Os dispositivos ”vestíveis”, como ficaram conhecidos, sem dúvidas tomaram conta dos projetos das grandes fabricantes no setor de tecnologia.

Dentre as companhias que mais têm investido nesse meio, a Samsung obteve um destaque considerável com o Galaxy Gear, um relógio inteligente que não apenas trabalha em conjunto com smartphones da companhia, mas também possui um design bonito e combina bastante com o estilo fitness.

Sem dúvida as vantagens oferecidas por esse tipo de aparelho são enormes. Com o Gear, atualmente é possível receber as notificações do aparelho no relógio, atender a chamadas, medir frequências cardíacas, tirar fotos e muito mais. Apesar de ser um gadget bastante útil e de agregar um certo estilo ao usuário, o Galaxy Gear ainda sofre certa rejeição do público devido ao fato de funcionar apenas quando pareado ao aparelho celular. Dessa forma, ele funciona mais como um acessório da linha Galaxy e não como um relógio inteligente capaz ser autossuficiente.

A Samsung sabe dessa fraqueza e pretende mudar completamente a visão de smartwatches do mercado. Segundo o Wall Street Journal, a companhia sul-coreana já está testando um relógio capaz de receber diretamente o sinal de telefonia. Dessa forma, os gadgets não ficariam mais presos ao smartphone e sua utilização poderia ser bastante próxima daquela que vemos em filmes de ficção e espionagem.

Embora o Google tenha um sistema operacional Android exclusivo para relógios, a Samsung preferiu utilizar o Tizen, um sistema próprio da companhia. Ainda de acordo com o jornal, o lançamento deve ocorrer entre junho e julho deste ano.

A Samsung realmente não quer perder o mercado dos dispositivos vestíveis, já que é uma das poucas companhias que de fato possuem um aparelho que foi capaz de conquistar o consumidor. Sua principal concorrente, a Apple, ainda trabalha no seu próprio modelo de relógio mas ainda não se pronunciou oficialmente sobre o lançamento. 

Por Ebenezer Carvalho

Samsung Galaxy Gear

Foto: Divulgação


Os relógios inteligentes estão começando a tomar forma no mundo da tecnologia. Diversas companhias no mundo todo já revelaram seus planos para o desenvolvimento dos chamados smartwatches. No entanto, a Samsung foi a grande responsável pelo ponta pé inicial e anunciou para o mundo todo o Galaxy Gear, um relógio capaz de se comunicar com o Galaxy Note 3, tirar fotos, atender chamadas e até rodar alguns aplicativos.

Uma das maiores reclamações dos usuários diz respeito à utilização de aplicativos no aparelho, já que, oficialmente, ele é compatível apenas com alguns poucos apps, criados para funcionar exclusivamente no relógio. Como forma de contornar esse problema, um grupo de hackers conseguiu burlar as restrições impostas no aparelho e instalaram aplicativos comuns, desenvolvidos para smartphones no sistema do relógio. De acordo com o pessoal do site ArsTechnica, se o modo de depuração de USB for ativado, é possível modificar uma linha de comando do Sistema utilizando-se softwares exclusivos de programação.

Samsung Galaxy Gear

Foto: Divulgação

O site ainda revelou que não são necessárias especificações muito avançadas para  rodar apps no smartwatch. O gadget utiliza uma versão modificada do Android 4.2.2 e possui um processador de 800 MHz e 512 de RAM, suficientes para funcionar joguinhos básicos e outros apps que o usuário achar interessante.

É claro que nem todos vão sair por aí modificando configurações extremamente avançadas para rodar alguns apps a mais no aparelho. No entanto, é interessante saber que o relógio pode ser bem mais que um aquecedor de pulso super inteligente.

Por Ebenézer Carvalho





CONTINUE NAVEGANDO: