Quem possui deficiência auditiva fica limitado na hora de usar um celular para se comunicar. Exceto pelo serviço de SMS, os aparelhos têm pouca serventia.

Para resolver este problema, pesquisadores da Universidade de Washington estão desenvolvendo um aplicativo que permite a realização de vídeo-chamadas com foco no rosto e mãos do usuário, assim a transmissão ficaria mais leve.

O MobileASL ainda está em processo de desenvolvimento, mas segundo os testes realizados, ao focar na região das mãos e rosto, o aplicativo identifica que a pessoa está usando a linguagem dos sinais e consome menos energia. A vantagem do MobileASL é permitir uma comunicação mais rápida e efetiva entre pessoas com problemas de surdez.

Por Camila Porto de Camargo   

Fonte: R7


Os lançamentos de aparelhos de celulares hoje trazem maior comodidade para seus usuários. Já encontramos no mercado, por exemplo, telefones com teclas maiores direcionados aos idosos. Agora outra novidade está nas prateleiras para pessoas com dificuldades auditivas: o Amplicom M600.

O modelo apresenta compatibilidade com diversos aparelhos auditivos, o que deve agradar ainda mais ao público. Os seus ringtones também chamam muita atenção, de tão altos são comparados com as famosas “vuvuzelas”, vistas na copa do mundo.

Os potentes alto falantes do modelo podem amplificar em até 110db a voz. Ele ainda contém sensor de queda, e quando aparelho está caindo números de emergência antes programados são acionados. Para o mesmo fim ainda é encontrada uma tecla atrás do celular chamada “botão do pânico”. O M600 vem desbloqueado com opção de menu em nossa língua, e seu custo de mercado é estimado em R$330 reais. Mais uma boa novidade no segmento.       

Por Oscar Ariel





CONTINUE NAVEGANDO: