Nesta quinta-feira, dia 27 de dezembro de 2012, a Pew Internet & American Life Project divulgou o resultado de uma pesquisa interessante.

Segundo o estudo feito cerca de 23% dos entrevistados nos Estados Unidos estão preferindo ler livros digitais do que os modelos tradicionais impressos, sendo este valor maior do que os 16% registrados anteriormente.

Em contra-partida a quantidade de norte-americanos que lêem livros impressos ficou em 67% valor menor do que os 72% registrado na última avaliação.

Esta estatística combina com outros indicadores que mostram um aumento no número de dispositivos móveis como tablets e e-readers que facilitam esta situação; além disso, as bibliotecas estão iniciando a realizar o empréstimo de e-books.

Por Ana Camila Neves Morais


O Pentágono, departamento de defesa dos Estados Unidos, manteve a sua decisão e continua usando como smartphone o BlackBerry da empresa RIM.

Segundo o órgão, a escolha por este tipo de aparelho se deveu à sua maior segurança e praticidade quando em comparação com outros modelos como o Android e o iPhone.

Além disso, o BlackBerry tem a possibilidade de aumentar a memória de armazenamento de dados que não está disponível em alguns tipos de smartphones como os da Apple.

Por Ana Camila Neves Morais


A Kantar World Panel divulgou dados de sua última pesquisa sobre o mercado de smartphones nos Estados Unidos na qual a empresa Apple superou, pela primeira vez, as vendas do Android que pertence ao Google.

Neste levantamento foi identificada uma queda do Android nos Estados Unidos que agora corresponde a 46,7% do mercado contra 48,1% de vendas para produtos da Apple.

Este crescimento da Apple nos Estados Unidos ocorreu com o impulso dado pelo lançamento do iPhone 5, mas não se repetiu nos mercados europeus onde o Android é responsável por 64% das vendas e a Apple possui apenas 21% dos smartphones comercializados.

Fonte: Reuters

Por Ana Camila Neves Morais


Foi realizada uma pesquisa pela InMobi, uma empresa de anúncios para celulares, onde foi constatado que a população americana, em geral, gasta mais tempo usando seus respectivos celulares do que qualquer outra mídia – como TV ou rádio – durante o dia.

Outro fato importantíssimo constatado pela pesquisa é que o celular é a mídia que mais influencia na decisão de compra de 59% dos entrevistados. O resultado é surpreendente porque significa que as pessoas estão informando-se muito mais pelos seus telefones celulares e interessando-se muito mais pelos anúncios veiculados nos telefones celulares do que na televisão, que vem perdendo nessa disputa. Os computadores aparecem em último lugar influenciando a decisão de compra dos usuários.

Com o grande avanço tecnológico dos celulares e iPhones, eles tornam-se cada vez mais interativos, deixando-nos com vontade de utilizá-los seja para entretenimento (com os milhares de aplicativos e jogos), para efetuar uma comprar, acessar o e-mail ou procurar qualquer outro tipo de informação necessária – como mapas, endereços, sugestões de lugares, etc.

E você, quanto tempo gasta do seu dia usando o celular?

Por Matheus Camargo

Fontes: BusinesSinsider  e Inmobi


A dona de um iPhone 4 que não quis ter sua identidade revelada, contou ao site de tecnologia americano Mashable que seu smartphone explodiu a centímetros de sua cabeça enquanto ela dormia. Em entrevista ao site ela disse que acordou ao ouvir o barulho e sentir o cheiro que vinham do aparelho, o quarto onde estava ficou cheio de fumaça devido à explosão.

A usuária que estava viajando com o marido disse que antes de ir dormir havia colocado o iPhone para carregar  em uma das tomadas do quarto de hotel na Costa Leste dos Estados Unidos.

De acordo com o Mashable um eletricista esteve no local para verificar a rede elétrica do quarto de hotel, e após realizar alguns testes não foi encontrado nenhum problema que pudesse ter ocasionado a explosão do celular.

Segundo a vítima o iPhone que possuía foi comprado em uma das lojas da Apple no Estado do Colorado, e após o ocorrido a cliente teria feito algumas reclamações diretamente a Apple e só decidiu levar o caso a imprensa pois  a empresa se mostrou totalmente desinteressada pelo caso.

Por Guilherme Marcon





CONTINUE NAVEGANDO: