Modelo contará com uma potente bateria com 4.100 mAh.

Está previsto para esta quinta-feira, dia 03/11, o evento no qual a Huawei irá lançar o Mate 9, o novo e aguardado flagship da empresa. Porém, faltando poucos dias para que o evento seja realizado a fabricante surpreendeu com uma novidade: um novo smartphone. O curioso aqui é que o dispositivo não se trata de nenhum aparelho topo de linha. Mas ao olhar para as especificações vamos ver que elas agradam. Ainda mais se relacionarmos o custo-benefício.

A novidade em questão trata-se do Enjoy 6. A Huawei, ao que parece, se empenhou em criar um aparelho que tivesse mesmo uma boa qualidade e um baixo custo. Ainda assim vamos ter coisas legais nele. O dispositivo foi produzido em metal. O leitor biométrico está localizado em sua traseira. Um dos aspectos que mais tem atraído a atenção das pessoas em relação ao aparelho é a sua bateria. Aqui temos uma potente com 4.100 mAh. A tela do Enjoy 6 é uma AMOLED que conta com 5,0 polegadas. A resolução é em HD.

O usuário do aparelho ainda vai poder contar com 3 GB de espaço para a memória RAM. No caso do armazenamento interno vamos ter 16 GB. Lembrando que a memória ainda pode ser expandida por meio do microSD para uma capacidade de até 128 GB. A “alma” do Enjoy 6 é o MediaTek MT6750 octa-core de até 1,4 GHz.

Para aqueles consumidores que se preocupam com as imagens o aparelho traz no sensor principal uma câmera de 13 MP. A frontal, por sua vez, apresenta 5 MP. Coroando isso tudo o aparelho vai para o mercado rodando o Android 6.0 Marshmallow personalizado com a interface EMUI 4.1 criada pela própria fabricante.

Além de tudo isso que apontamos o Enjoy 6 ainda tem suporte para dois cartões SIM. A porta microUSB também está aqui. Vamos encontrar também a conectividade 4G VoLTE, GPS/A-GPS e Bluetooth. A gama de cores também é bastante ampla: Temos opções em azul, dourado, branco, rosa e cinza. Apenas os adeptos do preto é que ficarão sem opção.

Preço e disponibilidade do Enjoy 6:

Como era de se esperar o preço do aparelho é bem conveniente. Sai por US$190. Isso daria algo em torno dos 600 reais. A previsão é de que as vendas comecem na China a partir do dia 1° de novembro. Porém, não há expectativa de que ele seja vendido por aqui. Por outro lado, é bem provável que sua importação seja “autorizada” em breve.

Por Denisson Soares

Huawei Enjoy 6

Huawei Enjoy 6


Novos aparelhos da Huawei possuem preço baixo e boas configurações.

A Huawei, entre as conhecidas empresas chinesas que investem cada vez mais no mercado de dispositivos móveis, é uma das mais experientes, tendo sido fundada em 1987. Tentando recuperar o espaço perdido nos últimos tempos para suas concorrentes mais novas, a empresa anunciou oficialmente o G9 Lite, seu novo smartphone, além de seu novo tablet, o MediaPad M2 7.0, ambos dispositivos intermediários e que serão lançados por um preço bem abaixo ao que acompanhamos atualmente no mercado, característica marcante das empresas chinesas.

As configurações dos dois dispositivos, embora intermediárias, podem ser consideradas boas, além do fato do visual e design de ambos ser bom e muito bem polido, uma tentativa da empresa de atrair consumidores não apenas pela qualidade de hardware, mas também pela atratividade de sua aparência.

Por enquanto o Huawei G9 Lite está disponível para pré-venda antecipada apenas na China, pelo preço extremamente atraente de apenas US$ 260, algo em torno de R$ 925 ainda desconsiderando os impostos a serem cobrados sobre o dispositivo em solo nacional.

O aparelho conta com uma tela de 5,2 polegadas Full HD, 3GB de RAM, 16GB de armazenamento interno (expansível por cartões microSD), processador Kirin 950 octa-core com clock máximo de 2,0 GHz (o que coloca o dispositivo da Huawei acima de praticamente todos seus concorrentes), placa gráfica ARM Mali-T880MP2, câmera traseira de 13 megapixels e frontal de 8 megapixels, leitor de impressões digitais e Android 6.0 Marshmallow como sistema operacional.

Já o MediaPad M2 7.0, novo tablet da empresa, ainda não está disponível para venda antecipada, embora isso deva acontecer em breve. Apesar disso, o seu preço já foi revelado, tanto para a versão Wi-Fi como para a versão 4G, sendo US$ 246 e US$ 277, respectivamente, ou algo em torno de R$ 875 e R$ 985, na cotação atual do dólar ainda desconsiderando os impostos a serem cobrados sobre o dispositivo.

O tablet conta com uma tela de 7 polegadas Full HD, com 3GB de RAM, 16GB ou 32GB de armazenamento interno (expansível por microSD), processador Qualcomm Snapdragon 615 octa-core com clock máximo em 1,7 GHz, placa gráfica Adreno 405, câmera traseira de 13 megapixels e frontal de 5 megapxiels, com bateria de 4.360 mAh e o Android 6.0 Marshmallow como sistema operacional.

Embora ambas as opções sejam extremamente interessantes e com um preço igualmente baixo, o produto não deve ser lançado oficialmente no Brasil, que vem recebendo poucos produtos da Huawei, embora possivelmente vários vendedores devam importar o produto para vender por aqui, visto seu baixo preço.


Honor 7, MediaPad M2 e Honor Zero são os novos modelos da Huawei.

A fabricante chinesa de smartphones Huawei, tem se destacado no mercado e promete ser um desafio para as concorrentes. Recentemente a empresa colaborou na criação e aprimoramento da conexão 5G e lançou produtos de peso para o mercado tecnológico. O smartphone Honor 7 e o tablet MediaPad M2 foram revelados durante um evento na terça-feira (30). O que muitos não esperavam é que a empresa estava guardando o melhor para o final de sua apresentação, o smartwatch  Honor Zero.

O relógio inteligente não é a primeira aposta da Huawei no segmento, a empresa já apresentou um modelo similar em março deste ano. Porém, o Honor Zero promete impressionar por ser um dispositivo discreto e com pequenas dimensões. Apesar disso, o modelo possui design elegante e um excelente acabamento.

Durante a conferência da Huawei, a empresa procurou manter a descrição e não entrou em detalhes sobre as especificações técnicas do produto. O que se sabe é que o modelo deverá contar com uma bateria com autonomia de quatro dias, sem que haja a necessidade de carregar o aparelho durante esse período. O modelo também terá proteção contra líquidos e resíduos de poeira, o que tem se tornado cada vez mais comum nos relógios inteligentes.  

O Honor Zero possui um sistema que contabiliza os passos do usuário, assim como, pressão cardíaca e tempo médio do percurso. Além disso, o modelo é capaz de detectar o sono do utilizador do modelo. Ao que tudo indica o sistema utilizado no relógio será o Google Android Wear, que auxilia na economia de bateria.

O relógio inteligente Huawei Honor Zero deverá ser encontrado a venda no mercado Chinês a partir de agosto deste ano. Por enquanto, não existem informações a respeito do preço de lançamento e se outros países deverão contar com o modelo. É provável que esse modelo seja um concorrente de peso para o famoso Apple Watch. 

Por Wendel George Peripato

Huawei Honor 7

Huawei MediaPad M2

Huawei Honor Zero

Fotos: Divulgação


Confira as novidades do novo modelo intermediário da empresa

O modelo Huawei P8 Lite chega para competir no mercado de aparelhos de nível médio, e tem a expectativa de não ser negativo em relação aos seus principais rivais. Com ele, o usuário tem a possibilidade de possuir um dispositivo que obtém as maiores necessidades, sem que seja preciso sobrecarregar o visual e os materiais de produção por não desejar ou não ter a possibilidade de adquirir um aparelho de elite. Este é um fator como o que a Samsung realizou com sua série Galaxy A, entretanto, é aguardado que o aparelho da Huawei seja atrativo também considerando o custo-benefício, um fator muito eficaz nas companhias da China.

Entre as principais configurações, pode-se colocar como destaque o display de 5 polegadas com resolução HD (720 x 1280 pixels), processador Huawei Kirin 630 64-bit Quad-Core funcionando a 1,2 GHz, memória RAM de 2 GB, 16 GB de armazenamento interno, ampliável através de microSD, sua câmera principal possui 13 MP com flash Dual-LED, enquanto sua câmera frontal tem 5 MP. As dimensões do aparelho são de 143 x 70,6 x 7,6 milímetros, ele pesa 131 gramas e possui conexão 4G LTE, bateria de 2.200 mAh e Android 5.0 Lollipop com interface EMUI 3.1.

A Huawei também divulgou recentemente o smartphone de elite para este ano. Deixando a marca “Ascend”, a empresa anunciou o eficaz P8, que tem um acabamento metálico e também espessura de apenas 6,4 milímetros. O fator novo poderá ser recebido no mercado em uma versão comum de 16 GB e outra “Premium” de 64 GB.

O principal fator novo do modelo é seu sensor fotográfico RBGW (red-green-blue-white) que poderá funcionar de modo mais eficaz em locais pouco iluminados. De acordo com a empresa, o fator novo amplia a luminosidade em 32% para cenas de contraste elevado, diminuindo em até 78% em ambientes escuros. O aparelho possui o sistema Android Lollipop.

Por Felipe Couto de Oliveira

Huawei P8 Lite

Foto: Divulgação


Há dois anos atrás, o CEO da Huawei, Richard Yu, informou que a parte dos fornecedores da China iriam terminar em um período de até cinco anos, e que a companhia passaria a ser líder de mercado com facilidade. No futuro, a principal disputa será com companhias ocidentais, ao invés das chinesas, para ele. Neste momento, a companhia dará um início com grande estilo nos Estados Unidos, e irá ocasionar que seus aparelhos sejam vendidos no território americano.

A estratégia de marketing com outdoors, patrocínios em eventos esportivos e outros, estarão ligados às comercializações diretas e parcerias com operadoras de telefonia.

O Honor 6 Plus e Ascend Mate 7, que são os modelos principais da Huawei, são aguardados para agradarem o público americano. Os valores têm um custo de um terço (ou menos) em relação aos principais aparelhos da Apple ou Samsung, o que poderá ser de bom agrado para uma grande parte do público.

No último ano, a comercialização de smartphones da Huawei cresceu de forma considerável em 54%, alcançando a grande marca de 74 milhões de unidades comercializadas. Apenas no último ano a Huawei conquistou 5,7% do mercado de smartphones, passando a ser o terceiro maior vendedor, estando atrás somente da Samsung e Apple.

A Huawei divulgou recentemente o MediaPad X2, um híbrido entre celular e tablet. O dispositivo possui display de sete polegadas com resolução pouco superior à Full HD (1080p) e potencial para fazer e receber chamadas telefônicas.

O modelo é recebido com especificações potentes, como o processador Kirin 930 de 2 GHz, possuindo oito núcleos de processamento e arquitetura 64 bits. O dispositivo tem duas versões, sendo uma com 2 GB e 16 GB de armazenamento interno e outra de 3 GB e 32 GB de armazenamento interno. Elas possuem conexão 4G e entrada para dois chips de operadoras. A câmera traseira tem 13 megapixels.

Por Felipe Couto de Oliveira


Com as diversas inovações no mercado de smartphones, a cada dia que passa as empresas desses produtos precisam lançar novidades para continuarem competitivas. A exemplo disso, a Huawei lançou um phablet (combinação de tablet com telefone) com duas câmeras traseiras, o 6 Plus.

A ideia é disponibilizar para os usuários um aparelho que seja capaz de tirar fotos com qualidade muito maior do que as outras opções no mercado. Os dois sensores possuem resolução de 8 megapixels, com pixels de 1,98 microns.

O foco da dupla câmera está em melhorar as fotografias em ambientes com baixa luminosidade. Além disso, pelo fato dos sensores estarem dispostos horizontalmente em linha, é possível criar um efeito de terceira dimensão ao mover o aparelho durante a captura.

Além disso, ainda é possível trabalhar no foco de uma forma diferenciada, mesmo após a foto ter sido tirada.

Além do ponto alto que é a câmera, o aparelho possui uma tela bem grande, de 5,5 polegadas, que é o diferencial dos phablets, com resolução Full HD. O processador é o Huawei Kirin 925, octa core, de 1,8 GHz cada.

A memória RAM do dispositivo é de 3 GB, enquanto que a memória de armazenamento é disponibilizada em duas opções: 16 GB ou 32 GB. Porém, isso deve ser levado em conta no momento da compra, pois se o usuário não tiver necessidade de sua memória ser interna, ele pode comprar o de 16 GB e expandir o espaço de armazenamento com cartão Micro SD.

Além da dupla câmera traseira, o 6 Plus também possui dois sensores de foto na parte frontal, totalizando então 4 câmeras em um único aparelho. O sistema operacional que virá de fábrica nesse phablet é o Android 4.4.4 KitKat.

O Huawei 6 Plus ainda está restrito ao mercado chinês, porém ainda é cedo para dizer se ele será disponibilizado em outras regiões do mundo, inclusive no Brasil. São disponibilizadas duas opções de cores para o aparelho e estas saem por preços diferentes.

O aparelho de cor prata custa a partir de US$ 320, enquanto que a versão dourada está disponível a partir de US$ 400.

Por Rannier Ferreira Mendes

Huawei 6 Plus

Huawei 6 Plus

Fotos: Divulgação

 


Surgido no mercado como o smartphone top de linha da marca chinesa Huawei, o Ascend P6 tem processador da mesma marca, que mesmo não sendo tão poderoso quanto a maioria, executa com qualidade o sistema operacional Android Jelly Bean 4.2.2.

Hardware:
O Huawei Ascend P6 vem equipado com uma boa configuração. O processador feito pela própria marca é um K3V2, o qual possui 4 núcleos Cortex A9, com clock de 1,5GHz. Tem 2GB de memoria RAM e 8GB de HD. Um ponto negativo disso é que apenas 4,32GB do total de 8GB, é o espaço livre para o uso. Contudo, ele vem com suporte a cartão de memória, que pode render ao aparelho uma memória extra de até 32GB.

O processador não é tão forte quanto o A7 do iPhone 5S ou mesmo o Snapdragon 800, que é o processador mais usado na maioria do smartphones top de linha com sistema operacional Android. Contudo, se for analisado o seu antecessor, o Huawei Ascend G510, a evolução é enorme.

Design:
Conhecido como um dos smartphones mais finos do mundo, apresenta a espessura de 6,18mm. O Huawei Ascend P6 ganha esse ponto em exclusividade, além de não chamar a atenção de ninguém quando se está com ele no bolso, sem contar o fácil manuseio do aparelho, utilizando apenas uma das mãos.
O design do produto é muito semelhando aos iPhones 5S e 5, tendo o mesmo formato retangular do queridinho da Apple, com a diferença da capa traseira, que possui o formato arredondado. Os botões físicos ficam do lado direito do aparelho, sendo eles o botão de captura da câmera e o de volume. Além dessas diferenças, o Ascend P6 disponibiliza saídas para cartões de memória.
Um dos pontos negativos deste modelo é a saída de som apresentada pelo smartphone, que se localiza na parte traseira do aparelho. Este fator dificulta a visualização de vídeos ou reprodução de músicas enquanto o telefone está sendo segurado.

Bateria:
O Ascend P6 tem a bateria com capacidade de 200 mAh. No teste de reprodução de vídeo, o P6 passou 5h54 com carga, enquanto o Wi-Fi e o Bluetooth estavam ligados. Já no teste de ligação, teve a autonomia próxima a 11h.

Por Fábio G. Santos

Huawei Ascend P6

Foto: Divulgação


Quando tratamos de smartphones cada vez mais finos, uma questão básica vem à mente: ”Qual será mesmo o objetivo disso?”. Muita gente até gosta, mas basta uma olhada mais atenta para perceber que a coisa não é tão boa quanto parece. Com os dispositivos cada vez mais com uma aparência de faca de cozinha, certos aspectos importantes acabam ficando de lado. Um exemplo disso é o pouco espaço para uma bateria com capacidade maior e o comprometimento da resistência mecânica do aparelho.

Mas deixando esses “detalhes de lado”, as empresas do setor parecem estar longe de abandonar essa área, um exemplo disso é a Huawei, que lançou o Ascend P6.

O aparelho até um tempo atrás era tido com um dos mais finos no mercado com seus 6,18 milímetros. A título de curiosidade, se compararmos esse modelo com o iPhone 5S, o último ia parecer ser meio “gordinho” perto do Ascend P6.

E falando do iPhone 5S, o Huawei Ascend P6 tem algumas semelhanças com ele. Na verdade ele parece muito com o iPhone 4/4S, pois este é bem fino e possui uma tela maior. A tela do aparelho possui 4,7 polegadas e tem resolução de 720×1280. Além disso, tem ainda a tecnologia LCD e IPS, que possibilita o melhoramento dos ângulos de visão.

Quem acompanha o setor de lançamento de smartphones, já deve ter percebido que há uma tendência de se lançar aparelhos que integrem um chip Qualcomm, que corresponde atualmente a quase 90% dos modelos mais avançados. Alguns poucos contam com o Tegra 4 da NVIDIA. No caso do Ascend P6, a Huawei decidiu ir por outro caminho e tratou de projetar seu próprio chip batizado de K3V2, algo bem ao estilo da Apple.

O chip foi fabricado pela HiSilicon. É um quad-core que roda a 1,5 GHz e conta com núcleos baseados no Cortex A9. Para a memória RAM são 2 GB de 32 bits em dual-channel. A GPU tem 16 núcleos de processamento.

De acordo com empresa, o foco é o baixo consumo de energia, otimização interna e eficiência por clock.

O Huawei Acend P6 está sendo colocado à venda pelo preço médio de R$ 1.400. O ruim é que o dispositivo não tem 4G e também NFC, mas nesse caso o preço deveria subir.

Em suma pode-se destacar como vantagens desse aparelho o bom desempenho para qualquer tipo de tarefa, uma bateria com autonomia acima da média e atualização garantida pela fabricante para a versão 4.4 do Android (KitKat).

Por Denisson Soares


A Huawei, de origem chinesa, é a sexta maior fabricante mundial de celulares, mas a empresa almeja subir três posições deste ranking até 2016. A estratégia da fabricante é divulgar ainda mais sua marca no mercado e expandir suas ofertas de tablets e celulares.

Segundo a Reuters, uma das principais estratégias da Huawei para alcançar seu propósito é produzir tablets equipados com o novo sistema da Microsoft, o Windows 8, já que a fabricante escolheu a plataforma da Microsoft também para seus celulares inteligentes.

Além disso, a companhia tem planos de investir 200 milhões de dólares em publicidade ainda este ano, valor esse que também foi gasto pela Nokia para divulgar o Nokia Lumia 900, que também conta com o Windows Phone como plataforma.

Shao Yang, vice-presidente de marketing da divisão de dongles, celulares e smartphones, afirmou que a empresa já contratou duas agências de publicidades, a Ogilvy & Mather e Bartle Bogle Hegarty, que ficarão responsáveis por comandar a campanha de divulgação da marca.

A grande concorrência de celulares está diminuindo as margens de lucro de algumas empresas, como é o caso da própria Huawei, que no ano passado teve uma queda de 6,5% em sua margem bruta de lucro. Por esse motivo, a fabricante resolveu então lançar aparelhos mais sofisticados, o que por sinal vem ajudando a empresa a dobrar o preço médio de venda de seus celulares em 2012.

Por Guilherme Marcon


O Huawei Ideo é um dos mais novos smartphones disponíveis do mercado. Ele tem tela de 2,8 polegadas e outras funções de um smartphone comum como bluetooth,Wi-Fi, GPS e câmera 3,2 megapixels.

Seu sistema operacional é o android 2.2, que também pode ser chamado de Froyo. Esta versão do SO da Google é consideravelmente atual e se for comparado aos smartphones de marcas mais famosas não fica muito desatualizado. O smartphone também é quadriband, ou seja, ele vai funcionar com o chip de qualquer operadora.

Seu processador tem pouco menos de 600 MHz, porém não deixa o aparelho lento ou algo do tipo, e executa com normalidade a multitarefa não ocorrendo travamentos no aparelho.

O modelo tem previsão de lançamento para o primeiro trimestre de 2011.

Por Oscar Ariel


No mercado de celulares e smartphones, a Huawei e ZTE, duas empresas chinesas, travam uma disputa particular. A principal diferença das duas fabricantes para outras gigantes do setor como Samsung, Nokia e Motorola é a possibilidade oferecer melhores preços que as concorrentes.

No Brasil, a ZTE já lançou alguns modelos de sucesso, e é mais uma a adotar os sistema Android em seus smartphones. Mas, pelo jeito, a Huawei não quer ficar atrás nessa briga e acaba de apresentar na IFA 2010 em Berlim, o smartphone U8150.

O pequeno aparelho tem tela sensível de 2.8 polegadas capacitiva, GPS, processador de 528 Mhz e roda o Android 2.2, também conhecido como Froyo.

Por enquanto não há datas de lançamento, nem notícias sobre preços. No entanto rumores apontam que este seria um modelo para ser vendido em mercados emergentes como o Brasil.

Por Maximiliano da Rosa





CONTINUE NAVEGANDO: