Conheça os 10 aplicativos que mais consomem bateria em aparelhos com Android.

A falta de bateria é um problema para quase todo mundo que tem smartphone. Quem usa sistema operacional Android, deve conferir a lista que fizemos dos 10 apps que mais consomem bateria.

Quais aplicativos no Android mais consomem bateria?

Se você está na vasta gama de pessoas que vivem reclamando que a bateria do celular acaba quando a gente mais precisa, está no artigo certo. Apesar de ainda não haver modos de conservar a bateria eternamente (quem nos dera, né?), existem hoje no mercado, algumas baterias mais potentes, opções de carregamento rápido, além de carregadores portáteis e afins. Mas a verdade é que ainda não existe uma forma mais eficaz de ter bateria do que gerenciando bem o seu aparelho.

Aplicativos abertos em segundo plano, planos de fundo interativos, alto brilho e alto contraste são apenas alguns dos fatores que podem fazer sua bateria ir embora rapidinho. Outro item importante a se pensar quando o assunto é economizar bateria, é o uso de dados, já que a internet mantém o uso e atualização constante e simultânea de diversas aplicações do smartphone. Gerenciar esses itens com atenção pode garantir uma vida um pouco mais duradoura para a sua carga.

Contudo, alguns aplicativos realmente consomem muito mais bateria do que outros, então confira agora a lista com os aplicativos que mais fazem uso da energia carregada em seu celular. Assim como serviços de streaming acabam com os dados quando limitados, por exemplo, pedindo conexões contínuas com a internet, jogos como o Pokemon Go, podem extinguir sua carga em menos de 3 horas.

Veja a lista dos 10 aplicativos que mais consomem bateria (além de memória e dados).

10. The Guardian

Apesar de não muito propagado no Brasil, esse aplicativo do jornal britânico traz notícias, podcasts, vídeos e afins.

9. Google Planilhas

Se você é adepto do docs da Google, deve saber que o celular demora para abrir as planilhas, além de esquentar para executar a ação.

8. Clean Master

Esse aplicativo pode ser uma surpresa para você nessa lista. Esse aplicativo é uma das maiores recomendações para quem quer liberar espaço no Android. Contudo, para usufruir das bênçãos que a aplicação oferece, é preciso estar disposto a pagar o alto consumo de bateria que o uso do utilitário acarreta.

7. SmartNews

Esse aplicativo é um compilado de notícias de diversas fontes norte-americanas, entre outros. Por pedir um alto consumo de internet, o app ficou em sétimo lugar nessa lista.

6. Tinder

Os encontros vão consumir sua energia. Literalmente. O Tinder conta com mais de 50 milhões de usuários e consome muitíssima bateria. Em listas anteriores, esse app não entrava. Sendo assim, credita-se o alto consumo de internet a alguma nova configuração.

5. Amazon Shopping

Apesar de não muito popular entre brasileiros, que geralmente optam por usar sites e plataformas no notebook ou outros aplicativos (como a OLX, por exemplo), a Amazon tem essas aplicações para compras que consomem bastante energia.

4. Line

Esse aplicativo é um mensageiro japonês, que disputa mercado com o Telegram e o Whatsapp, por exemplo. Ele consome muita bateria e quando usado em tablets e smartphones, pede mais recursos, sendo assim inferior aos concorrentes.

3. Wattpad

Para os leitores de plantão – ou escritores, o Wattpad tem grande utilidade. Com sua interface semelhante a do Facebook no quesito notificações, exige muitos recursos, por conectar tudo, como numa rede social.

2. Spotify Music

Olha o streaming aí. Para sua surpresa, o aplicativo não consome tanta bateria quando está sendo executado online. O segundo lugar dessa lista está destinado ao Spotify por conta do download de músicas.

1. Snapchat

Quando analisados os itens bateria, dados e volume de armazenamento, o Snapchat é campeão de consumo, possuindo a pior perspectiva. Apesar de funcionar com mensagens curtas e não duradouras, máscaras e elementos muito simples, o app não é nada inofensivo para o sistema de seu smartphone.

Esses levantamentos foram feitos pela Avast Software.

Por Carolina B.

Consumo de bateria


Isso acontece por que os aparelhos acabam não tendo capacidade de analisar com precisão o quanto ainda resta de bateria. Ou seja, os números que são vistos nem sempre representam com exatidão o quanto de carga ainda temos e sim uma estimativa.

Todo mundo já se viu diante da situação de estar nos últimos dígitos da bateria do celular, computador ou tablet. Quando se chega a esse ponto tentamos preservar o máximo possível até que possamos recarregar o dispositivo novamente. Mas não é que mesmo com um pouco de carga o aparelho desliga de uma hora para outra e só volta a ligar se o conectarmos a uma fonte de energia? Pois é, isso acontece com qualquer um. Porém, ao contrário do que alguns acham não se trata de um problema. Os dispositivos desligam mesmo contendo um “restinho” de carga devido a um comportamento completamente normal de seus componentes.

O motivo para que isso ocorra (segundo especialistas na área) é o fato de que os aparelhos acabam não tendo capacidade de analisar com precisão o quanto ainda resta de bateria. Isso quer dizer que os números que são vistos nem sempre representam com exatidão o quanto de carga ainda temos e sim uma estimativa feita pelo sistema operacional que, como sabemos, são baseados em algoritmos.

Para que fosse possível precisarmos com certeza o quanto ainda temos (de bateria) seria necessário que tivéssemos um sensor instalado no interior das células. O problema é que considerando os elementos químicos necessários para tudo isso mais os componentes elétricos misturados seria o mesmo que andar com uma espécie de bomba no bolso. Então, o melhor mesmo é ter o celular desligado do que ter ele explodindo.

Ainda existe uma outra razão para que o celular desligue. Com o tempo as baterias naturalmente acabam perdendo parte de sua autonomia. De acordo com o jeito como o usuário usa seu aparelho e até da quantidade de recargas que faz ela perde sua vida útil. Em contrapartida os algoritmos dos sistemas operacionais entram em atividade para compensar essa situação. O problema é que quanto mais o tempo passa, mas difícil fica para fazer a medição. Por isso temos a impressão de que quanto mais velho é o celular menos tempo ele fica ligado.

Por fim, guardar um pingo de carga é preciso para que o SO continue trabalhando. Sendo assim, ele mantém atualizados coisas do tipo os sistemas de inicialização funcionais, elementos internos a exemplo do relógio e etc., mas isso é mais comum em tablets e notebooks, o que não deixa os celulares de fora.

E só para fechar, com uma bateria zerada por completo os dispositivos basicamente não conseguiriam religar de novo isso porque até para recargar é preciso que o software funcione nem que seja em seu “último fôlego”.

Por Denisson Soares

Bateria do celular


5 smartphones com baterias duráveis disponíveis para venda no Brasil foram listados com suas informações e preços.

Cada pessoa escolhe um atributo indispensável para comprar um smartphone. Muitos consideram a bateria durável como um item necessário. Com o avanço de vários recursos tecnológicos, esse aspecto tem ficado cada vez melhor, reduzindo a perda de parte do dia tendo que aguardar o aparelho recarregar ou ficar em um lugar para utilizá-lo, às vezes desconfortável, enquanto essa tarefa é concluída.

Para te ajudar nessa escolha, listamos 5 smartphones com baterias duráveis disponíveis para venda no Brasil.

1 – Motorola Moto X Force:

A bateria do Moto X Force é de 3.760 mAh, podendo durar até 36h. Ele tem, ainda, como uma de suas principais características uma tela mais resistente e uma câmera traseira de 21 MP. Segundo informações do fabricante, ela não estilhaça nem trinca. Além disso, é um aparelho que pode ser customizado em alguns detalhes. É oferecido a partir de R$ 2.999,00.

Moto X Force

2 – Samsung Galaxy S7 e Galaxy S7 Edge:

De acordo com seu site oficial, a bateria do Samsung Galaxy S7 e Galaxy S7 Edge é de 3.600 mAh e, sem sombra de dúvidas, uma das melhores funcionalidades dos aparelhos é a compatibilidade com a câmera Gear 360, que produz fotos em 360°. O valor deles pode variar de R$ 3.799,00 a R$ 4.500,00. Já a câmera, é vendida por R$ 2.599,00.

Samsung Galaxy S7 e Galaxy S7 Edge

3 – Sony Xperia Z3:

O Sony Xperia Z3 tem uma bateria de 3.100 mAh, podendo ficar até dois dias sem recarga. Outro atributo interessante do produto é sua câmera traseira de 20,7 MP, com ISO 12800 para fotos e ISO 3200 para vídeo. Seu preço é de aproximadamente R$ 2.400,00.

Sony Xperia Z3

4 – Moto G4 Plus:

A Motorola costuma se sair bem nesse quesito e com o Moto G Plus 4 não é diferente. Segundo seu site oficial, ela dura o dia todo com seus 3.000 mAh. Além disso, é dito que o seu carregamento é finalizado em poucos minutos. O preço do aparelho é o mais acessível da lista: R$ 1.499,00.

Moto G4 Plus

5 – LG G5:

O LG G5 tem como uma de suas principais características uma bateria de 2.800 mAh, sendo ela modular e removível. Outro ponto forte do smartphone é que ele é todo revestido em alumínio. Está à venda por aproximadamente R$ 3.499,00.

LG G5

Fotos: Divulgação

Esperamos que com essas dicas fique mais fácil escolher seu próximo smartphone.

Você possui um desses aparelhos? Qual a sua experiência com eles?

Por Camilla Silva


Novo app para smartphones Android promete otimizar e melhorar a duração da bateria do aparelho.

Um grande problema enfrentado por usuários de celulares de todo o mundo é, sem sombra de dúvidas, o tempo de duração da bateria. A boa notícia é que você tem uma alternativa bastante interessante e que irá lhe ajudar na otimização desse item. Trata-se do aplicativo Power Battery – Battery Saver, um app para celulares Android que permite que o usuário gerencie e configure a bateria do seu aparelho para um melhor rendimento.

O aplicativo aqui destacado possui funcionalidades bastante interessantes. O mesmo informa quais são os programas que mais consomem energia e disponibiliza na tela de bloqueio o tempo restante de bateria, evitando que o usuário seja pego de surpresa. Dessa forma, o usuário poderá utilizar esse tempo para realizar as tarefas mais importantes naquele momento.

Assim que o aplicativo é aberto ele já disponibiliza informações como, por exemplo: tempo de duração restante da bateria, temperatura da mesma, bem como a possibilidade de efetuar a otimização. Com isso, será disponibilizada uma lista dos softwares que estão consumindo uma grande quantidade da bateria e a sugestão de fechá-los.

Uma das opções mais interessantes do app é “Modo de Economia”. A mesma está localizada no menu inferior. Por meio da mesma você encontrará a possibilidade de prolongar a bateria, seja encerrando alguns programas ou fazendo outros tipos de ajustes. Além disso, ainda existe a opção “Modo Inteligente”, cuja principal função é economizar a bateria por tempo, programas ou através de energia, sendo que o próprio app irá gerenciar as funções que o aparelho continuará executando.

Através da opção “Lista de Rank”, o usuário terá acesso a uma lista completa e detalhada dos aplicativos e programas que mais estão consumindo a bateria naquele momento. A lista contem informações como o percentual de consumo e detalhes sobre aquele programa ou app em execução. O Power Battery ainda oferece opções para ativar ou desativar, de forma rápida, as seguintes funções: Ringtone, Modo Avião, Wi-Fi, Vibrar, Dados, Rotação, Bluetooth, GPS, dentre outras funções.

Além disso, é importante destacar a interface inteligente e interativa, que acaba facilitando a vida dos usuários que utilizam esse aplicativo.

Como já destacado, este é um aplicativo destinado a usuários com aparelhos rodando o Android. Portanto, você pode encontrar o Power Battery disponível no Google Play.

Por Bruno Henrique


Foi realizado um teste para comparar o desempenho de autonomia do G5 com seu antecessor.

O LG G5 é o novo smartphone top de linha da sul-coreana LG, que chamou a atenção nas últimas semanas não apenas por sua qualidade mas também pela notícia de que a versão vendida na América Latina, será inferior a vendida no restante do mundo, o que decepcionou os usuários latino-americanos.

Outro ponto que decepcionou os usuários, é a potência de sua bateria, que conta com apenas 2.800 mAh, menos do que o LG G4, agora, o GSM Arena realizou um teste para comparar o desempenho de autonomia do G5 com seu antecessor, confira os resultados:

O GSM Arena realizou testes com a duração da bateria do dispositivo da LG, em diversas situações, para ligações 3G, o aparelho conseguiu autonomia de 17h38, com brilho de 200 nits, 7h35, brilho em torno de 50%, já para vídeos, a duração chega a 10h21. Os números podem ser considerados positivos, embora não seja um dos smartphones mais tops do mercado em autonomia, ainda mais se levarmos em consideração que o LG G5 conta com uma tela Quad HD de 5,3 polegadas.

Embora a tela do LG G4, seu antecessor, seja maior, com 5,5 polegadas também Quad HD, e uma bateria também superior com 3.000 mAh, seu desempenho ficou um pouco abaixo do G5. No G4, temos 16h40 de autonomia em chamadas, 7h54 em navegação na internet e cerca de 7h23 na execução de vídeos, este, destoando mais em relação ao G5, com 2h58 de diferença. Porém, se levarmos em consideração que o chipset do dispositivo, o Snapdragon 820 conta com 14nn, o avanço é considerado pequeno, o que acaba se agravando se levarmos em consideração que, um dos maiores se não o maior problema dos smartphones hoje, é a baixa autonomia das baterias, que duram apenas algumas horas.

Um detalhe interessante ainda sobre os testes, é que quando o modo Always On, que mantém a tela do LG G5 sempre ligada para que o usuário tenha acesso a informações como horário e algumas notificações, está ativado, o G5 conta com 4 horas a menos de autonomia em relação a seu antecessor no modo standby.

Por João Trajano

 

LG G5


Algumas ações fazem com que a bateria do celular dure mais tempo.

Atualmente, os celulares são cada vez mais utilizados pela população. Um problema que vem junto com esses aparelhos é a bateria, que em vários deles tem durado muito pouco. A bateria pode acabar no meio do dia, no meio de uma ligação importante ou justamente na hora que você mais precisa.

Confira aqui dicas para fazer com que a bateria de seu celular dure mais:

Confira se é realmente necessário que ele esteja ligado em alguns momentos. Se você estiver dormindo, por exemplo, e não pretende atender o telefone, procure desligá-lo. Essa é a forma mais eficiente de fazer com que sua bateria dure mais tempo. Se está em um área com pouco sinal e não irá utilizá-lo, desligue também, pois quando o sinal está fraco o aparelho tende a ficar continuamente procurando pelo serviço, e isso irá consumir sua bateria. Algumas baterias, quando continuamente recarregadas perdem parte de sua capacidade, e passarão a trabalhar até mesmo com só 50% do que tem a oferecer.

Quem passa muito tempo com o celular no bolso pode notar que a bateria acaba rapidamente. Isso ocorre por conta das trocas de calor do corpo com o aparelho, pois o calor acelera os processos químicos da bateria que fazem com que ela descarregue rapidamente.

Mantenha-o longe do calor. Além de descarregar com mais rapidez, os componentes internos de seu celular poderão ser seriamente prejudicados. O superaquecimento dele quando está carregando também não é normal e pode significar que o carregador está com problemas. Caso o aparelho superaqueça, o deixe na geladeira durante a noite desligado e ligue-o após uma hora.

Há diversas funções para customizar seu celular. As luzes de fundo, as vibrações, a lanterna, o Bluetooth, o flash, etc, todas essas funções consomem muita bateria. Verifique se você realmente vai precisar de todas elas e desative as que não são necessárias no momento.

O volume também consome bateria. Quanto mais alto, mais bateria irá consumir. Portanto, ajuste-o somente quando necessário. Se for usar o celular para despertar ou ouvir música aumente-o e logo após, quando já tiver utilizado essas funções, diminua-o.

A luz de fundo também pode ser ajustada para funcionar um determinado período de tempo, geralmente o suficiente para que você enxergue o que quer.

O Bluetooth é outra função que irá consumir muito a bateria. Além disso, também pode transmitir vírus e conteúdos que você não quer em seu aparelho. Portanto, mantenha-o desligado quando não for necessário. O mesmo vale para o Wi-Fi e o GPS.

Para não só aumentar a duração de sua bateria, mas também a vida útil dela, é necessário mantê-la longe de umidade, pois o aparelho poderá absorver e longe de metais. Limpe a parte que conecta a bateria no celular, pois com o tempo sujeira poderá ficar acumulada ali. Para a limpeza devem ser utilizados cotonete e álcool isopropílico. Use pouco álcool e espere secar completamente antes de fechar o celular.

Por Isabela Palazzo

Bateria de celular


Um aparelho que está fazendo bastante sucesso em arrecadações por meio do Kickstarter é o Kraftwerk. Para quem ainda não o conhece, saiba que este é um carregador portátil que possui como principal fonte de energia o gás. O equipamento já arrecadou ao todo US$ 1 milhão. Esse carregador portátil possui capacidade para recarregar iPhones e câmeras GoPro.

Uma das grandes vantagens desse aparelho é justamente a sua praticidade. Além disso, é importante destacar que o carregador consegue recarregar o iPhone por nada menos que 11 vezes. E caso o suprimento de gás do carregador acabe, não se preocupe, pois é possível recarregar em apenas três segundos. O mesmo é movido a gás tradicional como, por exemplo, o que é usado em isqueiros. O aparelho conta com refil infinito de bateria e dispõe de independência de semanas, como informa os seus desenvolvedores.

Uma das principais vantagens desse aparelho é quanto ao fato de o mesmo não necessitar de contato com fonte de energia elétrica. O aparelho conta com uma célula de combustível diferenciada. Segundo os desenvolvedores, essa célula é bastante eficiente, pequena, robusta e fácil de ser usada.

O carregador funciona de uma forma um tanto simples, pois de forma geral o que acontece em seu interior é a transformação de gás em eletricidade. Para utilizar o aparelho basta inserir gás através do tanque integrado. Sempre que precisar utilizar o aparelho o gás irá automaticamente para a célula e será transformado. O usuário deverá fazer a conexão entre carregador e aparelho através do plug USB.

Os primeiros doadores tiveram acesso ao Kraftwerk por US$ 79. Porém, o carregador sofreu alguns aumentos de preços, custando atualmente cerca de US$ 139. Vale ressaltar que a compra é uma espécie de pré-venda, pois os que efetuaram a compra na primeira remessa irão receber seu aparelho em dezembro de 2015. Compras efetuadas posteriormente serão entregues em fevereiro de 2016.

O processo de produção terá o seu início em março de 2015. Os testes oficiais deverão ser realizados em agosto de 2015 e o primeiro protótipo deve ser feito em novembro.

Por Bruno Henrique

Kraftwerk

Kraftwerk

Kraftwerk

Fotos: Divulgação


Se você utiliza seu smartphone com frequência durante o dia, deve encontrar dificuldades em mantê-lo funcionando com apenas uma carga em sua bateria. A autonomia de bateria dos aparelhos móveis tem sido o “calcanhar de Aquiles” de diversos modelos disponíveis no mercado.

Seja qual for o sistema operacional (iOS, Android, Windows Phone, Firefox OS, entre outros), todos precisam melhorar neste respeito.  

As atuais desenvolvedoras de softwares, as principais como Apple, Google e Microsoft, tentam fazer com que seus sistemas consigam gerenciar a energia dos aparelhos da melhor maneira possível. Mas nem sempre isso revolve o problema. Por isso, aplicativos de terceiros que otimizam a bateria dos aparelhos têm ganhado espaço no mercado. Um exemplo disso é o GREENiSCORE. Trata-se de um aplicativo que tem como objetivo aprimorar o funcionamento da bateria de aparelhos equipados com Android.

O GREENiSCORE sabe lidar com a tarefa de maneira diferente em relação a outros aplicativos da categoria. A partir de um formulário com dados coletados, o app detecta os hábitos do usuário e mostra soluções que ele pode adotar para usar melhor a carga disponível. O software também concede uma pontuação de acordo com a maneira com que o dispositivo está configurado. Ele também oferece vários perfis pré-configurados que realizam mudanças em seu aparelho de forma automática, sem que o usuário precise ficar ajustando pequenos detalhes manualmente.  

Você também pode obter informações sobre quais aplicativos estão consumindo mais energia de seu aparelho.

Atuando de maneira inteligente, o GREENiSCORE analisa seus padrões de uso e realiza melhorias automáticas conforme o tempo. Um sistema de insígnias é concedido ao usuário que adotar hábitos inteligentes que reduzem o consumo de energia. O app é gratuito, em português e sem anúncios e pode ser baixado na Play Store.

Se você tem problemas com a duração da bateria de seu aparelho Android, esta certamente será uma excelente opção para gerenciá-la.

Por William Nascimento

Greeniscore


A fabricante chinesa de celulares THL, acaba de anunciar uma novidade de interesse de muitos consumidores asiáticos, mas também do mundo inteiro; Um novo modelo de smartphone chamado THL 5000 que surge no mercado com uma bateria de 5000mAh – (mAh é a abreviatura padrão para miliampere-hora, usada para identificar a transferência de carga elétrica por meio de uma corrente estável de um ampere ao longo de uma hora), o que representa um dos maiores níveis do mercado atualmente.

O fabricante informa que a bateria é capaz de oferecer maior autonomia, flexibilidade e tranquilidade aos seus consumidores, já que não é mais necessário ficar observando a quantidade de bateria que ainda resta no aparelho celular, uma prática normal dos atuais consumidores do mercado de telefonia móvel, já que até o momento, nenhum fabricante disponibiliza uma bateria de longa duração, seja nos aparelhos mais sofisticados, ou nos mais simples.

A promessa é de que essa bateria seja capaz de oferecer mil horas do celular ligado em stand-by, ou seja, mil horas de bateria sem utilizar o aparelho; 47 horas de ligação; 11 horas de navegação por Wi-FI, 125 horas de reprodução de músicas e 11,6 horas de reprodução de vídeos.

O aparelho virá com o sistema operacional Android 4.2 Jelly Bean; tela de 5 polegadas, câmera de 13 megapixels, conectividade: 3g, Wi-fi e Bluetooth, 32 GB de memória de armazenamento, 2 GB de memoria RAM, e com uma espessura de 0,89 centímetros.

Infelizmente, ainda não existe previsão de quando essa nova tecnologia chegará no mercado ocidental, aparantemente a empresa está querendo concorrer com as grandes marcas do mercado interno da china, como por exemplo a ZTE e LENOVO.

O preço do aparelho na China será de US$ 299,00, o equivalente a R$ 598,00, ainda espera-se para saber se o produto chegará ao Brasil.

Por Igor Lima

Foto: divulgação


Sabe aquela coisa chata de estar na rua, em uma fila ou aguardando um amigo e enquanto isso você fica freneticamente mexendo em seu celular bisbilhotando as redes sociais para fazer o tempo passar, mas aí de repente seu celular descarrega a bateria e te deixa a ver navios?

Acredito que isso já tenha acontecido em algum momento com todos nós e é mesmo uma situação chata, pois dá a sensação de que estamos com pés e mãos atados sem saber o que está acontecendo ao nosso redor.

Pois é, a Microsoft, entretanto, parece ser a empresa a se esmerar em resolver esse nosso pequeno-grande problema criando baterias que durariam uma semana. Isso já era visto antigamente em aparelhos celulares, quando a onda dos aplicativos e o acesso à internet ainda não havia tomado conta dos nossos dispositivos móveis. Hoje em dia damos pulos de alegria e fazermos a maior propaganda quando nossos smartphones sobrevivem a um dia inteiro sem precisar ir para o carregador.

Segundo a Microsoft, entretanto, essa deficiência na durabilidade das baterias tem como culpado em boa parte, os fabricantes de aparelhos que não trabalham no desenvolvimento de hardware e softwares que consigam gerir de forma eficaz o consumo de bateria de nossos aparelhos.

Em virtude de seu posicionamento quanto a esse fato, a Microsoft também anunciou que está trabalhando para desenvolver seu primeiro aparelho que terá capacidade de duração de bateria por cerca de uma semana. Para isso a empresa usaria um sistema chamado de E-Loupe que seria responsável por um rastreamento do aparelho, a fim de identificar algum app que por ventura estivesse usando bateria de forma desordeira e trabalharia na diminuição deste gasto de energia.

Outra proposta da empresa seria também a troca de uma bateria grande, por duas baterias menores. Sendo que uma delas trabalharia na maior geração de corrente que seria ativa quando fosse demandada maior necessidade de consumo, como no caso de o usuário utilizar o celular para jogos, por exemplo. Já a outra bateria atuaria nos momentos em que o aparelho demandasse menor corrente, a exemplo de quando o telefone está inativo.

A empresa ainda está em fase de pesquisa sobre qual seria a alternativa mais viável, mas já podemos esperar que novidades surjam por aí.

Por Jaime Pargan

Bateria de celulares

Foto: Divulgação


Os smartphones são mais que celulares. Com a quantidade de funcionalidades que possuem, estes aparelhos podem  ser considerados até mesmo escritórios móveis, em que a tecnologia é usado para fechar grandes negócios. O desafio é fazer com que a bateria deles tenha uma boa duração, deixando sempre disponível aos usuários toda a tecnologia que tem para oferecer.

Além das questões office, os smartphones também são fontes de entretenimento, uma vez que oferecem vários recursos para baixar música, livros, games, editar textos, navegar pela interne,  monitorar a saúde, servir como lanterna, entre várias outras funções. Haja bateria para dar conta de tantas funcionalidades, não é mesmo?

Está na pouca durabilidade das baterias uma das principais reclamações dos usuários de smartphones, no entanto, alguns aparelhos de smartphones, de algumas marcas, já vêm com suportes importantes para que bateria tenha uma boa duração. São eles os HTC One M8 e o Samsung Galaxy S5, que trazem recursos eficientes para prolongar a durabilidade da bateria.

Certamente que aplicativos como esses devem elevar um pouco o preço do aparelho, mas, os usuários ainda podem encontrar alternativas com preços mais “em conta” que também sejam um bom suporte para que as baterias não deixem mais os proprietários de smartphones em apuros justamente na hora em que mais precisam.

O Battery Dr saver+a task killer é um suporte que ajuda a corrigir a identificar o que está prejudicando a duração da bateria; o Juice Defender é outro suporte que melhora o desempenho da bateria, já que ele reduz a velocidade do processador do smartphone quando está em repouso, entre outros.  

Além desses suportes já citados, há outros softwares que também podem lhe auxiliar na hora de poupar a bateria do seu celular, permitindo que ele não fique tantas horas presos ao carregamento na eletricidade, veja qual apps mais pode lhe ajudar nessa missão, escolhendo o que melhor se adequa ao modelo so seu aparelho e a marca do seu smartphone ou tablet.

Por Michelle de Oliveira


Na última quinta (10/04) a Nokia anunciou seu mais recentemente lançamento de baixo custo, o Nokia 225. O novo celular da companhia finlandesa segue a mesma linha com design clássico de seus aparelhos como, por exemplo, os modelos 1100 e 3310. As cores são bastante chamativas e o dispositivo apresenta suporte para dois chips de operadoras. Apesar de ser um lançamento de baixo custo este modelo é o mais fino da empresa com 10,4 mm e com uma tela de 2,8 polegadas.

O Nokia 225 é um bom aparelho para quem precisa apenas do básico. Ou seja, quer um dispositivo que tenha conexão com internet, mas também quer economizar não gastando muito dinheiro na compra de um smartphone. A principal novidade apresentada pelo Nokia 225 não está em seus aplicativos e no design e sim na bateria. Ela conta com 1200 mAh, com isso o aparelho consegue durar até 27 dias em standby. Claro que segundo os testes feitos pela própria empresa. Agora se o usuário ativar o reprodutor de música, por exemplo, a bateria chega a ter uma duração de 51 horas de reprodução.

Para o mercado europeu o preço sugerido para o Nokia 225 é de 39 euros. Em reais isso daria algo em torno dos R$ 120. A empresa não deu informações detalhadas sobre os planos de comercializar o aparelho no Brasil. Mas caso ele chegue aqui com um preço realmente em conta pode ser que se torne uma boa alternativa que como foi dito para quem precisa de um celular e não quer gastar muito ou ainda para quem precisa de um segundo aparelho que não o deixe na mão na hora de fazer ligações.

Com relação ao aparelho em si vale destacar a parte traseira do dispositivo que não apresenta emendas e também é a prova de água e poeira. O dispositivo também conta como itens pré-instalados no celular a loja Gameloft que traz cinco jogos disponíveis. O Facebook e o Twitter também estão presentes na tela inicial. No mais o Nokia 225 tem rádio FM, suporte para cartão microSD de até 32 GB e uma câmera de 2MP.

Por Denisson Soares

Nokia 225

Foto: Divulgação


O celular e/ou smartphone, sem dúvida são algumas das ferramentas pessoais mais úteis que podemos considerar na atualidade. Com esses dispositivos, podemos acessar emails, rede sociais, trocar mensagem de voz, quase que em tempo real, entre outros benefícios que alguns modelos e certos aplicativos possam representar.

Mas, muitas vezes os nossos amigos são esquecidos quanto aos seus carregamentos, ou utilizados até o último sinal de bateria disponível para utilização. Geralmente os games são o motivo maior de um descarregamento rápido da bateria.

Utilizar o recursos GPS e Wi Fi também estão entre os motivos que muitas vezes nos leva a fica na mão quando mais precisamos de uma bateria bem carregada. Ao carregar, também é necessário deixar que a carga se complete até o final, para que não possa comprometer a real durabilidade do principal acessório de qualquer dispositivo.

A porcentagem ideal para se manter a carga é na faixa de 50% e sempre. É recomendado deixar a bateria zerar uma vez por mês apenas, porém, não todas as vezes em que a mesma for carregada. Os caregadores atuais são  inteligentes e bloqueiam a transmissão excessiva de energia, em caso de superaquecimento decorrente do carregamento constante da bateria, e muitos fabricantes sugerem que os carregadores sejam retirados da tomada antes de completar os 100% total.

O calor é um dos maiores inimigos das baterias de lítio e mante-las resfriadas é uma ótima ação para garantir maior qualidade e tempo de vida. Mesmo que o dispositivo esteja em stand by, o calor pode alterar  o seu desempenho, caso seja dominada por calor excessivo.

Mesmo não sendo possível manter o dispositivo em locais frescos o tempo todo, existem algumas maneiras nas quais, se praticadas, reduzem esses riscos de aquecimento fora do normal. Por fim, o carregamento sem fio também foi apontado como um dos causadores da dispersão excessiva de calor.

Por Luciana Ávila

Foto: divulgação


Essa é mais uma daquelas histórias do tipo “contando ninguém acredita”. Ou melhor, que tal ver seu Galaxy S3 pegando fogo enquanto carrega? É estranho, mas foi exatamente isso que aconteceu recentemente com um sujeito usuário do Reddit. O membro identificado pelo c.name “xvizion1208” resolveu divulgar em sua rede social imagens do ocorrido. Em algumas das fotos é possível ver perfeitamente a tampa do smartphone quase que derretida por completo.

As informações que circulam na rede sobre o fato dizem que o tal usuário do Reddit acordou na madrugada com o cheiro de coisa queimada e quando foi se dar conta a fumaça estava vindo de seu aparelho. De acordo com o dono do smartphone, além do aparelho ter pegado fogo (ou o que só sobrou dele) já tinha feito um buraco no travesseiro. As consequências do incidente não passaram de um dedo queimado.

Com relação ao motivo do “autoincediamento” do aparelho nada foi comentado. Entretanto, como o smartphone estava carregando a suspeita é que a causa seja o superaquecimento da bateria: uma Li-Ion. Outra curiosidade é que diversos donos desse modelo de smartphone já fizeram comentários e reclamações sobre a temperatura do dispositivo principalmente quando o mesmo está sendo carregado.

Por Denisson Soares


A autonomia das baterias fabricadas com os materiais disponíveis no mercado sempre foi a pedra no sapato dos desenvolvedores de dispositivos móveis, como tablets, smartphones de notebooks.

A tecnologia evoluiu muito rápido nos últimos anos e as baterias não conseguiram acompanhar essa evolução, não é raro de se ver celulares de última tecnologia com grande capacidade de processamento estarem equipados com baterias que duram menos de 1 dia, tornando-se a necessidade de carregar o tempo todo um transtorno para os usuários.

No entanto, na última semana surgiu uma luz que pode colocar um fim no dilema das baterias. A universidade de Ilinóis nos Estados Unidos está em estágio avançado no desenvolvimento de minibaterias que serão muito mais potentes e com maior autonomia que as atuais.

Através de um novo arranjo no posicionamento dos catódos no interior da bateria, pode-se aumentar sua capacidade de armazenamento em até 30 vezes e reduzir seu tempo de recarga para uma fração do tempo.

A tecnologia ainda não está disponível para os consumidores, mas a necessidade do mercado e o interesse econômico envolvido nessa evolução podem fazer esse caminho ser percorrido mais rápido que o normal.

Por Bruno Hardt





CONTINUE NAVEGANDO: