O novo modelo da Google deve ser lançado no dia 4 de outubro deste ano e conta com características surpreendentes.

Uma boa notícia para os usuários da internet. O chamado Google Pixel 3 está programado para ser lançado a partir do dia 4 de outubro deste mesmo ano. Algumas informações essenciais escaparam e podem dar uma ideia geral das características do dito Pixel 3 XL.

Em primeiro lugar, um pouco de informação básica: o chamado Google Pixel consiste em uma linha de diversos dispositivos eletrônicos destinados ao consumo e desenvolvidos por meio da própria Google, cuja função essencial está em executar o sistema operacional do Chrome OS ou do Android. Trata-se de uma linha que foi composta por meio de Tablet Pixel C, por meio de laptop Chromebook Pixel e por meio de smartphones Pixel.

Assim, voltando ao centro, a data de lançamento deste dispositivo, muito provavelmente, deveria ter sido revelada pela própria empresa Google, por um “acidente”.

Portanto, a companhia da Google deverá promover o lançamento da terceira geração de sua própria linha de aparelhos smartphones de tipo Pixel neste ano de 2018. Os modelos são o Pixel 3 e o Pixel 3 XL. A data provável desta estreia deverá consumar-se no dia 4 do mês de outubro de 2018. De acordo com uma listagem oficial, que teria sido elaborada pela própria plataforma da empresa, esta é a data oficial. No site especialista, Mundo Conectado, são apresentadas diversas ilustrações, imagens de captura de tela, que exibem como exemplo uma espécie de anúncio no Famebit, por meio de uma plataforma utilizada por diversas empresas dentro de uma meta de criar campanhas publicitárias junto aos criadores oficiais de conteúdos.

Todo o rumor produzido na internet, sobretudo no Google, é resultado de um suposto anúncio que teria sido elaborado pela própria empresa da Google (uma estratégia publicitária) o que poderia confirmar a data da chegada oficial destes novos aparelhos ao comércio. Junto a essa novidade, acrescenta-se, ainda, a primeira e a segunda geração destes dispositivos tipo Pixels, que já haviam sido lançados nessa mesma data, entre os anos de 2016 e 2017, de modo sequencial.

Deste modo, pegando carona em toda essa onda dos vazamentos extra oficiais de dados essenciais, surgiu, também, pela internet, uma curiosa relação sobre o Geekbench destinado ao dispositivo Google Pixel 3 XL. O chamado Geekbench consiste em uma plataforma de testes para performances cuja função principal está em manter o cadastro de todos os tipos de smartphones que já foram testados, no sentido de que possam ser realizados diversos comparativos, fazendo surgir, também, as suas características mais técnicas. No mesmo site, Mundo Conectado, diversas imagens capturadas em tela sobre o funcionamento deste dispositivo são exibidas como ilustrações.

Entre os atributos que fazem parte deste dispositivo, segue a descrição abaixo:

O chamado dispositivo Pixel 3 XL é apresentado como um aparelho munido de 4GB de memória RAM; com um processador equipado de 8 núcleos e operante por meio de função Android 9. Uma estatística sobre sua pontuação, obtida em um teste, e que não impressiona os especialistas que entendem muito do assunto, é normal para um aparelho tipo High-End que são os chamados Pixels. Deste modo, é possível que essa seja uma espécie de listagem elaborada no sentido de representar com um típico modelo de testes ainda não finalizado, ou, o mais provável, é que a própria empresa da Google tenciona direcionar essas informações para um mercado bem mais intermediário, dispondo de sua nova geração de smartphones.

As notícias sobre esse tema estão se multiplicando pela internet.

Por Paulo Henrique dos Santos


O Android P possui um sistema de navegação totalmente inovador, dando ao usuário uma experiência totalmente única.

Em um evento para desenvolvedores o Google lança seu mais novo sistema operacional: o Android P. Ele é um sistema novo desenvolvido para smartphones, a empresa promete que ele substituirá de vez o antigo sistema e já está a disposição para testes em sua versão beta através do link www.android.com/beta.

Por ainda estar na versão beta ainda não possui disponibilidade para qualquer tipo de aparelho, apenas aqueles com sistema mais leves conseguirão rodar o Android P. Mas é garantido que aparelhos dessas marcas rodem o sistema: Vivo, Sony, Xiaomi e Nokia.

O Android P possui um sistema de navegação totalmente inovador, dando ao usuário uma experiência totalmente única, o sistema de aplicação agora é unilateral não mais um em cima do outro como nas outras versões. Isso proporciona que o utilizador possa ter uma prévia dos app mesmo sem estar utilizando, podendo até interagir com o app sem tê-lo acessado. Podendo de fato facilitar que o usuário possa copiar e colar de um app para outro sem ter que abrir e fechar cada app.

Seu sistema pode deixar cinco apps utilizáveis de só vez, organizando de forma inteligente em ordem que você mais utiliza de cima para baixo podendo de fato facilitar mais para que possa acessar de forma instantânea seus apps mais acessados.

Possui também um outro sistema que organiza seu tempo de utilização para cada app, podendo assim estabelecer limite de tempo para usar seus apps. Podendo até evitar que extravase em algum app esquecendo assim de outras tarefas do dia a dia.

O avanço tecnológico está presente a cada modelo novo de celular, até mesmo de cada sistema operacional que é lançado, proporcionando as pessoas cada vez mais facilidade e comodidade para o uso pessoal, auxiliando e organizando cada dia mais a vida de todos.

Com isso temos uma troca acelerada de aparelhos, e com isso o descarte de aparelhos em ótimo estado, porém que suas funções não são tão eficientes quanto os novos que surgem. Uma dica importante é sempre pesquisar antes de realizar a compra de um aparelho novo, para que de fato tenha certeza de que o aparelho adquirido esteja suprindo todas suas necessidades diárias, podendo assim permanecer com o tal aparelho um período de tempo maior.

Muito importante é estar sempre antenado nas mudanças que a tecnologia sofre a cada ano, e que os aparelhos agregam de funções e facilidades a cada novo modelo, podendo assim escolher de maneira eficiente aquele que mais tem a ver com suas necessidades.

Com isso, a variedade em aparelhos e sistemas são infinitas dando um leque de opções muito vasto na hora da troca de aparelho, com isso saber o que realmente precisa e procura é primordial para não se arrepender em um período curto de tempo, muitos usam seus aparelhos apenas para entretenimento, já outros necessitam de algumas funções para trabalho, por isso saiba bem qual será a utilização do aparelho e busque exatamente tudo o que irá necessitar.

Agora é aguardar as próximas melhorias do Android P, por hora pode acessar o link deixado acima e baixar a versão beta para teste. Veja se será necessário a troca de aparelho ou se o seu próprio aparelho rodará o sistema. E já experimente essa nova tecnologia para saber se de fato ela suprirá suas necessidades de utilização.

Procure pesquisar e se informar para saber exatamente quais serão todas as melhoras daqui para a frente dessa nova tecnologia, podendo assim de fato decidir se vale a pena trocar o que está usando no momento, e até trocar se for o caso de aparelho para um que possa rodar perfeitamente o Android P.

Com certeza agora em diante os aparelhos serão desenvolvidos baseado nesse sistema operacional aproveitando tudo que ele possa oferecer de melhor, e os apps também serão projetados para uma experiência de maior resolução e desenvolvimento a partir do Android P, por isso, de fato se não quiser ficar para trás de mais esse avanço tecnológico é melhor correr e atualizar seu aparelho smartphone ainda hoje.

Por Ricardo Ferreira Rodrigues

Android P


Novo modelo da Google é considerado um dos mais avançados e modernos da empresa.

A Google lançou no mercado o smartphone Google Pixel 2, sendo considerado um dos mais avançados e modernos devido as suas funcionalidades e sistemas. Foi apresentando no dia 04 de outubro e o aparelho conta com o sistema Android 8 Oreo.

Além disso, também, lançado com a versão mais cara: Pixel 2XL. Um dos principais diferenciais, é que o Pixel 2 tem o primeiro chip elaborado pela Google, sendo uma unidade de processamento composta por 8 núcleos.

Google Pixel 2: conhecendo o smartphone!

Com tela OLED de 05 polegadas, o smartphone destaca-se pelas suas funcionalidades como, por exemplo, o LTE 4G, que possibilita uma excelente transferência de dados e navegação na internet. Desta forma, o usuário pode se divertir nas redes sociais, acessar os aplicativos, conferir o e-mail, notícias ou jogar games on-line.

Outro diferencial que ajuda no desempenho do aparelho é o processador octa-core Snapdragon 835 e a capacidade para memória interna, que corresponde a 128 GB. Porém, não é possível a expansão da memória no aparelho.

Você gosta de tirar fotos? Está sempre fotografando paisagens, baladas ou encontros com os seus amigos? O Google Pixel 2 tem câmara com sensor traseiro de 12,2 MP e frontal de 8 MP. Além disso, o celular tem a capacidade para gravar vídeos em 4 K com uma resolução de 3480×2160 pixels.

O smartphone é um dos mais finos do mercado, tendo uma espessura de apenas 7.8mm. Ele pode ser encontrado nas seguintes cores: branco, preto e azul.

Com bateria em 2.700 mAh, ainda não se sabe quando o aparelho estará disponível no Brasil e nem o preço. Ele foi lançado em outubro por US$ 649,00.

Google Pixel 2 XL: especificações!

O Google Pixel 2 XL foi lançado junto com o Pixel 2, sendo uma versão mais robusta e com um desempenho superior. Sendo considerado o topo da categoria, o smartphone conta com tela de 06 polegadas e a resolução é uma das principais e melhores do mercado: 2880X1440 pixel.

O alto desempenho é devido à presença do processador octa-core Snapdragon 835, além do sistema operacional Android 08 Oreo. Além disso, o Google Pixel 02 tem memória RAM de 4 GB e o armazenamento interno corresponde a 64 GB.

O usuário vai poder contar com uma alta capacidade de transferência de dados devido ao LTE 4G, ou seja, vai poder ter uma excelente navegação na internet. O smartphone também permite a conectividade por meio de Wi-Fi e GPS.

O aparelho também tem leitor de multimídia, videoconferência e bluetooth e a bateria do Google Pixel 2 XL corresponde a 3.520 mAh. Outro diferencial do Google Pixel 2 XL é a espessura, que mede somente 7.6 milímetros. Não é à toa, que faz parte da lista dos telefones mais finos que existem em circulação atualmente.

Para os amantes da fotografia, o novo smartphone da Google conta com câmara de 12.2 megapixel, sendo que a do sensor principal tem 12,3 MP e a frontal 8 MP. Desta forma, o usuário vai poder registrar cada momento com muita nitidez e compartilhar nas suas mídias sociais.

Ainda não se sabe sobre a disponibilidade ou o preço no Brasil, mas o valor de lançamento do aparelho, que ocorreu em outubro, foi de US$ 849,00, o que equivale cerca de R$ 2.660,00. Neste valor, não estão inclusos os impostos.

Ambos os aparelhos são considerados tops de linha e representam um dos melhores smartphones já fabricados e lançados no mercado, sendo ideais para qualquer tipo de utilização: seja no dia a dia ou para o trabalho.

O que você achou dos aparelhos lançados pela Google? Qual a sua opinião? Deixe o seu comentário!

Por Babi

Google Pixel 2


Rumores indicam que a Google deverá lançar o Pixel XL no dia 4 de outubro de 2016, com pré-vendas pela empresa australiana de Telecomunicações Telsra.

O lançamento do Pixel XL, da Google, esteve envolto em uma rede de mistério. E essa estratégia parece estar funcionando, já que muita gente está curiosa para saber mais detalhes do aparelho. Talvez outro motivo para todo esse alvoroço é que o smartphone será concorrente do iPhone7 e iPhone7 Plus. Ou seja, vem por aí um certo “embate” no mercado de celulares premium, disputado por duas grandes companhias.

Para diminuir esse sentimento, há rumores de que a Google deverá lançar o Pixel XL no dia 4 de outubro de 2016, com pré-vendas pela empresa australiana de Telecomunicações Telsra. Já a data definitiva para vendas diretas, deverá ser de 20 de outubro. O preço que o smartphone será vendido também é outro mistério, no entanto há quem diga que deverá ser próximo ao cobrado pelo Nexus 6P.

Até o momento, a Google não confirmou nenhuma dessas informações, o que fará com que a espera seja mais desesperadora para os fãs desse tipo de aparelho.

Algumas imagens e até mesmo a possível configuração do Pixel XL já estão circulando pela internet. Assim, é provável que ele tenha as seguintes especificações:

· Tela de 5,5 polegadas, com resolução de 1440×2560 pixels.

· Proteção com Gorilla Glass (versão não especificada).

· Sistema operacional Android Nougat.

· Processador Snapdragon 820.

· Memória RAM de 4GB.

· Armazenamento interno de 32GB, 64GB ou 128GB.

· Câmera de traseira de 12 megapixels, com detecção de face e autofoco.

· Câmera frontal de 8 megapixels.

· Bateria de 2.770 mAh ou 3.450 mAh (dependendo da versão)

· Leitor de impressão digital.

· Resistência à água.

· Possibilidade de ter diversas cores.

Como visto, o aparelho não irá rodar com Android puro, como acontecia com os modelos da linha Nexus. Por isso, provavelmente o Pixel XL contará com um sistema um pouco mais personalizado. Além disso, há indícios de que essa nova geração venha com o nome da Google, ou seja, sem a marca da HTC.

Bom, só nos resta aguardar para saber se o Pixel XL irá atender as exigências do público apaixonado por smartphones Top de Linha. Uma coisa é certa: será uma luta de gigantes, com um precinho salgado em terras brasileiras.

Por Camilla Silva

 

Google Pixel XL


Empresa planeja lançar um celular próprio para concorrer o iPhone.

Durante um bom tempo as pessoas têm se perguntado quando a Google irá começar a desenvolver um smartphone próprio. A resposta é que isso poderá acontecer até o final de 2016. Segundo o site do The Telegraph, há rumores de que a empresa estaria desenvolvendo um aparelho com sistema Android para ser concorrente direto da Apple.

A Google é conhecida pela sua alta tecnologia em softwares para a internet, o que a tornou uma gigante, sendo respeitada e líder nesse meio. Aos poucos, nos últimos anos, ela tem buscado se estabelecer em outros setores, utilizando de diferentes parcerias.

Novo smartphone seriam parte da Estratégia

Esse novo passo seria uma tentativa de firmar seu domínio no mercado de softwares móveis. A companhia estaria pensando que a variedade de empresas utilizando o sistema Android fragmentaria seus serviços. Essa seria, assim, uma forma de garantir a manutenção de seu próprio buscador e a Google Play Store.

Vale lembrar que o Android é atualmente o sistema mais utilizado nos aparelhos mais vendidos no mundo, enquanto a Apple ainda possui o maior lucro no mercado de aparelhos top de linha.

Manutenção de Parcerias

Mesmo com o lançamento do smartphone próprio, a Google continuará desenvolvendo outros aparelhos em parceria com marcas, como a LG, Huawei e HTC. Neste caso, ela estaria inclusive planejando a construção do sucessor do Nexus 6P, o qual deve ser lançado ainda neste ano no exterior.

O Nexus 6P não foi disponibilizado para vendas no Brasil, mesmo tendo sido homologado pela Anatel, mas é um exemplo bem sucedido lá fora. Criado em parceria com a Huawei, tem como um dos seus atrativos o sistema Android puro e especificações notáveis. Seu preço varia entre US$ 499 e US$ 649. Dessa forma, para quem deseja comprá-lo fora do país terá que considerar a alta do dólar e preparar o bolso.

Por outro lado, a Google pode enfrentar alguns problemas em solo europeu. A Comissão Europeia, em abril, acusou a companhia de abuso de monopólio e se aproveitar do sucesso do Android para promover seus próprios serviços.

Apesar desses rumores, a Google até o momento não se posicionou quanto a esses assuntos. Então resta a todos nós aguardar as novidades.

Camilla Silva


A empresa está trabalhando em um sistema para o reconhecimento de voz dos usuários offline, sem a necessidade de conexão com a internet.

A Google vem investindo no serviço de reconhecimento de voz e agora, para expandir ainda mais os serviços, a empresa estadunidense está trabalhando em um sistema para o reconhecimento de voz dos usuários offline, sem a necessidade de conexão com a internet.

O objetivo é criar algo que seja leve e rápido para os usuários e se encontra em testes no Nexus 5, permitindo que o usuário pudesse fazer uso do reconhecimento de voz sem nenhum tipo de conexão. A informação é proveniente de documentos liberados pela empresa.

Para se ter uma ideia, o aplicativo necessário para que o serviço pudesse funcionar, deve ter cerca de apenas 20.3MB, sendo que até o momento, lembrando que a função ainda está em fase de testes, o índice de erros nas palavras ditas pelos usuários, é de 13,5%, um número relativamente baixo para um serviço que está em testes e funciona sem conexão com a internet.

Para que o serviço seja possível, a empresa trabalhou nos serviços LSTM (Memória de Curto e Longo Prazo) e RNN (Rede Neural Recorrente), o que foi feito e ainda possibilitou um modelo acústico comprimido, menor que seu tamanho original, sendo o primeiro grande avanço nos testes realizados pela empresa.

O processo foi realizado com o recolhimento de mais de três milhões de interações dos usuários com o reconhecimento de voz da Google, algo em torno de mais de 2 mil horas de gravações, sendo que os desenvolvedores ainda utilizaram clipes de áudio do Youtube para poder aprimorar o serviço offline.

Ainda é necessário que a empresa consiga integrar a lista de contatos do usuário, ao aplicativo para reconhecimento de voz offline, já que alguns comandos irão necessitar de informações que vão do número ao nome de um determinado contato, bem como algumas informações. Por enquanto, ainda é possível fazer apenas tarefas simples com o aplicativo, como agendar uma tarefa.

A notícia é muito boa, visto que nem sempre os usuário possuem conexão com a internet para poder realizar algumas tarefas simples de imediato, por meio do reconhecimento de voz, embora, é verdade, nem todos os usuários fazem uso desse serviço atualmente, mas uma opção offline pode elevar o número de usuários que utilizam o recurso.

Por Paulo Henrique

 

Reconhecimento de voz

Foto: Divulgação

 


Projeto Ara, do Google, permite que o usuário customize o smartphone ao seu gosto.

O Projeto Ara, do Google, é um promissor do projeto que, caso venha se concretizar, realmente teria um enorme impacto no mercado de smartphones, já que se trataria da possibilidade de você customizar seu smartphone ao seu gosto, escolhendo desde a câmera do seu smartphone, passando pela bateria até o chipset, algo hoje ainda não presente e disponível no mercado, parecido com a opção de montar um computador, comum entre usuários que costumam jogar na plataforma.

O projeto havia sido adiado para 2016 e agora finalmente parece estar saindo do papel. Isso graças a um benchmark realizado pelo site GFX Bench, onde podemos encontrar um smartphone com o nome de Google Project Ara (A8A01), exibindo algumas configurações do dispositivo, entre elas, uma bem curiosa: o suposto tamanho da tela do aparelho.

Segundo o site, a tela do dispositivo trata-se de uma Full HD de 13,8 polegadas, algo que mais se parece com um tablet do que um smartphone propriamente dito. Porém, vale lembrar que a ideia do Project Ara é que o usuário customize seu dispositivo, haveria um limite para o tamanho da tela tão grande assim, a ponto do dispositivo praticamente ser um tablet?

Ainda segundo o site, o dispositivo conta com um chipset Snapdragon 810 de 1,9 GHz, 3GB de RAM e a placa gráfica Adreno 430.

Outros dois pontos curiosos, ficam para a câmera e para a memória interna do aparelho. Segundo o GFX Bench, o dispositivo conta com uma câmera principal de 5 Megapixels e uma frontal VGA, o que novamente leva ao questionamento: seria o dispositivo na verdade um tablet, visto que câmeras com essa resolução são comuns entre esses aparelhos?

Já a memória interna do aparelho, consta como 10GB e 25GB, algo também pouco comum no mercado. Mas novamente, vale o lembrete, a ideia do projeto é o usuário customizar seu dispositivo, ou seja, nada impede de que nos deparemos com algo assim, no futuro.

Ainda não se sabe exatamente quando o projeto realmente sairá do papel e será lançado, embora o benchmark seja um forte indício de que podemos ver isso acontecer em breve. Resta-nos aguardar.

Por Isis Genari

Projeto Ara

Foto: Divulgação


Google pretende fabricar sozinho sua linha de smartphones Nexus.

Há certo tempo atrás, ainda em 2015, começaram a surgir os primeiros rumores de que o Google gostaria de fabricar seu próprio Nexus, sem a interferência de outras empresas, como acontece hoje. Atualmente, o Google cuida apenas do Android nesses aparelhos, para ter a garantia de que o mesmo será puro (sem grandes alterações) e receba atualizações rapidamente, pelo fato de não precisar de tantas adaptações, por se tratar de um sistema puro.

Agora, esses rumores voltam a ganhar força na mídia, e dessa vez, as informações são do site The Information, que garante que o Google pretende cuidar sozinha da linha de smartphones Nexus, para ter maior autonomia no desenvolvimento do dispositivo e fazer os investimentos necessários para que, em pouco tempo, o seu smartphone esteja batendo de frente em vendas no mercado com o iPhone, da Apple, grande rival do Google e dos smartphones Android nesse mercado.

Ainda não há a certeza de que isso deva acontecer em breve, visto que, recentemente, também foi noticiado o interesse do Google em trabalhar em parceria com a HTC para lançar os smartphones Nexus no mercado, mas essa notícia parece mudar um pouco o cenário, e mostra que a empresa realmente está disposta a investir pesado e crescer ainda mais nesse mercado.

Outro fato que leva o gigante Google a pensar na decisão de produzir sozinho o Nexus, é a possibilidade de fazer parcerias com operadoras e varejistas para facilitar a venda do aparelho ao redor do mundo e conseguir maior custo benefício para seus possíveis usuários. A ideia seria aliada com outro projeto da empresa, o Projeto Fi, que é a operadora ''própria'' do Nexus, feita em parceria com outras operadoras.

Um rumor um tanto preocupante, é o de que o Google poderia optar por não lançar seu Nexus no Brasil, que como pode ser visto, não possui tantos usuários do smartphones exatamente pelo fato da distribuição em solo brasileiro não ser boa ou simplesmente não ser o foco. A Huawei prometeu lançar sua última versão do Nexus no Brasil, mas pensando no caso do Google, se a empresa realmente quer dominar totalmente o mercado internacional de smartphones com o Nexus, é possível que tal fato não passe de um rumor.

Por Isis Genari

Google Nexus

Foto: Divulgação


O pagamento foi feito à Apple para manter a barra de busca do Google como padrão nos dispositivos com iOS.

Nos dispositivos móveis, Google e Apple são rivais de mercado. O Google, com o Android, hoje, o sistema operacional Mobile mais utilizado do mundo, e a Apple, com o iOS, que concorre diretamente com os smartphones com o Android, com o diferencial de somente a Apple poder produzir aparelhos com o iOS, o que não acontece no Android, por ser um SO livre (Linux).

Porém, a ferrenha concorrência que ambas as empresas enfrentam no mercado, não as inibem de fazer negócios juntas, ao menos, algo parecido com isso. O Youtube, que pertence ao Google, está presente no iOS, o Google é o buscador padrão do Safari e US$ 1 bilhão saíram dos cofres do Google para a Apple.

O motivo? O pagamento foi feito para manter a barra de busca da empresa de Mountain View como padrão nos dispositivos com o iOS. O pagamento foi descoberto graças a um processo de 6 anos atrás, em 2010, da empresa Oracle contra o Google, que foi revelado recentemente pela Bloomberg.

Ao que parece, ambas as empresas gostariam que tal informação fosse mantida em sigilo, ainda mais pelo fato de no passado, o atual CEO da empresa da maçã, Tim Cook, ter duramente criticado o serviço de propagandas do Google em sua plataforma de pesquisas.

A decisão do Google em pagar para a Apple manter sua barra de pesquisa nos dispositivos com iOS, gerou polêmica na rede, não só pelo alto valor pago, mas também por muitos estarem acusando o Google de concorrência desleal, por estar pagando para usarem seu serviço.

Certo ou errado, é fato que muitas das grandes empresas fazem negócios ''debaixo do tapete'', para não ocorrer vazamentos como esse na mídia, que acabam por gerar polêmica.

Não se sabe até quando, tal valor pago é válido para o Google manter a preferência por sua barra de pesquisas ou mesmo os detalhes de tal contrato entre as duas empresas.

Por Isis Genari

Buscador do Google

Foto: Divulgação


Agora no Google Play é possível colocar créditos na sua conta por meio do sistema de recarga.

O Google Play lançou uma novidade inédita e bastante acessível. Agora será possível colocar créditos na sua conta por meio do sistema de recarga. O processo funciona de forma idêntica ao utilizado na compra de créditos dos celulares pré-pagos.

As vendas de smartphones no Brasil cresceram consideravelmente nos últimos anos. Esse fator deu aos brasileiros o segundo lugar em número de downloads de aplicativos e games no Google Play, perdendo apenas para os americanos.

Mesmo com esse cenário, muitos brasileiros, principalmente os mais jovens não dispõem de cartão de crédito ou vale-presentes para efetuarem compras no Google Play. Isso levou a empresa a desenvolver a estratégia de recarga no Brasil tendo em vista a tentativa de alcançar esse público.

O Gerente de Parcerias de Varejo – Cristiano Andrade – explicou que a nomenclatura que está sendo utilizada na divulgação é a mesma dos celulares para que o entendimento do público ocorra de forma facilitada e natural.

A opção de recarga já está disponível desde a semana passa, mas a divulgação em massa começou apenas agora. A contagem de estabelecimentos comerciais que oferecem o serviço já alcançou a casa dos 250 mil e inclui pequenos comércios, casas lotéricas, bancas de jornais e mini mercados. De acordo com a empresa, a intenção é conseguir aumentar esse número em mais 50 mil até o começo de dezembro.

Os valores disponíveis para recarga variam de R$15,00 a R$100,00. O funcionamento do processo é bastante simples, os usuários deverão informar aos atendentes dos estabelecimentos que desejam realizar uma recarga do Google Play. Feito o pagamento, o sistema irá gerar um código que poderá ser digitado no campo “resgatar” da plataforma para efetuar a compra de aplicativos, filmes, livros, revistas ou qualquer tipo de conteúdo pago.

O Brasil é o primeiro país do mundo que recebeu essa possibilidade, vários fatores contribuíram para a escolha do Google. A grande extensão territorial do país foi um deles, os vale-presentes não são comuns em locais mais afastados, pois costumam ser mais acessíveis em grandes centros urbanos. A porcentagem elevada de consumidores que utilizam celulares pré-pagos – 76%, segundo a Anatel, também contribuiu para a inserção da nova estratégia. 

Por Beatriz 

Google Play Recarga


Atualização do aplicativo traz diversas novidades e foca em estações de rádio.

O Google vem tentando correr atrás das concorrentes no streaming de músicas e lançou uma atualização para o seu aplicativo, o Google Play Music que chega com diversas novidades. Ele está disponível nos smartphones com o sistema operacional Android, que é do próprio Google e também no iOS que é da Apple.

De acordo com o chancelog emitido pela desenvolvedora (na Google Play), o foco dessas novidades são as estações de rádio. Isto porque, os usuários podem usufruir do serviço de voz dizendo o que está fazendo, sentindo ou querendo ouvir. Com essas informações, o aplicativo sugere a melhor estação de rádio do momento. Outra novidade são as estações de rádio baseadas em músicas, artistas ou álbuns.

Também desembarca ao aplicativo a opção para buscar estações de rádio com base tanto no humor, quanto na atividade do usuário incluindo gêneros e décadas, por exemplo. Agora, o Google possibilita a visualização das mais tocadas e também dos lançamentos, seguindo sempre a base de gêneros favoritos de quem está usando o serviço.

Para quem assina o serviço, tem a opção de ouvir sem limites, criar estações de rádios personalizadas a partir de qualquer música e receber recomendações personalizadas com base em gêneros musicais. Segundo o Google, o acervo conta com 50 mil músicas que podem ser acessadas em qualquer lugar e ainda de forma offline através dos favoritos.

Vale lembrar que com a chegada da Apple Music ao Android, o Google suportará podcasts de forma nativa sendo apenas necessário a empresa fechar as parcerias com os estúdios. A decisão deve acirrar ainda mais esse concorrido mercado que colabora drasticamente para a redução da pirataria no setor musical. Mesmo com a pressão dos grandes estúdios contra quem compartilha aplicativos mp3 piratas, os serviços de streaming oferecem serviços em conta e de qualidade, com acervos cada vez maiores e mais completos com mais liberdade a quem usufrui dos benefícios.

Por Leandro de Souza

Google Play Music

Foto: Divulgação


O novo recurso chamado de “Device Protection” é mais uma novidade da atualização do sistema operacional

Recentemente foi lançado o Android LolliPop 5.0 e agora o Google está preparando o Android 5.1 que traz atualizações importantes, aliás, o Android verdadeiro é o 5.1, o 5.0 foi praticamente uma versão teste que o Google lançou no mercado e, após receber reclamações, críticas e sugestões, fez o anúncio final e agora anuncia o LolliPop 5.1 com tudo que o 5.0 deveria ter.

E uma das novidades do Android LolliPop 5.1 é o seu recurso para bloquear o aparelho quando este for roubado. Oficialmente, o novo Android foi comunicado na segunda-feira (09), como sendo uma atualização para o sistema operacional que inclui o "Device Protection" um recurso muito bem-vindo para os mais descuidados, pois o "Device Protection" permite que o aparelho seja bloqueado quando ele for roubado, sendo desbloqueado novamente somente com sua autorização.

E nem adianta a pessoa que roubou seu aparelho tentar restaurar o sistema operacional, optando pelas configurações de fábrica, porque não conseguirá acessá-lo. A novidade também é muito bem vinda para os esquecidos de plantão, que vivem perdendo o smartphone e, junto com o aparelho, todos os seus dados.

O "Device Protection" poderá ser implantado em boa parte dos smartphones que rodam o sistema operacional Android, além dos tablets que tiverem o LolliPop 5.1. O Nexus 6 e o Nexus 9 são modelos já garantidos para oferecerem o novo recurso de segurança.

Outra novidade do Android 5.1 é a possibilidade do usuário compartilhar seu aparelho com outras pessoas, desde que ele autorize. Esta possibilidade se dá pelo fato do Android 5.1 oferecer suporte a mais de um cartão SIM em um único dispositivo que tenha mais slots para estes cartões.

E tem mais! O Google anunciou que as chamadas de voz terão alta definição para quem atualizar o sistema  operacional, que ainda traz melhoria quanto à conexão com redes Wi-Fi e também melhora todos os dispositivos conectados via bluetooth, pela configuração rápida, chamada de "Quick Settings".

Por Russel

Foto: divulgação


O gigante de busca na internet, Google, está trabalhando em uma nova versão para o sistema operacional Android, destinado de forma exclusiva à realidade virtual. Este mercado apesar de não contar com novidades ainda, tem sido alvo das grandes empresas que estão investindo pesado, pois elas acreditam que este é um futuro bem próximo e que é preciso já ir se preparando para não ficar para traz e como o Google sempre faz questão de sair na frente, o Android para realidade virtual poderá estar pronto bem antes do que se imaginava, pois os concorrentes também trabalham neste mesmo objetivo.

O Facebook, por exemplo, vem trabalhando com total prioridade para ter o seu próprio sistema para realidade virtual, assim como a Apple pretende desenvolver o seu sistema de realidade virtual para o iPhone.

Tanto o Google quanto as demais concorrentes, investem pesado no mercado de realidade virtual porque sabem que assim que estes aparelhos chegarem ao mercado a procura será muito grande.

O Google inclusive teria formado uma equipe com os melhores engenheiros exclusivamente para este novo sistema, de forma que ele fosse já lançado contando com total integração entre os dispositivos voltados para a realidade virtual, inclusive dispositivos que ainda serão lançados. A intenção do Google é contar com um sistema operacional que dê suporte a este novo mercado e já chegue com tudo que é preciso para dominar também esta área. A divisão exclusiva para o Android com realidade virtual é dirigida pelo competente Clay Bavor e conta com 10 engenheiros.

A meta é tornar este novo Android, compatível com os sistemas operacionais para possibilitar a conexão. Feito isso, os desenvolvedores poderão começar a trabalhar nos aplicativos. O Google já confirmou que o Android para realidade virtual será oferecido de forma gratuita.

Este mercado é tão promissor que o salão de videogames de San Francisco já apresentou com destaque novidades ligadas à realidade virtual. A Sony, por exemplo, já vai começar a disponibilizar no mercado seu óculos, o Morpheus, já a partir do próximo ano. A Microsoft já trabalha no projeto HoloLens, assim como a HTC que tem novidades na área.

Desta vez o Google sabe que não vai sair tão na frente assim e que a concorrência será grande, por isso o novo Android para realidade virtual deve ser surpreendente e sem bugs.

Por Russel

Android para realidade virtual


Uma nova versão do aplicativo gratuito Google Translate foi disponibilizada para os usuários e deve ajudar muito turistas de todo mundo. Com o update agora é possível transformar qualquer smartphone em um tradutor instantâneo.

O app dá a cada usuário a possibilidade de traduzir textos em centenas de idiomas. A nova versão permite que o usuário aponte o smartphone para qualquer cartaz, cardápio, receitas ou qualquer outro texto escrito em francês, italiano, alemão, português, espanhol ou russo para obter sua tradução em inglês. Segundo afirmou a equipe do Google Translate em um blog especializado sobre o assunto, "tornamos possível traduzir de forma instantânea um texto usando a câmera de seus smartphones, desta maneira é mais fácil, por exemplo, se orientar na zona rural italiana ou decidir o que quer comer em um cardápio em Barcelona".  

O aplicativo opera agora com o sistema Word Lens, que foi adquirido pelo Google ano passado quando comprou o Quest Visual, empresa fundada pelo programador Otavio Good. Tal sistema utiliza o modo de vídeo das câmeras dos smartphones para poder escanear as cenas, identificar o texto e depois projetá-lo como se estivesse escrito em inglês.   "É muito prático quando você olha o cardápio do restaurante, pode apontar (com o telefone) para o prato que deseja pedir", disse Good.  

Outro fator interessante é que o sistema funciona mesmo sem acesso à internet. O novo app também oferece aos usuários um modo de conversação que utiliza comandos de voz e o armazenamento na nuvem do Google para traduzir diálogo entre duas pessoas que falam idiomas diferentes. Para que esta função seja utilizada é preciso de conexão com a internet para que o app possa se conectar com a nuvem do Google.  

É esperado que a nova versão do Google Translate ajude não somente turistas, mas também professores, alunos, equipes médicas, policiais e outros setores com responsabilidades importantes em manter a ordem da sociedade. Certamente o aplicativo terá um uso em grande escala em plataformas culturais e no aprendizado de idiomas.


O Google lançou a atualização do seu Google translate, aplicativo disponível para plataformas IOS e Android, o qual vem revolucionar o mundo dos app para tradução.

O novo Google Tradutor vem equipado com uma ferramenta de reconhecimento de voz, que permite ao usuário uma experiência bem parecida com uma conversa no ato de traduzir. Para isso, o aplicativo faz uso microfone embutido em seu smartphone.

Outra novidade, a qual contribuirá muito para os turistas, é a chamada função Wordl Lens, que utilizando-se da câmera do seu smartphone, você fotografa o cardápio de um restaurante, por exemplo, e o app faz a tradução, mesmo não estando conectado à Internet. Segundo o site Tecnoblog, de acordo com informações do Google, a tradução instantânea por imagens funciona do inglês para alemão, espanhol, francês, italiano, português e russo (e vice versa), mas a empresa já trabalha para ampliar o número de idiomas e combinações suportadas.

Segundo o blog America Bits, integrante do The New Yor Times, a utilização de um scanner visual é bem familiar, lembrando da recente aquisição da Quest Visual pelo Google, cuja qual é a desenvolvedora da tecnologia.

Com a nova atualização, o tradutor do Google atinge a marca de 90 línguas disponíveis para a serem utilizadas com o app.

Segundo o blog Bits, em análise e testes ao novo aplicativo, o app funciona melhor com frases curtas e sem utilização de jargões. Sendo importante destacar que as traduções de áudio, o app leva um certo tempo para terminar o processo. No entanto, isso não é um ponto negativo, afinal desenvolver um aplicativo que reconheça automaticamente o idioma, considerando os sotaques e particularidades de cada idioma, constitui-se num enorme trabalho e desafio para desenvolvedores do ramo.

Com tal lançamento, certamente, as fronteiras postas pela Língua, aos poucos será quebradas, promovendo a liberdade e facilidade de comunicação a todos, num processo democrático.

Já é possível baixar o app. Se você usa o sistema Android, clique aqui. Agora, se você quer a versão para IOS, acesse: itunes.apple.com.

Por Thiago José Fernandes

Google Translate


Você já ouviu falar sobre a mais nova invenção do Google? Um smartphone desmontável, chamado inicialmente de Spiral 2. Seu diferencial está na possibilidade do usuário poder trocar peças e alterar módulos caso queira elevar o potencial das funções do aparelho. O smartphone será vendido por operadoras de celular.

Conforme últimas informações reveladas pelo Google, as primeiras peças desse aparelho modular, que possui componentes removíveis (com possibilidade de inclusão ou exclusão), começarão a ser comercializadas no segundo semestre de 2015 em Porto Rico. O anúncio ocorreu durante um encontro realizado para desenvolvedores do smartphone em São Francisco, Califórnia (EUA), na última quarta-feira (14).

Ao longo da conferência, foram divulgadas imagens da forma como possivelmente será o Spiral 2. A empresa não revelou as razões pelas quais Porto Rico foi escolhido para ser sede do piloto desse aparelho inovador. Foram firmadas parcerias com as operadoras OpenMobile e a Claro.

O Spiral 2 possui em seu esqueleto com peças encaixadas responsáveis por funções como bateria, câmera, visão noturna e sensor de movimentos.

Ainda hoje, o protótipo possui 11 módulos. Em sua primeira versão possuía apenas conexão Wi-Fi, atualmente dispõe de acesso à internet via 3G. O Google anunciou que até o momento de ser lançado em Porto Rico, haverá entre 20 e 30 desses módulos, distribuídos em 10 categorias distintas, sendo que o smartphone receberá sinais de 4G.

Inicialmente, o aparelho era desenvolvido no Projeto Ara, coordenado pela Motorola Mobility, área de celular que foi comercializada pelo Google para a Lenovo, no valor de US$ 2,9 bilhões. Devido ao seu atrativo, o Spiral 2 não estava incluso no pacote de ativos vendidos para a Lenovo.

Em abril do ano passado ocorreu o lançamento dos primeiros kits de desenvolvimento, com eles já era possível ter uma breve noção de como seriam os aparelhos. Na época, a empresa informou que o aparelho teria custo a partir de US$ 50 (cerca de R$ 112,00).

Por Rafaela Fusieger

Google Spiral 2

Google Spiral 2

Google Spiral 2

Google Spiral 2

Fotos: Divulgação


O Inbox é o aplicativo do Google que vem para substituir o Gmail nos dispositivos mobile. Ainda disponível apenas para quem receber convites, o app já pode ser experimentado. Basta pedir para algum amigo que já possua o serviço lhe enviar o convite.

Mas, caso você não tenha este amigo, você pode conferir aqui algumas das principais características da ferramenta.

A interface do Inbox não se limita apenas a substituir o Gmail. Incorporando o Material Design, este aplicativo é diferente de todas as plataformas de email que você já tenha visto. Ela tem características do Gmail, mas também traz alguns recursos do Google Now e de outras ferramentas do Google.

Antes organizado em diferentes caixas de entrada, o novo aplicativo agora conta com uma organização muito mais apurada, com diversos separadores, cada um com sua categoria de emails. A filtragem leva as promoções e anúncios para uma área de menor destaque, dando lugar na página inicial apenas aos emails de sua lista de contato.

Mas são as novas ferramentas que chamam mais a atenção, trazendo praticidade para o dia a dia, como a opção "Suspender", que aparece como opção a cada e-mail que você recebe.

Com ela, você pode suspender o aviso de recebimento do email, especificando a hora ou local específico para que o Inbox volte a alertá-lo. Quando chegar a hora ou local, o Inbox envia uma nova notificação e o email volta a aparecer no topo da caixa de entrada.

Essa é uma forma muito bacana de controlar a forma como você lida com o tempo em relação à leitura de email. É muito comum usuários esquecerem de ler alguma mensagem porque não podia abrí-la no momento em que a recebeu. O mesmo pode ser feito com os lembretes que você criar.

Outras ferramentas que foram integradas ao Inbox são os lembretes do Keep e as previsões do Google Now.

Por Daniel Cavalcante

Foto: divulgação


Os que possuem um smartphone Nexus 5 vemelho ou branco podem comemorar: o aparelho possui raridade e limitação para a coleção, devido a Google finalizar as vendas dos aparelhos, pelo que parece, permanecendo apenas as duas cores para serem vendidos.

O fato pode ser comprado pela Google Play, onde os modelos de 16 GB e 32 GB estão presentes para serem vendidos apenas com uma cor. As outras não estão disponíveis nas imagens divulgadas. Com isto, finalizaram-se os estoques do modelo padrão e não existe notícia sobre a reposição deles.

Este detalhe tem validade para os Estados Unidos e Reino Unido, enquanto em nosso país, a loja virtual do Google não vende dispositivos. No Brasil, o aparelho permanece sendo vendido em diversos estabelecimentos, incluindo os modelos vermelho e branco do aparelho.

Ainda não foi divulgada a razão do Google interromper a venda dos modelos, onde pode-se prever que a pequena procura e estoque podem ter levado a essa decisão da empresa.

Segundo o site Android Pit, o mesmo conseguiu notícias da empresa onde haverá a descontinuação total do aparelho, que poderá ocorrer em algum intervalo de tempo, uma vez que a Google pode estar somente aguardando a finalização dos estoques.

Isto retrata que o dispositivo será aprimorado em curto prazo, podendo também ser trocado pelos aparelhos mais recentes da linha, que são o Nexus 6 e o Nexus 9. Entretanto, não existem notícias relevantes a respeito disso até o momento presente.

Pelo que parece, através do Nexus 6 atual, o Nexus 5 anterior poderá parar de ser circulado. Uma empresa do Canadá removeu o dispositivo em sua página da internet, informando que o aparelho não iria mais retornar para ser vendido.

Ao ser indagado por um cliente que estava em dúvida, a companhia demonstrou ter informado que o modelo pode estar totalmente fora de veiculação.

Por Felipe Couto de Oliveira

Foto: divulgação


Fabricado pela Motorola juntamente com o Google, o phablet Nexus, foi apresentado em outubro de 2014 com recursos interessantes, como o sistema de carregamento Turbo Charger e um hardware bom. Entretanto, uma função foi retirada no último momento, poucos meses entes do lançamento do aparelho: o sistema de identificação por biometria. A identificação biométrica é usada para reconhecer pessoas por meio de características únicas de cada indivíduo, como a face, a íris e a impressão digital, fixando sua identificação perto da margem de erro zero.

Esse sensor de impressões foi identificado pelo site Arstechnica, que revistou os arquivos internos do dispositivo à procura de pistas. Pelo que parece, isso não é apenas um rumor, pois um protótipo avançado do phablet contava com a função e o Android Lollipop apresentaria integrações com esse recurso.

A empresa responsável pela biometria seria a Validity Sensors, uma das parceiras da Synaptics, que tem costume de fornecer a tecnologia para os fabricantes. Supostamente, o Nexus 6 seria a estreia desse recurso, sendo que as funções integradas incluiriam o escaneamento, identificação e remoção, utilizados na tela de bloqueio e acessórios de segurança.

Diferente de outros sensores, em que o dedo precisa estar imóvel em determinada posição, essa tecnologia envolve mais o deslizar do dedo na velocidade certa através do sensor, que a simples leitura (“swype” dos aparelhos Android). Os comandos do tipo “impressão digital lida rápido demais” e um que pede para que coloque apenas partes do dedo confirmam isso. Ao que tudo indica será mais atento a questão de furtos que simples leitura de impressão digital. Já tivemos situação semelhante, o Android 4.4 KitKat originalmente incluiria um novo API câmera mas não aconteceu. Porém, a nova API câmera veio na próxima versão do Android, 5.0 Lollipop. Mesmo que a função tenha sido rejeitada nessa primeira tentativa, pode não ser o fim concreto. O recurso pode ter sido apenas adiado para uma futura geração de aparelhos Nexus a ser lançada em 2015. Vamos aguardar.

Por Diovana Nunes Leite

Nexus 6

 

Nexus 6

Fotos: Divulgação


Não é de hoje que a Google trava uma batalha contra a pirataria. Também não é novidade que o The Pirate Bay, o maior e mais famoso site de torrents piratas, é perseguido.

Além de excluir de seus mecanismos de busca frequentemente links de conteúdo que infringe a lei de direitos autorais, a Gloogle tomou uma nova medida: excluir da Gloogle Play Store aplicativos relacionados ao The Pirate Bay.

Os apps "The Pirate Bay Proxy", "The Pirate Bay Premium", "The Pirate Bay Mirror" e "PirateApp", foram removidos da loja de aplicativos para Android, por "violação de propriedade intelectual e personificação ou comportamento enganatório", o que seria contra as Políticas de Conteúdo da empresa.

Porém, para "Gavin", desenvolvedor do The Pirate Bay Proxy, a remoção não fez muito sentido. Segundo ele, a ferramenta não faz nada que os navegadores já não ofereçam. Inclusive, o próprio Google Chrome.

Há de se admitir, no entanto, que a Google nem sempre toma decisões que prejudiquem sites como o The Pirate Bay. Há tempos que grupos e empresas que combatem a pirataria, como a DMCA e a BPI, enviam milhares de notificações, todos os meses, solicitando a remoção de links piratas.

Muitas vezes eles são atendidos, mas ainda hoje a página inicial do The Pirate Bay, apesar dos pedidos de remoção, continua aparecendo no buscador da Google.

Embora o site contenha milhares de links para download de conteúdo protegido por direitos autorais, para a Google, a página inicial não viola nenhum desses direitos. Ainda que ela dê acesso aos downloads.

Para os desenvolvedores dos aplicativos removidos da Google Play Store, essas duas atitudes podem parecer incoerentes. De qualquer forma, quem já possui os apps instalados poderão continuar utilizando sem problemas.

Os desenvolvedores estão agora disponibilizando o APK dos seus aplicativos em seus próprios sites para aqueles que ainda não fizeram o download.

Por Daniel Cavalcante

Foto: divulgação


O Google reformulou seu aplicativo de calendário, o “Google Calendar”, para ser lançado no dia 3 de novembro, mesmo dia de lançamento dos dois novos modelos da linha Nexus: os novos celular Nexus 6 e tablet Nexus 9. Ambos os dispositivos serão vendidos já com a última versão do Android rodando, o Lollipop 5.0, porém o novo aplicativo é compatível com todas as versões anteriores do sistema operacional.

A versão antiga do aplicativo era basicamente para adicionar e listar lembretes. Era preciso correr pelas listas em ordem cronológica, fazer buscas exatas com a data, nome do evento, pessoas envolvidas ou endereço do evento. A nova versão inclui três novas melhorias essenciais: a primeira é a sugestão de eventos de acordo com o que você está digitando na busca, assim que você começa a escrever. A segunda é a nova visualização da agenda, que permite ver um mapa com a localização do evento (com opções de visualização de fotos, visão periférica e ilustrações do local). Funcionalidades que irão “trazer mais beleza ao seu dia”, de acordo com o Google.

A terceira melhoria na verdade é uma novidade intuitiva, que tenta adivinhar e sugere detalhes para adicionar a um evento, baseando-se na interação do usuário com o aparelho. Por exemplo, se você pratica corrida todo dia em algum parque com um determinado amigo, o Google Calendar vai sugerir o local, horário e contato para o evento a partir do momento que você escrever a palavra “correr”.

A essência do aplicativo é, claro, os eventos gravados nele, porém agora ele junta informações do e-mail para tentar adivinhar e sugerir o que você vai fazer (ou pelo menos adicionar em sua agenda). Por exemplo, caso você receba um e-mail de uma companhia aérea confirmando um voo, o app irá adicionar automaticamente em sua agenda a data, horário e companhia, bem como atualizá-la em caso de atrasos.

O aplicativo, por enquanto, não está disponível para iOS, mas de acordo com o Google, seus desenvolvedores estão “trabalhando nisso”. Enquanto isso, apenas os usuários do Android podem experimentar as novidades.

Por Felipe Foureaux Freitas

Google Calendar

Foto: Divulgação


O Google lançou o Inbox by Gmail, um aplicativo para o Chrome, Android e também o iOS que oferece ao usuário uma interface bem mais intuitiva, com um visual inovador para a caixa de entrada e funciona exclusivamente para o Gmail.

Quando o Google lançou o Gmail, há 10 anos atrás, foi realmente uma grande revolução e agora o Google quer novamente revolucionar e por isto está investindo pesado no Inbox by Gmail, onde a leitura das mensagens é feita de forma diferente do que estamos acostumados. Na web, o Inbox by Gmail funciona somente no browser Chrome, mas como aplicativo, pode ser baixado tanto para o sistema operacional Android como também no iPhone.

Apesar de estar chegando ao mercado agora e mesmo passando por fase de avaliação, o Inbox by Gmail funciona sem falhas, causando uma excelente impressão. É claro que o processo às vezes falha, por exemplo, todas as mensagens relacionadas a um assunto do trabalho vão sendo relacionadas em um grupo. Mas o usuário poderá criar seus próprios grupos e acrescentar a este grupo as mensagens que desejar, de forma manual.

O aplicativo permite que o usuário consiga organizar de forma prática os seus e-mails e também as tarefas para o seu dia a dia, mas o aplicativo por enquanto, está disponível apenas para quem receber o convite.

E há 2 formas de você receber o convite para o novo Inbox by Gmail: você pode enviar um e-mail para inbox@google.com solicitando que a empresa lhe envie este convite, mas como são muitos pedidos, dificilmente você será atendido. Ou você pode solicitar este convite para um amigo que já esteja usando o Inbox.

Assim que você receber o convite, seja do Google ou de seu amigo, você deverá efetuar o download do aplicativo. O download deverá ser feito em seu smartphone e o acesso se dá, utilizando a conta cadastrada.

O próximo passo é ativar o serviço e assim poderá acessar o Inbox também pela web, através do site inbox.google.com.

Por Russel

Inbox by Gmail

Foto: Divulgação


O Google tem um novo lançamento na sua linha de tablets Nexus. A novidade maior não fica por conta da tela de 9 polegadas em si, mas pela fabricante do componente: a HTC. Vista como uma escolha incomum dada a ampla variedade de fornecedores de OEMs (sigla em inglês para fabricante de equipamentos originais) disponíveis.

A fábrica de componentes de Taiwan deixou o mercado de tablets há alguns anos atrás, mas reaparece com um Nexus de 9 polegadas que mais parece uma versão super dimensionada do Nexus 5, embora tenha o exterior bem diferente deste: aço escovado no lugar da carcaça emborrachada do 5.

O Nexus 9 tem um display de 8.9 polegadas, com 2048 x 1440 pixels de resolução (longe do iPad Mini em relação à densidade de pixels), visualização 4:3 (ao contrário do widescreen do Nexus 7), e tem apenas 8 milímetros de espessura – um fio de cabelo mais grosso que o iPad Mini. Reforçado com um chip Nvidia Tegra K1 (192 núcleos, quad-core, 2,3gHz,) e 2GB de RAM, vem em duas opções de armazenamento, 16 e 32GB. A câmera traseira conta com 8 megapixels de resolução, enquanto a câmera frontal tem 1.6.

A pré-venda nos Estados Unidos do Nexus 9 começou na última sexta-feira, 17 de outubro, e os produtos tem previsão de chegar às prateleiras daquele país no próximo dia 3 de novembro. Os preços vão variar de US$ 400 para o modelo de 16GB, US$ 480 o de 32GB e um modelo de 32GB compatível com a rede 4G por US$ 600.

O tablet já vem com a última versão do Android instalada de fábrica, a Lollipop. Com poucas mudanças visuais, o novo sistema operacional continua com a tela inicial nos mesmos moldes, mudando pouca coisa nos aplicativos, como o Chrome, por exemplo, que tem as abas separadas como se fossem apps próprios. O gerenciador de bateria agora conta com previsão de quanto tempo ainda resta de utilização, e é esperado que venha com o novo kernel 3.10, que promete uma boa economia da bateria.

Por Felipe Foureaux Freitas

Nexus 9

Nexus 9

Fotos: Divulgação


Há duas alternativas que vêm crescendo, bem como as empresas que decidem anunciar em uma das ferramentas, as quais podem ser usadas como a forma principal de publicar um produto ou serviço ou como mídia alternativa. Há quem prefira o Google Adwords, mas o Facebook Ads tem conquistado bastante espaço e já superou o lucro de gigantes da internet, como o Yahoo.

O Facebook Ads permite a inserção de anúncios nas timelines dos usuários da rede social e desde 2011 já se mostrou eficiente, gerando lucros de mais de US$ 2 bilhões. O aumento do número de marcas que aderiram essa forma de publicidade na internet ocorreu pela facilidade em anunciar, os valores mais interessantes e a possibilidade de chegar a nichos específicos. Além disso, a rede social proporciona o canal direto entre a empresa e o consumidor, que podem trocar informações de forma rápida e eficiente.

No Google Adwords, os anúncios aparecem em forma de texto ou gráfico quando o usuário realiza uma pesquisa ou nos parceiros do Google. Ela é conhecida como rede de Displays e os anúncios são posicionados nas laterais ou na parte superior da página, não atrapalhando a navegação. É possível segmentar os anúncios de diferentes maneiras, podendo determinar as características do público-alvo, como idade, escolaridade e em quais palavras chaves consultadas o anúncio irá aparecer.

O Facebook Ads, os links patrocinados funcionam de maneira semelhante, mas apresentam uma vantagem, pois os anúncios podem ser exibidos de forma mais segmentada, conforme as ações do usuário e o que ele curte. Os anúncios podem ser criados para promover a página para que mais pessoas possam curtir seu conteúdo ou para que uma determinada publicação seja visualizada por mais pessoas.

O baixo investimento no Facebook Ads o torna mais atraente que a publicidade do Google e talvez seja esse o principal motivo para que mais empresas tenham aderido a este tipo de publicidade. A popularização da rede social ainda aumenta as possibilidades de divulgação, entretanto é preciso oferecer um conteúdo rico e com a linguagem adequada ao público-alvo. 

Por Robson Quirino de Moraes

Google Ads x Facebook Ads

Foto: Divulgação


Google lançou recentemente o seu mais novo smartphone de marca própria. Quase tudo que tem no Nexus 5 é top de linha, desde o seu processador Snapdragon de 800 até sua tela Full HD e claro, conta também com a versão mais recente do Android 4.4 KitKat (agora atualizado para 4.4.2)

Android 4.4 KitKat é um sistema operacional impressionante, que só traz na sua bagagem um melhor desempenho e mais recursos.

O aparelho não é barato. O seu preço se iguala aos de seus concorrentes. Seu design é simples, possui cantos arredondados e sua parte traseira é feita em borracha, agradável de segurar. Você não vê mesma classe presente no Samsung Galaxy S4, que usa material brilhante. Nem o metal e vidro que tão um toque elegante no Sony Xperia Z1 ou o metal presente no HTC One, mas o design do smartphone é elegante o suficiente para se igualar com os seus concorrentes.

O Nexus 5 possui uma tela de 5 polegadas com resolução de 1920 x1080 (resolução que aparentemente está se se tornando o padrão para smartphones high-end). Não foram encontradas falhas no painel IPS. 

Suas cores são agraveis de olhar, o texto é nitido, e a superfície da tela sensível possui uma leve resistência ao toque. Comparando com outros smartphones que possuem telas melhores, como por exemplo o  Nokia Lumia 925 com seu painel de AMOLED, o Nexus 5 tem menor contraste e suas cores são de menor saturação, mas também nada se compara a telas desta qualidade.

Seu processador é quad-core, e trabalha a 2.2GHz, esse smartphone leva a sério quando a questão é o desempenho ágil. O Nexus 5 completou o benchmark (teste para avaliar o desempenho e performance relativa de um objeto) o SunSpider e JavaScript responderam  em  apenas 706ms, mais rápido até que o Sony Xperia Z1. 

Com tais valores de referência, não é nenhuma surpresa que o Nexus 5 rode o Androi 4.4 perfeitamente. Folheando através dos menus, abrindo aplicativos e navegando entre as páginas sem muita hesitação ou travamento.

Por Jaime Pargan

Foto: divulgação


Uma empresa especializada em estudos e pesquisas sobre sistemas operacionais, principalmente com programas para aparelhos móveis, divulgou uma pesquisa com o iOS 7 e o Android KitKat no quesito de adoção desses sistemas operacionais pelos usuários e, o resultado foi uma distorção entre um e outro. O iOS 7 teve adesão de quase todos os usuários Apple, enquanto o Android KitKat está bem abaixo do esperado na utilização de seu gadget.

As plataformas analisadas demonstraram que a taxa de adoção e utilização do iOS 7 está entre 88% e 90%, que é um número que a marca Apple trabalha para atingir quando lança uma atualização de seu sistema. Já o Android KitKat está surpreendendo, só que de forma negativa. O KitKat, que tem versão 4.4 ou superior não consegue passar dos 8% de adoção, um número bem inferior ao trabalhado pelas marcas que utilizam o sistema.

A pesquisa divulgada ajuda os desenvolvedores das marcas a projetar novos aplicativos para seus sistemas e desempenhar novas atualizações para agradarem seus clientes. Os usuários da Apple demonstram ser mais determinados e fiéis, sempre experimentando novas ideias que a marca oferece. E vale lembrar que, quando os números são iguais aos alcançados pelo KitKat, é um grande desanimador para seus criadores, já que desenvolver um aplicativo para um sistema atualizado é totalmente diferente que criar um para a versão anterior, ou seja, é como se todo o trabalho do sistema lançado fosse por água abaixo e, criar um novo para agradar os usuários, são meses de testes e desenvolvimento, fora os gastos que muitas vezes são altos.

Contudo uma parcela dessa baixa de adoção do sistema Android também vem de desabilidade da própria marca. Isso porque muitos usuários querem fazer as atualizações, contudo, nem sempre o novo sistema está disponível para o dispositivo de todos os consumidores. O Android é uma plataforma que varia de modelo para modelo, o que dificulta a todos os usuários terem acesso as atualizações. Às vezes eles conseguem ter possibilidades para isso, mas bem depois de vários outros usuários que também usam Android.

O iOS 7.1 foi lançado no dia 10 de março, há pouco mais de duas semanas, e já está agradando a maioria de seus usuários Apple. Enquanto o Android KitKat tenta nadar contra essa infeliz surpresa.

Android KitKat

Foto: Divulgação

 


A Lenovo expandiu o seu mercado de smartphones comprando a Motorola, empresa que tinha sido comprada pelo Google em 2011. A divisão de celulares da Motorola foi comercializada pelo valor de US$ 2,9 bilhões, contudo, não atendeu as expectativas, gerando cada vez mais prejuízo ao Google. Para se ter uma ideia, o Google pagou US$ 11,5 bilhões pela divisão de celulares da Motorola, que tinha planos ambiciosos de produzir seu próprio celular. A intenção era de produzir aparelhos com Android original, também do Google.

O prejuízo só não foi maior porque o Google ficou com as patentes da Motorola. Em uma jogada de mercado, o Google comprou 5,9% das ações da Lenovo no mercado de Honk Kong, o que aumentou o valor das ações de ambas as empresas. A Lenovo, líder mundial na venda de PCs, deve produzir mais aparelhos com o sistema Android e também entrar mais intensamente no mercado americano. Pontos como a valorização da imagem da Motorola devem ser favoráveis, tendo em vista que o plano de negócio traçado pelo Google terá continuidade, mesmo com o novo dono.

Não há dúvidas de que a Lenovo pode ter problemas com a nova compra, como teve com a CCE, mas haverá mais benefícios, principalmente pelo número de clientes. Somadas, as vendas de celulares da Lenovo e da Motorola chegaram a 60 milhões de aparelhos, o que representa 6% do mercado. Dessa forma, a empresa passará a LG e a Huawei, ficando atrás somente da Samsung e da Apple, as atuais líderes de vendas mundiais.

O Google também concentrará esforços no Android, buscando inclusive acordos com a coreana Samsung. Mais informações sobre esses acordos e como a empresa sul-coreana vai se posicionar é algo que precisaremos esperar para saber. Espera-se que a transação de compra ocorra nos próximos meses, quando os órgãos regulatórios de concorrência dos EUA e da China aprovem o negócio.

Por Robson Quirino de Moraes


Muitos mistérios estão rondando os lançamentos do Google, tanto para a nova versão do Android, quanto para o Nexus 5, aparelho desenvolvido em parceria com a LG que trará a versão pura do sistema operacional mais usado no mundo, que agora terá a versão KitKat, que leva o nome do chocolate da Nestlé.

Poucas informações precisas foram disponibilizadas sobre o SO, contudo o Google já lançou algumas dicas quanto ao lançamento de ambos os produtos.

As dicas foram feitas por meio do Twitter do Google e dão a entender que o lançamento será feito no dia 28 de outubro deste ano. Na última semana, a companhia postou uma imagem no Twitter com a frase “Everybody dance now!” (todo mundo dançando agora), que faz referência à música do grupo C+C Music Factory, conhecida anteriormente como 28th Street Crew. Outra imagem foi postada com a frase “This is it”, referindo-se ao filme do Michael Jackson, lançado em 28 de outubro de 2009.

LG Nexus 5

Foto: Divulgação

Nenhuma informação oficial mais precisa foi divulgada, entretanto já é possível prever as configurações do Nexus 5. Ele será baseado no LG G2, equipado com uma tela de 4,9 polegadas IPS True Full HD, além de processador Snapdragon 800, memória RAM de 2 GB e câmera de 8 MP com estabilizador ótico.

Já do Android 4.4 KitKat é possível saber que ele consumirá menos memória que seu antecessor, isso por conta do kernel, além dos novos recursos de edição de imagem e visual mais atraente. Novas pistas devem surgir nos próximos dias. 

Por Robson Quirino de Moraes


Após a Samsung e Sony divulgarem suas versões de smartwatches, agora é a vez do Google mostrar ao mundo como será o seu gadget inteligente.

Segundo informações do site especializado 9to5Google o smartwatch do Gigante da Internet já está quase pronto e deve chegar logo ao consumidor. Se as informações estiverem corretas, o Google Now deve ser uma parte fundamental do aparelho que deve funcionar em conjunto com um smartphone, assim como o Galaxy Gear atualmente.

O Google Now é um assistente pessoal que se assemelha bastante com o Siri da Apple e já está presente na maioria dos smartphones com Sistemas Operacionais Android 4.1 ou superior.

Smartwatch do Google

Foto: Divulgação

Com ele é possível saber detalhes sobre a previsão do tempo, acessar a agenda do smartphone, criar compromissos, lembretes, dentre outros detalhes.

A utilização do sistema em um relógio deve ampliar mais ainda a funcionalidade do assistente e, se a companhia acertar na medida, pode inclusive superar as vendas dos seus atuais concorrentes Sony e Samsung. É importante também que a companhia observe os erros causados pela sua principal concorrente no ramo ao lançar o Galaxy Gear. Os consumidores não ficaram satisfeitos com o relógio inteligente da coreana que esquenta demais no pulso e é compatível apenas com o Galaxy Note 3.

Caso a empresa realmente ofereça algo útil aos consumidores, o trio Nexus 5, Google Glass e seu relógio inteligente ainda sem nome revelado devem ser grandes trunfos para vencer a forte concorrência.

Por Ebenézer Carvalho


A briga entre o Google e a Apple acaba de ficar ainda mais acirrada com as afirmações de Eric Schmidt, chefe do conselho da Gigante da Internet. A afirmação foi dada durante uma sessão de perguntas e respostas com analistas e fãs da empresa. Ao ser questionado por um analista da Gartner sobre a segurança do SO, o executivo foi direto à resposta e disse "Não é seguro? É mais seguro que o iPhone”.

A questão surgiu graças a uma dúvida recorrente que o consumidor tem sobre a segurança do Android em relação ao iOS e outros SO. Diversos sites especializados em tecnologia e segurança digital revelam que o Android é menos seguro e que os aplicativos disponíveis na Google Play são muito mais passíveis de virem contaminados que outros apps em lojas de concorrentes. Para piorar mais ainda essa situação, o site especializado em segurança de dados McAfee liberou recentemente um relatório que mostra que a grande maioria dos smartphones contaminados possuem o Sistema Android como base.

Após citar descaradamente o nome da concorrente, houveram algumas risadas no auditório e, então, o executivo do Google concluiu seu raciocínio falando sobre testes realizados, sobre a popularidade do SO e disse, finalmente, que o usuário iria ficar bastante contente em experimentar alguns apps como o Gmail e o Chrome no Android.

Por Ebenézer Carvalho


O gigante de buscas Google iniciou nesta semana a liberação da nova versão do Google Play Services. Uma das principais funções é a nova opção de alterar a senha de bloqueio dos aparelhos smartphones de maneira remota.

Essa talvez seja a principal alteração que o Google faz desde a estreia do Android Device Manager, em agosto, lançado com o objetivo de auxiliar os donos de devices Android a rastrearem e acharem qualquer aparelho vinculado à sua conta sem a necessidade de instalação de um aplicativo criado por desenvolvedores externos.

As novas funções não operam caso o smartphone esteja desligado ou sem bateria. A mudança remota de senha, portanto, fica inviável nesses casos. Mas, por segurança, ainda está ativa a opção para que todos os dados do aparelho sejam apagados automaticamente quando o aparelho for religado. Para isso, basta que a opção para marcar o aparelho como sumido esteja ativada.

A atualização vem sendo liberada pelo Google aos poucos através do Google Play Services. Para conferir se seu aparelho já possui a ferramenta disponível, basta acessar o painel Device Administrators, na seção Security das configurações do smartphone Android.

Por Jorge Souza


Google GlassCom o tempo, muitas tecnologias foram criadas e adotadas com a finalidade de facilitar o cotidiano, como o telefone celular: de um simples aparelho para troca de informações a verdadeiras centrais multimídias, que possibilitam a visualização de fotos e vídeos, acesso à internet, troca de mensagens, edição de áudio e imagens e outras tantas funções, que significaram uma evolução gigantesca em pouco mais de 12 anos, quando tornou-se popular.

Atualmente, mesmo em meio ao lançamento de um novo smatphone a cada semana, certa expectativa é criada em torno do Google Glass, o mais novo projeto da gigante Google. O óculos, segundo informações, permitirá acesso à internet, realização de chamadas e troca de mensagens, acesso a mapas via GPS, assim como os celulares, mas com o diferencial da comodidade acoplada aos óculos. Será como manter o telefone ligado em frente ao usuário enquanto estiver no rosto. 

Mas algo fica no ar: o recurso da realidade aumentada implica em que na sociedade?

Partindo do ponto de vista tecnológico, significa um avanço, pois a maneira como a comunicação é feita pode tomar outros rumos, ainda mais levando em conta as propostas de designs que algumas marcas oferecem, podendo o  usuário se comunicar com o mundo sem perder o estilo.

Do ponto de vista social, a mudança gera certo medo, pois a realidade passará a ser vigiada 24 horas por dia, 7 dias da semana, ininterruptamente. Qualquer conteúdo poderá ser disponibilizado à rede, a qualquer momento, de qualquer lugar. Será preciso agir com maior cuidado nas tomadas de decisão do cotidiano, pois atitudes como furar o semáforo, por exemplo, poderão ser vistas pelo mundo num clique, graças à captura de imagens do Google Glass, aliada à democracia que a internet propicia. Dessa forma, o conceito “sorria, você está sendo filmado” tomará um sentido quase vazio, pois o que antes era novidade, tornar-se-á algo comum, onde todos poderão ser filmados por todos, mudando apenas o ponto de vista ou perspectiva de quem adota o ângulo do receptor da mensagem.

Assim, conceitos antes vistos apenas no cinema serão trazidos ao cotidiano, e logo cairá por terra a frase em que a vida imita a arte.

Por Junior Almeida


Moto XApesar de já não ser mais um grande segredo, finalmente o Google e a Motorola lançaram o seu primeiro smartphone criado em conjunto: o Moto X.

No dia 1º de agosto, o novo Moto X foi apresentado oficialmente como um gadget de configurações razoáveis para o usuário regular, que não tem necessidade de um aparelho muito poderoso.

Um dos principais destaques do primeiro gadget Google-Motorola é o seu sistema X8 Mobile, que traz um conjunto de dois processadores que interpretam computação contextual somados a um processador Snapdragon S4 Pro com dois núcleos e 1.7 GHz. A capacidade de armazenamento interno é de 16 GB ou 32 GB e a placa gráfica permite a execução de vídeos Full HD, pois é a mais potente do mercado – a Adreno 320 com quatro núcleos.

O display do Moto X possui 4.7 polegadas e tecnologia AMOLED, junto da resolução HD, além de memória RAM de 2 GB, compatibilidade com 4G (superior a do S3), câmera na parte de trás com 10 MP, bateria de 2200 mAh, câmera na frete com 2 MP, conectividade Wi-Fi, NFC, Bluetooth 4.0, junto de GPS e entrada USB 2.0.

O sistema operacional do novo smartphone é o Android 4.2.2, sendo que uma versão será vendida como Google Edition, ou seja, com Android puro.

O Moto X chega aos Estados Unidos já neste mês custando a partir de US$ 199 (mais ou menos R$ 430) e na América Latina a previsão é que chegue no mês que vem.

Por Guilherme Marcon


Novo Nexus 10Tudo indica que em breve nós consumidores poderemos conhecer o mais novo Nexus 10. A notícia foi reforçada essa semana após um dirigente da divisão Android da famosa Google (Sr. Efrati) deixou escapar em uma entrevista que o Google, como muitos já especulavam tem sim reais intenções de lançar uma nova versão do Nexus 10 em breve.

A notícia foi divulgada esta semana pelo poderoso The Wall Street que repercutiu o caso com força total. A informação vem fixar o que analistas e especialistas já tinham como certo, uma vez que versões anteriores já haviam recebido um upgrade, caso do Nexus 4 que obteve uma versão branca e do Nexus 7 que ganhou algumas novas funções para conseguir sobreviver  diante das novas gerações que estão a caminho.

Na época de seu lançamento, o Nexus 10 até que emplacou bem no conceito do público, no entanto não gerou o resultado esperado no quesito vendas.

Com o suposto lançamento da nova versão do Nexus 10 tanto o Google quanto a Samsung visam apagar esse pequeno desconforto que tomou conta de seu smarthphone.

Infelizmente nenhuma data foi mencionada durante a entrevista e cabe agora esperar no escuro até a chegada do novo smarthphone.

Por Fernando Setoue


A Google já está acostumada em fazer parcerias com outras empresas para criar os modelos de sua linha de smartphone Nexus. Dessa vez, a empresa escolhida foi a LG, que conseguiu fazer muito bem feito o serviço.

O recém-chegado Nexus 4 conta com um design extremamente fluido e elegante, como já é a marca registrada da marca. O destaque da vez foi a parte frontal do aparelho, que não conta com nenhum tipo de botão físico, apenas é possível encontrar esses botões na lateral e na parte superior do aparelho. Outro destaque fica por conta de seu incrível design na tampa traseira, que traz uma  ilustração que reage a luz.

O smartphone ainda conta com uma incrível tela de 4,7 polegadas, que traz uma incrível qualidade de imagem. A tela também é protegida pela tecnologia Gorilla Glass, que protege contra tombos e arranhões. Na parte de captura de imagens, a câmera traseira consegue tirar boas imagens, principalmente com um novo “estilo” de software para captura de imagens.

O processador do aparelho consegue aguentar até as mais pesadas aplicações. Combinado ainda com os 2 GB de memória, o Nexus 4 consegue executar várias ações sem nenhum problema.

O preço do aparelho é de aproximadamente R$ 1.690,00.

Por Henrique Nicolau


O Google revelou as configurações técnicas do seu novo “brinquedinho”, o Google Glass.

Ele conta com display de 640×360 pixels, 16GB de memória flash (12GB utilizáveis), câmera de 5 megapixels, gravação em 720p, Wi-Fi b/g, Bluetooth, e uma bateria que aguenta (segundo o Google) "um dia inteiro de uso típico".

Vejam os detalhes:

  • Câmera: tira fotos de 5 megapixels e filma em 720p;
  • Conectividade: Wi-Fi b/g e Bluetooth;
  • Armazenamento: 12GB de memória flash utilizável, sincronizada com o armazenamento na nuvem do Google. Sendo 16GB no total;
  • Compatibilidade: qualquer celular compatível com Bluetooth. O app "MyGlass" requer um smartphone com Android 4.0.3 (ICS) ou superior. O MyGlass possui funções de GPS e SMS.
  • Bateria: "Um dia inteiro de uso típico";
  • Carregador: carregador e cabo microUSB inclusos;
  • Áudio: tradutor para condução óssea de som. Esta tecnologia emite o som com vibrações que se movem pelo crânio até o nervo auditivo. Assim sendo, em teoria você poderia ouvir claramente enquanto escuta os sons externos.

O app já está disponível na Play Store, mas só funciona nos EUA e só pode ser instalado no Glass.

Quanto aos apps do Glass, eles serão basicamente webapps, usarão HTML e JSON (derivação de JavaScript) para exibir textos, imagens e vídeos. Além disso, o Glass precisará estar com conexão permanente, seja por Wi-Fi ou 3G – usando o Bluetooth do celular.

O preço ainda não foi divulgado.

E então, curtiu o novo Glass? Compraria um? Deixe seu comentário!

Por Atila Felipe


Demorou, mas finalmente o smartphone Nexus 4 será lançado no Brasil. A Google disse que o smartphone pode ser apresentado ao público em um evento na próxima quarta-feira (27/03).  

A publicação será feita na sede oficial da Google em São Paulo (SP) e tem presença confirmada de Hugo Barra, um brasileiro que está na vice-presidência da divisão Android da empresa.

Ainda é um mistério o dia em que o Nexus 4 chegará às lojas brasileiras, o preço também é um segredo mantido pela empresa.  

Para termos uma ideia, nos Estados Unidos, o Nexus 4 com 8 GB de armazenamento interno de dados, é comercializado a US$ 299 através do site Google Play. O Nexus 4 com 16 GB é vendido por US$ 349. Os valores são subsidiados pela Google.  

Na Europa, mesmo sem nenhum desconto, pode-se encontrar o aparelho por preços que superam os 500 euros.

Se esta mesma situação acontecer aqui, teremos que colocar a mão no bolso para conseguir adquirir o smartphone.

Por André Barbosa


O logotipo do Google Nexus é o local onde se encontra o interesse real  para muitos clientes. Existe muita conversa do Google sobre o Pixel Chromebook, mas quase nenhuma conversa sobre a linha Nexus. Nunca ouvimos nada e enquanto isso, no ano passado, o mundo antecipou o lançamento deste dispositivo.

Lançamento do Nexus 4:

O Nexus 4 só foi lançado no ano passado, por isso é difícil de acreditar que vamos ter um novo dispositivo da linha. Já ouvimos falar de um "Nexus-como" dispositivo, mas receber um novo telefone com funcionamento Nexus não parece ser o curso certo de ação que os fabricantes devem seguir.

Desejo dos clientes para esse ano:

A aquisição de um Nexus 7, poderia fazer com que esse gênero progredisse muito mais, de acordo com muitas pessoas. Se o modelo do ano passado foi o Nexus 4, este ano poderia ser o Nexus 7 mais atual.  Ele seria mais fino, mais elegante, e com menos painel. E se tivesse uma opção de armazenamento de 32 ou 64 GB é certo que todos os clientes ficariam muito mais satisfeitos. No entanto, até o momento, o Nexus 4 atende muito bem aos seus usuários.

Por Salete Dias


No ínicio do ano passado a Motorola Mobility foi comprada pela Google e agora a companhia pode estar preprarando uma novidade para o mercado.

De acordo com os rumores, a fabricante pode estar desenvolvendo um híbrido de tablet e smartphone. As informações vieram do The Wall Street Journal e segundo ele, o novo aparelho se chamará X Phone e poderá ser revelado no segundo semestre de 2013.

O responsável pelo projeto é Lior Rar, o gerende de produtos da Google. Lior é especializado em mapas, um dos setores que o principal concorrente da Google ainda deixa a desejar. De acordo com a publicação do jornal, os novos aparelhos deverão trazer como diferencial um excelente software de imagens e uma câmera de ótima qualidade

Além disso, a Google pretende investir nas telas flexíveis neste novo projeto e também no acabamento em cerâmica, o que tornará o produto muito mais durável.  Caso os rumores sejam verdadeiros, será a primeira vez que veremos a Google tomar o controle total de um smartphone, juntando hardware e software de uma excelente maneira. 

Por Felipe Santos Bonfim


O Google divulgou nesta semana o seu mais novo produto que consiste em um novo aplicativo para ser usado no iPad.

A novidade é o Quickoffice gratuito para as empresas pagantes de seus serviços no Google Apps.

Com este app será possível a edição e criação de documentos no iPad vindos do Microsoft Office além da possibilidade de armazenar online arquivos e informações por meio do Google Drive.

Este lançamento do Google faz parte da guerra que está sendo travada entre o gigante de buscas e a Microsoft na plataforma de smartphones e tablets.

Para acirrar ainda mais esta competição, rumores continuam circulando na internet sobre uma possível versão do Office para rodar nos sistemas operacionais Android e iOS.

Por Ana Camila Neves Morais


As novidades do gigante de buscas Google não param e a notícia do momento é o lançamento no Brasil do Painel do Conhecimento que foi disponibilizado em maio nos Estados Unidos.

Esta opção permite a resposta às perguntas mais comuns em buscas feitas pelo Google na internet e fornece além da listagens tradicionais de links encontrados outras informações relevantes sobre o assunto desejado.

Fonte: IDGNow

 

Desta forma é possível navegar no painel do conhecimento apenas clicando nos temas apresentados, sendo que o mesmo já possui mais de 500 milhões de itens cadastrados

O lançamento do Painel do Conhecimento aconteceu, ao mesmo tempo no Brasil, Rússia, França, Itália, Alemanha, Japão e Espanha.

Por Ana Camila Neves Morais


Nesta última semana o Google divulgou um pacote com diversas novidades que serão inseridas no Google+.

A rede social do gigante de buscas terá novas possibilidades em aplicativos para Android e iOS como a possibilidade de editar perfis e receber notificações com relação à novidades.

Outra inovação está no suporte oferecido para Hangouts e para novas comunidades do Google+.

A área de Eventos também permitirá o envio de mensagens para convidados e ainda descobrir quais realmente leram o convite.

Por Ana Camila Neves Morais


O Google informou nesta semana, por meio do blog oficial da companhia, que irá iniciar a oferta do dispositivo Google Maps na loja de aplicativos da Apple.

A Apple até chegou a criar um serviço exclusivo de mapas para o iPhone 5, mas os usuários fizeram diversas reclamações como grandes erros geográficos e poucas opções disponíveis.

Com isso, o Google Maps agora poderá ser usado em qualquer modelo de iPhone ou iPod que possuir versões a partir do iOS 5.1.

Fonte: Reuters

Por Ana Camila Neves Morais


No dia 4 de dezembro, o Facebook disponibilizou uma atualização do seu aplicativo Messenger voltado ao sistema operacional do Google, o Android. Com o upgrade, o app passa a funcionar de forma muito parecida com o WhatsApp, em questão de mensagens gratuitas.

A atualização trouxe a possibilidade de os usuários se conectarem utilizando apenas o número do celular e o seu nome, proporcionando um serviço otimizado de mensagens gratuitas. Essa atualização acaba agravando, de certa forma, o rumor de que o WhatsApp será comprado pelo Facebook – e melhorado, é claro, ou até mesmo fundido com a rede social.

Além disso, com a novidade, o Messenger também permite que uma pessoa converse com outra que está em um computador, a partir do seu smartphone. Com isso, o usuário pode falar com qualquer um que estiver online no Facebook, mesmo sem ter uma conta.

O upgrade já pode ser baixado pelos usuários do sistema operacional Android, porém não há nenhuma informação do lançamento dessa atualização para o iOS e outras plataformas. Mesmo assim, vale ressaltar que o Facebook anunciou que nem todas as pessoas receberão o arquivo para download de início, pois isso acontecerá gradualmente.

Por Guilherme Marcon


A revista norte-americana Popular Science, referência na área de tecnologia, deu ao Google Now o prêmio de “Inovação do Ano”.

O Google Now consiste em um assistente pessoal, disponível no Android 4.1 Jelly Bean, que oferece informações variadas ao proprietário que são importantes para o dia-a-dia bem como facilita questões relacionadas ao clima, conversão de moedas e outros.

A premiação vem coroar o crescimento deste sistema durante o ano de 2012 sendo argumentado pela Popular Science como o primeiro assistente que consegue de forma efetiva antecipar as necessidades de seu usuário.

Com isso, é esperado que o Google faça mais aprimoramentos no seu assistente e que o seu volume de vendas aumente no ano de 2013.

Fonte: Engadget

Por Ana Camila Neves Morais


O furacão Sandy trouxe muitos transtornos a diversos segmentos, como à economia e também à tecnologia. Muitos eventos de lançamentos foram adiados por conta da tempestade. O Google foi uma das empresas que cancelou um evento que lançaria alguns produtos: um smartphone, um novo Android e tablets

Um fato curioso acabou por revelar um dos lançamentos. Nos Estados Unidos, uma pessoa encontrou em um bar um smartphone diferente, em que tudo indica que seria o Nexus 4, ainda não lançado. O aparelho foi entregue à polícia. Este fato mostrou detalhes do produto, entre eles, de que é de fabricação da LG. As vendas terão início no dia 13 de novembro nos Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha e Japão.

O smartphone Nexus 4 vem em duas versões, de 8 GB e 16 GB, tendo uma diferença considerável de preço entre os dois. O sistema operacional será o Android Jelly Bean, uma nova versão de alta tecnologia, entre elas uma que permite tirar fotos em formato de 360 graus através da câmera do aparelho.

O tabletNexus 10 é outro lançamento do Google que vem com inúmeras funcionalidades, como a possibilidade de criar diferentes perfis de usuários para o mesmo aparelho. 

Os preços dos lançamentos, ainda em moeda estrangeira, serão de US$ 99 para o Nexus 4 de 8 GB e US$ 349 para o de 16 GB. Já, o tablet Nexus 10, também em duas versões, de 16 GB, custará US$ 399 e o de 32 GB, terá o preço de US$ 499.  

Veja um vídeo dos lançamentos:

Por Monique Mota


Até pouco tempo atrás, o Google Wallet era muito limitado e por isso sua procura era muito baixa. Mas o Google resolveu investir também nesse novo software e o atualizou com as principais bandeiras de cartões. O anúncio da mudança foi feito no dia 1º de agosto, última quarta-feira.

Agora, o Google Wallet suporta bandeiras como Discover, Visa, American Express e MasterCard, tanto para cartões de crédito quanto para débito.

Mesmo com o upgrade, o Google ainda sofrerá um embate para que seu programa possa deslanchar de vez, que é o fato de ainda existirem poucos aparelhos com suporte à tecnologia NFC, necessária para se utilizar o Google Wallet. A princípio, a ferramenta “carteira” do Google só funciona em aparelhos com sistema operacional Android e deve permanecer dessa forma, já que a Apple supostamente irá lançar a sua própria versão para os seus dispositivos.

No Brasil, a tecnologia ainda não está em funcionamento e não há previsão para que isso aconteça. Ainda assim, o Pagseguro do UOL foi o primeiro a receber um aplicativo para a tecnologia Near Field Communication (NFC) no nosso país. 

Por Guilherme Marcon


O sistema iOS, da Apple, é mais lucrativo para o Google do que o seu próprio sistema. É o que comprova um documento protocolado pela própria gigante da internet.

De acordo com as informações divulgadas no estudo, os produtos desenvolvidos para o Android geraram uma receita de US$ 550 milhões, enquanto outros serviços desenvolvidos para o iOS (como o Google Maps) ou até mesmo as buscas realizadas pelos usuários do aparelho através do navegador Safari geraram um lucro quatro vezes maior.

Os cálculos apresentados foram feitos pelo The Guardian, que levou em consideração os números informados pelo Google e dividiu esse número pela quantidade de dispositivos que possuem o sistema Android.

Essa conclusão se deve ao fato de que quanto maior a navegação feita pelos usuários do iOS, maior é o valor cobrado para empresas anunciantes, já que uma das métricas usadas para compor esse valor é o número de páginas exibidas.

O documento serviu como uma forma do Google de se defender do processo movido pela empresa Oracle, que acusa a companhia de ter quebrado patentes do Java. Vale lembrar que a Oracle recusou um acordo proposto pelo Google no valor de US$ 2,8 bilhões, o valor foi considerado abaixo do satisfatório. Caso seja considerado culpado, o Google deverá desembolsar uma quantia de cerca de US$ 6 bilhões.

Por Joyce Silva


Anteriormente, os desenvolvedores Android sofriam um pouco para armazenar os dados quando estes excediam o limite de espaço de 50 MB que o Google havia imposto, pois precisavam armazenar por conta própria.

Mas, a partir de agora, o Google resolveu facilitar a vida dos desenvolvedores e disponibilizou um aumento no tamanho máximo dos apps para 4 GB, uma enorme diferença. Além de atrapalhar os desenvolvedores, os usuários sentiam-se incomodados na hora de baixar os aplicativos e instalá-los, por causa dos simplórios 50 MB.

Com o novo sistema, os arquivos cuja extensão é .APK ainda terão o limite de 50 MB, porém o Google permitirá a hospedagem de até dois arquivos de expansão – cada qual com no máximo 2 GB. Isso também ajudará os usuários, pois os novos aparelhos, na sua maioria, já vão fazer o download dessas expansões automaticamente junto do app principal.

A maior preocupação com o limite antigo de 50 MB acontecia com os desenvolvedores dos games para celulares, que sofriam com o pouco espaço de armazenamento devido aos recursos de imagem e vídeo, pois a maioria dos aplicativos não tem grandes problemas para se manter abaixo do pequeno limite imposto anteriormente.

Essa atualização foca no aumento de tamanho constante das telas dos smartphones e tablets, que acabam, consequentemente, exigindo aplicativos maiores.

Por Guilherme Marcon


Pesquisa recente da comScore revela que, embora gigantes como Google e Apple continuem a brigar por mercado e por patentes, as duas ainda são as que mais vendem produtos no mercado norte-americano. Considerado como referência para o mercado global, as vendas nos EUA podem determinar o alcance de uma marca.

Em matéria de smartphones, ninguém bate nos produtos da Apple e nos aparelhos com o sistema operacional Android. Para trás, ficam nomes como RIM, Windows Phone e até mesmo o Symbian, da Nokia, que ainda insiste em dar seus últimos suspiros antes de desaparecer do mercado.

Segundo a consultoria, no período avaliado 40% dos assinantes de dispositivos móveis dos Estados Unidos aderiram à plataforma Android, enquanto que os smartphones da Apple atingiam a casa dos 26,6% do total de assinantes daquele país. Na sequência, encontram-se RIM (23,4%), Microsoft (5,8%) e Symbian, com parcos 2,0% da fatia desse bolo poderoso.

Tudo isso pode ser alterado a partir de setembro ou outubro deste ano, quando está previsto o lançamento do novo iPhone. Mas por ora, esses números, nos levam a compreender o porquê da recente união entre Microsoft, Apple e outras companhias, com o objetivo de comprar patentes estratégicas e assim impedir o crescimento acelerado do sistema operacional do Google. Resta-nos aguardar os próximos desdobramentos desse conflito. 

Por Alberto Vicente


Os proprietários dos celulares Nexus One e Nexus S agora tem uma boa notícia.

Isso porque a partir desta semana a Google irá liberar a mais recente atualização para o seu sistema operacional, o Android 2.3.4.

Entre as novidades desta nova versão está a possibilidade de realizar vídeochamadas através do Google Talk.

Além desta novidade, a nova versão também corrige alguns problemas que a versão anterior tinha, entre elas estavam as seguintes:

Nexus S: A versão antiga fazia com que o aparelho ligasse e desligasse sozinho, além disso os ícones de Wi-Fi também ficavam ligados simultâneamente (isso fazia com que ouvesse uma tremenda confusão para saber qual rede que estava em uso).

Nexus One: A nova versão do sistema corrige problemas com a navegação, além de melhorar a duração da bateria.


Se existisse um código de defesa dos consumidores de aplicativos móveis, sem dúvida, seria exigido um controle mínimo de qualidade e de segurança para todos os softwares disponíveis nas lojas virtuais.

Talvez tenha sido por conjecturas como essas que a Google tenha decido agir (não resolve tudo, mas já é um começo), anunciando que vai colocar em ação o já conhecido “remote kill switch”, ferramenta que emitirá aos usuários do Android comandos para desinstalar um aplicativo malicioso (entre os que a empresa classificar como perigoso).

De acordo com o que foi informado pelo Google Mobile Blog, será enviada uma “atualização de segurança do Android Market ("Android Market Security Tool march 2011)” para todos os dispositivos,  que possibilitará que o usuário afetado receba “um e-mail do serviço de suporte do Android Market”, contendo as instruções necessárias para se livrar do app danoso. Além disso, o usuário não será obrigado a acatar as recomendações dadas, podendo optar por continuar utilizando o aplicativo, quando então receberá um segundo e-mail de notificação.

Por Alberto Vicente


O Google, em comemoração ao aniversário de um ano do Google Translate para celulares que rodam Android, acaba de liberar uma versão de testes do aplicativo com a opção "Conversation Mode". Com ele, as conversas entre pessoas que falam línguas distintas podem ser traduzidas em tempo real.

Com isto, você poderá falar em português e alguém que fala italiano escutar a sua fala já traduzida, assim como o caminho inverso, a fala em italiano sendo traduzida para o português.

A função, por enquanto, está disponível somente em inglês e espanhol, mas, em breve, deve ser liberada para outros idiomas. A versão de testes apresenta algumas instabilidades e falhas em decorrência de ruídos do ambiente, velocidade da fala e sotaques

Por Guilherme U.


Depois do fracasso do Nexus One, a Google dá mais uma cartada no mercado de smartphones. Desta vez, o candidato é fabricado pela Samsung e se chama Nexus S. O modelo foi lançado no dia 6 de dezembro de 2010 e integrará a família do Google Phones.

Além de ser um modelo atualizado do Samsung Galaxy, o novo smartphone roda nova versão do Android, a 2.3, chamada de Gingerbread.

Dentre as configurações, se destacam a tela AMOLED de 4”, câmera de 5 MP, 16 GB de armazenamento, suporte nativo ao Voip e um chip NFC, tecnologia que permite a utilização do aparelho como ferramenta de pagamento.  

As vendas começarão no dia 16 nos EUA pela loja Best Buy e o aparelho será desbloqueado. O valor para o Nexus S desbloqueado é de US$529.

Por Camila Porto de Camargo

Fonte: IDG Now!


Depois do fracasso do Nexus One, a Google mostra que não desistiu do sonho de brigar por um lugar no disputado mercado de smartphones. Desta vez, a empresa pretende inovar e lançar um celular que realiza pagamentos. Estes aparelhos já são populares no Japão, onde o próprio celular funciona como um cartão de crédito ou débito.

A novidade foi lançada pelo CEO da Google, Eric Schmidt, no dia 15 de novembro. Ainda não há informações sobre a data de lançamento do novo aparelho, nem como ele será. Porém, a incorporação de ferramentas de pagamentos em celulares já é uma estratégia que outras fabricantes, como a Nokia, vem investindo há algum tempo, mas sem sucesso.

Por Camila Porto de Camargo

Fonte: Administradores


O Google a Verizon Wireless encerraram um acordo firmado poucos meses atrás, e a empresa de buscas anunciou que não oferecerá mais o seu smartphone, o Nexus One com planos para a maior operadora de telefonia dos Estados Unidos.

Não se sabe se isso tem a ver com uma possível mudança de estratégia em relação ao mercado, já que as vendas do telefone do Google, se não foram um fracasso, também não chegaram a ser excepcionais.

Embora analistas comentem que a empresa de buscas estivesse fazendo inimigos por ter decidido entrar no mundo da telefonia, o Google não confirmou se a medida tem a ver com a forte campanha que a Verizon estaria fazendo em torno do Motorola Droid, que o roda o sistema do Google.

De qualquer forma, essa mudança não terá impacto algum no fôlego financeiro da empresa, pois a sua receita vem quase que exclusivamente da publicidade.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: G1


Os tablets estão na lista dos “queridinhos” do mercado de portáteis. A empresa Google também está planejando lançar o seu. O tablet da Google deve rodar com o sistema Android.

De acordo com o The New York Times, o CEO da Google, Eric Schmidt, deixou escapar a informação em uma festa no início do mês de abril. O início das vendas do novo aparelho da empresa ainda não foi anunciado, mas deve ocorrer em breve, visto que as empresas concorrentes já têm o lançamento dos seus tablets marcado para este ano.

A Nokia, que deve lançar seu tablet em outubro, também está na briga pelo mercado, junto com a Dell, a HP e a Microsoft.

A íntegra da reportagem pode ser conferia no The New York Times

Por Diógenes de Luna


CeBIT 2010: Google integra-se ao CSM da CONTENS

Uma das novidades mais notáveis do CeBIT 2010, que acontece de 02 a 06 de março, em Hannover, Alemanha, é a participação do Google. A empresa apresenta a integração do Google Search Appliance (GSA) com o Content Manegament Sistems (CMS) da empresa CONTENS. É a primeira vez que o Google participa do evento.

O GSA do Google é uma ferramenta que oferece pesquisas mais refinadas e personalizadas para empresas. Com a integração das tecnologias, o acesso ao CONTENS torna-se mais rápido, relevante e seguro. Indexação de maior quantidade de dados e tipos de arquivos aceleram a performance do sistema.

A aplicação inova com a tecnologia Software-as-a-Service (SaaS) e cloud computing, e apresenta a “CONTENS cloud”. Desta maneira, apresenta-se uma solução que diminui custos de hardware, além de acelerar o processo de implementação do sistema, uma vez que o processamento e a alocação dos arquivos e dados acontece virtualmente.

O resultado da parceria pode ser visto no stand J32, no corredor 06, onde expõe a empresa CONTENS.





CONTINUE NAVEGANDO: