Quem acompanha o setor de lançamento de smartphones, já deve ter percebido que há uma tendência de se lançar aparelhos que integrem um chip Qualcomm, que corresponde atualmente a quase 90% dos modelos mais avançados. Alguns poucos contam com o Tegra 4 da NVIDIA. No caso do Ascend P6, a Huawei decidiu ir por outro caminho e tratou de projetar seu próprio chip batizado de K3V2, algo bem ao estilo da Apple.

O chip foi fabricado pela HiSilicon. É um quad-core que roda a 1,5 GHz e conta com núcleos baseados no Cortex A9. Para a memória RAM são 2 GB de 32 bits em dual-channel. A GPU tem 16 núcleos de processamento.

De acordo com empresa, o foco é o baixo consumo de energia, otimização interna e eficiência por clock.

O Huawei Acend P6 está sendo colocado à venda pelo preço médio de R$ 1.400. O ruim é que o dispositivo não tem 4G e também NFC, mas nesse caso o preço deveria subir.

Em suma pode-se destacar como vantagens desse aparelho o bom desempenho para qualquer tipo de tarefa, uma bateria com autonomia acima da média e atualização garantida pela fabricante para a versão 4.4 do Android (KitKat).

Por Denisson Soares


O Moto G, lançado pela Motorola, é um celular diferenciado que reúne as principais tecnologias do mercado e oferece um preço compatível com o aparelho. Ele é ideal para quem procura um smartphone leve, compacto, rápido e atraente. Ele tem um design bem estiloso e moderno. Além disso, permite a mudança da capa superior, ou seja, é fácil mudar o estilo do celular a qualquer momento do dia. Existem diversos tipos de cores, como verde, rosa, amarelo, entre outras para combinar.

A tela do Moto G chama a atenção, porque ela vai até as bordas, sendo resistente a riscos e apresentando uma excelente nitidez. Desta forma, a pessoa vai poder ver vídeos com muita perfeição, em uma imagem nítida e repleta de cores vivas e vibrantes. A tecnologia deste aparelho da Motorola não para por aí, porque o celular contempla um consumo inteligente de bateria, que permite a utilização dos recursos no cotidiano e ainda mantém energia, devido à bateria de longo alcance.

O usuário também pode contar com velocidade na navegação, assim ele vai poder acessar as redes sociais, ver vídeos, mandar e-mail ou alternar os recursos com facilidade e sem demora, devido à presença do processador Quad-Core. O sistema operacional do celular é o Android 4.3, mas o upgrade é garantido para a próxima versão do sistema.

Outra função útil é que o usuário pode programar para apenas receber ligações importantes, quando ele estiver em uma reunião, um evento importante ou qualquer outra situação que não possa ser interrompido.

Para capturar e fotografar todas as festas, baladas e aventuras, o Moto G conta com câmera na parte frontal e traseira. O usuário tem a opção de tirar a foto ao encostar em qualquer lugar da tela ou pode programar a câmara para tirar fotos em sequência ou panorâmica.

O Moto G inova pelo design, recursos e compatibilidades, sendo ideal para quem deseja um smartphone prático para o dia a dia.

Por Babi


Os smartphones estão cada vez mais comuns e já fazem parte do cotidiano de muitos brasileiros, que estão usando os aparelhos mais modernos para atividades que vão muito além de efetuar e receber ligações. Segundo dados da consultora IDC, os celulares vendidos no Brasil entre julho e setembro são em sua maioria smartphones, correspondendo a 10,4 milhões dos 17,9 milhões de celulares comercializados no período. Desse total, 90% são equipados com sistema operacional Android, o mais usado em todo o mundo.

Em relação ao mesmo período do ano passado, o crescimento foi de 147%. Já em relação ao segundo trimestre de 2013, o aumento foi de 20%. Enquanto isso, as vendas dos celulares mais básicos tiveram uma redução drástica nas vendas, totalizando 33% de queda em relação a 2012 e 5% se comparado ao segundo trimestre de 2012. Um dos fatores que contribuiu para a popularização dos modelos foi a redução nos impostos para os aparelhos fabricados aqui.

O interesse dos brasileiros também foi um fator determinante no crescimento das vendas, apesar dos valores pesarem mais no bolso dos brasileiros do que em outros países. Quem possui um modelo mais básico migrou para um smartphone e quem possui um modelo de entrada já mudou ou pensa em mudar para um smartphone com mais recursos e com configurações mais atraentes. Sem contar que os acessórios e produtos para os celulares inteligentes também estão caindo no gosto dos brasileiros.

No mundo, os números também surpreendem. Somente no terceiro semestre, as vendas de smartphones chegaram a marca de 468 milhões de unidades, o que representa um aumento de 39% em relação ao mesmo período do ano passado. Em relação ao trimestre passado, o aumento foi de 9%. Segundo o IDC, a expectativa é que sejam comercializados mais de 1 bilhão de aparelho só no ano de 2013 em todo mundo. 

Por Robson Quirino de Moraes


Na última terça-feira, dia 15 de janeiro, o mercado chinês recebeu um novo smartphone, o Oppo Find 5.

O aparelho chegou para agradar ao público que gosta de celulares com tela grande, pois ele conta com tela de 5 polegadas com resolução HD. Mas não é apenas a sua tela que surpreende, unido a ela o smartphone ainda traz um processador quad-core, tudo para agradar os consumidores que gostam de alto desempenho e ótima qualidade de imagem em um único dispositivo.

Ainda não há muitas informações a respeito das especificações técnicas do produto, mas os preços de venda já foram revelados. A versão do Oppo Find 5 com 16 GB custará 2.998 yuans (aproximadamente R$ 987). Já a versão com 32 GB de armazenamento interno custará 3.500 yuans (algo em torno de R$ 1.140), mas ela só será lançada no dia 29 de janeiro na China.

A Oppo, fabricante do smartphone, informou que a expectativa é lançar na Europa e nos Estados Unidos versões ocidentais do modelo muito em breve. Nestas regiões a versão de 16 GB custará US$ 500 (aproximadamente R$ 1.018) e a versão de 32 GB custará US$ 570 (cerca de R$ 1.160).

Por Felipe Santos Bonfim





CONTINUE NAVEGANDO: