Decisão da Anatel faz a Oi oferecer ligações gratuitas por meio de telefones públicos para telefones fixos locais em 15 estados brasileiros

De acordo com a própria Anatel, a Oi deverá oferecer ligações gratuitas a partir de orelhões em 15 estados e a decisão já estará valendo a partir do dia 15 de abril, sendo que as ligações são gratuitas para telefones fixos locais.

A Anatel – Agência Nacional de Telecomunicações – tomou esta decisão baseada no fato de que a Oi não conseguiu atingir a meta mínima de orelhões nestes estados onde agora, as ligações serão gratuitas.

Os estados que contarão com este benefício são: Alagoas, Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Sergipe.

A Oi informou que irá cumprir a decisão da Anatel, disponibilizando ligações gratuitas nos orelhões destes estados, desde que sejam ligações locais e para telefone fixo. Vale ressaltar que esta é  uma medida temporária, mas que continuará em vigor até que a Oi consiga disponibilizar nestes estados, todos os orelhões necessários, de acordo com os acordos prévios feitos entre a operadora e a Agência.

A Anatel informou que a disponibilidade de telefones públicos deve atingir a meta mínima de 90% em todas as unidades da Federação e para as regiões atendidas somente por orelhões, o patamar mínimo deve ser de 95%. No dia 31 de março, a Anatel fez uma medição em todo o Brasil, onde constatou que a Oi não conseguiu atingir o patamar mínimo nos estados onde agora está sendo obrigada a fornecer ligações gratuitas para os orelhões.

A Anatel vai tomar novas providências, para forçar a Oi a tomar uma providência contra o problema, sendo que a liberação das ligações é apenas a primeira medida tomada. No dia 30 de agosto deste ano, assim como nos dias 29 de fevereiro e 30 de agosto de 2016, serão aplicadas novas sansões, continuando a cada 6 meses.

A partir do dia 1º de outubro, nos locais onde o patamar mínimo de orelhões, ainda não atenderem as determinações da Anatel, a Oi deverá oferecer ligações gratuitas também para longa distância, feitas para dentro do Brasil. E no dia 1º de abril do ano que vem, estas ligações gratuitas serão estendidas para os telefones móveis que tenham o mesmo DDD. A partir de 1º de outubro de 2016, as ligações gratuitas também poderão ser feitas para telefones móveis com DDD diferente.

Por Russel

Orelhõees da Oi

Foto: Divulgação


É expressivo o número de pessoas que acessam a internet através de seus aparelhos smartphones. De acordo com a Teleco – empresa de consultoria especializada no setor de telecomunicações, o percentual de brasileiros que nos últimos anos passou a utilizar seus celulares para este fim é a cada dia maior.

Pelos dados levantados pela consultoria, observa-se que no ano de 2010 apenas 5% dos proprietários de smartphones utilizaram seus aparelhos para se conectarem na rede. Já em 2011 este número saltou para 17% e em 2012 a quantidade de pessoas que navegaram na internet através de seus celulares chegou a 24%. Em 2013 a quantidade de aparelhos conectados chegou aos 31% e a tendência é que o ano de 2014 apresente um acréscimo significativo destes números, já que apenas no último mês de setembro foram comercializados cerca de 5,9 milhões de smartphones no Brasil.

No entanto, seguindo na contramão deste crescente e rápido aumento do uso de internet nos smartphones, as operadoras de telefonia móvel não estão investindo na mesma velocidade para conseguirem suprir a demanda e as necessidades cada vez maiores de seus usuários.

Para Marcio Patusco, diretor e conselheiro do Clube de Engenharia, as empresas de telefonia hoje não estão preocupadas em melhorar e modernizar sua infraestrutura, mas sim em vender cada vez mais aparelhos celulares. Além disto, mesmo com uma quantidade tão grande de usuários, as operadoras insistem em oferecer aos consumidores pacotes de serviços caros e de baixa qualidade. O diretor afirma ainda que são necessárias punições mais severas às operadoras para que haja uma melhoria na prestação de serviços de dados e sugere como uma delas a proibição de venda de novas linhas até que as normas passem a ser cumpridas.

A Anatel – Agência Nacional de Telecomunicações – realiza um acompanhamento constante da velocidade de transmissão de dados que as operadoras disponibilizam para os consumidores e no último levantamento que aconteceu em setembro passado, constatou-se que em 95% das medições, a TIM foi a empresa que mais vem desrespeitando as normas da agência e está entregando aos usuários menos de 30% da velocidade contratada pelos consumidores. Esta infração foi constatada em 18 estados do país, mas outras empresas também foram pegas nesta aferição: a Oi vem desrespeitando as normas e os clientes em 11 estados e em um estado foi registrada esta mesma infração da Vivo.

Em caso de descumprimentos das normas vigentes do setor, a Anatel poderá abrir um processo administrativo contra as operadoras, podendo aplicar várias penalidades que vão de advertências e multas até a paralisação de alguns serviços prestados. Algumas multas aplicadas podem chegar a R$ 50 milhões por cada infração constatada.

Recentemente a Anatel criou um mecanismo capaz a ajudar os consumidores a fiscalizarem a qualidade e a velocidade da transmissão de dados e de serviços de voz disponibilizados pelas operadoras em cada município. Através deste sistema o consumidor pode comparar os serviços de cada uma das operadoras e escolher a que melhor atende às suas necessidades.

Através do site www.anatel.gov.br você pode acessar o aplicativo e verificar a qualidade dos serviços que as operadoras estão oferecendo para sua cidade. Este aplicativo também pode ser baixado e instalado em aparelhos smartphones.

Por André F.C.

Internet pelo smartphone

Foto: Divulgação


A Anatel – Agência Nacional de Telecomunicações irá impor novos compromissos para as empresas de telecomunicações nos meses de julho ou agosto. Quem afirmou foi o próprio presidente do órgão, João Rezende, que disse: “Estamos completando dois anos de cautelar em julho. Evidentemente há intenção da agência em estabelecer novos compromissos a partir de agosto”. A Copa também não ficará de fora, já que a Anatel pretende fiscalizar até o dia 30 de junho a ação das prestadoras para o mundial e ainda designar mais de trezentos servidores para acompanhar os serviços prestados durante o evento.

O presidente afirmou ainda que esses compromissos ainda não foram definidos, contudo serão estudados juntamente com a área técnica da Agência e não haverá restrições de vendas, como ocorreu em 2012. Na ocasião algumas prestadoras como a TIM ficaram impedidas de vender novos planos aos consumidores. Mais detalhes quanto aos compromissos não foram informados, entretanto o presidente afirmou que eles serão focados na qualidade dos serviços, sua cobertura e atendimento ao consumidor.

Outra questão que foi levantada refere-se à internet 4G que ainda não foi implementada no país, mas o leilão para que as empresas possam explorar o serviço acontecerá ainda este ano. O serviço de internet que será cerca de 10 vezes mais rápido que o atual 3G ainda é um mistério, mas o presidente afirmou que as metas estabelecidas pela Anatel deverão ser impostas em contrato. Resta saber se o serviço oferecido pelas prestadoras serão satisfatórios e se a 4G não ficará apenas no nome.

Quanto ao atendimento ao consumidor, Rezende afirmou que o SAC é uma dificuldade que ocorre devido aos call centers, que são terceirizados e acabam perdendo a qualidade. Ele ainda disse que não é apenas um problema das prestadoras e que outros órgãos, como os bancos também pecam quanto ao atendimento ao cliente via telefone. 

Por Robson Quirino de Moraes


Sabe quando você deseja cancelar um produto ou serviço das prestadoras e passa por um grande sufoco? Muita gente sofre com as prestadoras de telefonia, TV por assinatura e internet quando deseja cancelar o contrato. Isso porque as prestadoras insistem em perder o cliente, mas essa peleja está com os dias contados. A Anatel planeja modificar o regulamento para facilitar o cancelamento.

Segundo o presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), João Rezende, até o dia 15 de novembro a agência irá aprovar um novo regulamento que determina novos parâmetros para o atendimento aos clientes. O cancelamento passará a ser automático, sem a necessidade de passar horas falando com inúmeros atendentes nos Call Centers das empresas.

Anatel

Foto: Divulgação

"Vamos trabalhar nessa questão de trazer mais condições e poder ao usuário na relação com a prestadora de serviços", disse o presidente da Anatel. De acordo com o novo regulamento, o cliente que quiser cancelar os serviços de telefonia fixa ou celular, banda larga ou TV por assinatura poderá fazê-lo pelo Call Center da empresa sem passar pelo incômodo dos atendentes. Será necessário apenas digitar teclas e seguir as instruções da própria gravação dos teleatendimentos das prestadoras.

Segundo a proposta, a empresa terá até 48 horas para convencer o cliente da recusa em cancelar os serviços, oferecendo uma contra – proposta. Se o cliente não aceitar ele será desvinculado do serviço. 

Por Robson Quirino de Moraes


A primeira grande competição a acontecer no Brasil será a Copa das Confederações já durante o ano de 2013 e para garantir o seu bom andamento a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) irá realizar uma avaliação completa com relação à rede de conexão 4G no país.

Para isso, o órgão irá avaliar todos os dados relacionados à cobertura e transmissão desta rede e tem como objetivo a cobrança das operadoras de telefonia móvel para melhorar os seus serviços.

Esta avaliação se justifica porque, segundo a Anatel, o serviços de dados no país está muito abaixo do que as determinações legais com a exigência de que 98 em cada 100 conexões devem funcionar.

Além da qualidade na conexão, as empresas de telefonia serão cobradas com relação ao valor das tarifas para interconexão as quais devem chegar a R$0,16 em 2015 e a uma diminuição na cobrança para serviços de roaming nacional e internacional.

Fonte: Agência Brasil

Por Ana Camila Neves Morais


O presidente da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) João Rezende informou nesta quarta-feira – dia 12 de dezembro de 2012 – mais um acordo com as empresas de telefonia do país.

Neste compromisso, as operadoras de celulares se comprometeram a destinar mais 3,8 bilhões de reais para melhoria de suas atividades no período de 2012 a 2014 com um valor total de gastos de R$31 bilhões para este triênio.

De acordo com Rezende, estas mudanças ocorreram em virtude das exigências da Anatel de um plano de melhoria da qualidade de serviços e a suspensão de vendas de algumas empresas como a Tim e a Oi.

Apesar do aumento anunciado, a agência reguladora informou que novos acréscimos ainda podem ser feitos já que nem todas as operadoras mostraram seus investimentos revisados que podem ocasionar novas adições de recursos.

Por Ana Camila Neves Morais


Os números de telefones brasileiros ficarão mais extensos. No dia 25 de outubro, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgou uma portaria sobre a implantação do 9º digito, que agora atingirá todos os Estados brasileiros.

Desde junho, o dígito nove foi incorporado aos celulares do Estado de São Paulo e até  janeiro de 2014 também será implementado nos números do Rio de Janeiro e também no Espírito Santo. A meta da Agência é que a nova numeração esteja presente até 2016.

O número 9 será adicionado à esquerda do numero atual – atualmente com oito dígitos.
O sistema de nove dígitos foi adotado devido ao enorme crescimento da rede paulistana e de acordo com a Anatel, os números se exauririam por completo em sete meses.

Com a mudança na malha, a Agência acredita em um aumento de demanda  de 90 milhões contra os 44 milhões de números de  telefones celulares de antes. Há também a previsão do aumento principalmente para terminais eletrônicos (televisores inteligentes, além de modems).

Essa medida evitará eventuais ajustes em equipamentos e sistemas estilo PABX, agendas de contratos entre outros, o que acarretaria prejuízos para as empresas e os consumidores.

Por A.V.S

Fonte: Techtudo


As chamadas telefônicas de telefone fixo para móvel sofrerão reajuste, de acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). A Agência apenas deu cumprimento à decisão do Tribunal Regional Federal da 2ª Região. A medida do órgão foi anunciada na segunda-feira (dia 2 de abril).

A proposta de reajuste tinha sido pedida pela Telemar Norte Leste, mas tinha sido negada pela Anatel, com a justificativa de que a empresa não tinha levado em consideração no cálculo de reajuste o fator de amortecimento.

No entanto, conforme a decisão do Tribunal Regional Federal, os descontos oferecidos pela Anatel deverão ser imediatamente restabelecidos. Além disso, os valores de interconexão pactuados pela Telemar Norte Leste deverão ser restaurados. Em outras palavras, isto significa que a redução na tarifa não será mais aplicada aos consumidores, pelo menos enquanto a decisão judicial estiver válida.

A Anatel já recorreu da decisão proferida pelo Tribunal Regional e apelou ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). A proposta é baixar o valor cobrado pela tarifa.

A Telemar Norte Leste atende vários estados brasileiros, como Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, Alagoas, Sergipe, Paraíba, Amapá, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Ceará, Maranhão, Piauí, Pará, Amazonas e Roraima.

Fonte: Anatel

Por Matheus Camargo


A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) publicou no dia 27 de janeiro um aviso que comunica a inclusão do nono dígito nos números de celulares da área 11, ou seja, a capital e os municípios da região metropolitana de São Paulo. A medida, que passará a valer a partir de 29 julho desse ano, tem como objetivo ampliar os recursos de numeração.

O dígito 9 será acrescido no começo dos números atuais fazendo com que o novo formato dos números seja 9xxxx-xxxx.

O nono dígito deve ser acrescentado no momento da discagem para números de São Paulo, independente do local de origem da ligação. As ligações que forem feitas a partir de 29 de julho sem o nono dígito serão completadas por tempo determinado, até que todos os usuários se acostumem com a nova medida e não esqueçam mais o novo dígito.

De acordo com a Anatel "gradualmente haverá interceptações e os usuários receberão mensagens com orientações sobre a nova forma de discagem" e o prazo será de 90 dias a partir da data de implementação do nono dígito,  vencendo esse prazo, as ligações que não forem feitas corretamente não serão mais completadas.

A decisão, tomada em reunião realizada em dezembro de 2011, chegou a cogitar um novo código de área para São Paulo, como DDD 010, mas acabaram decidindo pela adição do nono dígito.

Por Bruna Franca


O ano ainda não chegou ao fim e a Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL) divulgou que neste mês de novembro o Brasil concluiu com 236,08 milhões de acessos a celulares, 19,51% a mais que o mesmo mês no ano passado.

No total, até o momento, foram 38,54 milhões de novas habilitações de telefones móveis.  Já em outubro, 4,45 milhões de novas linhas foram habilitadas, 1,92% a mais.

O país já tem 120,81 celulares para cada 100 habitantes, ou seja, mais celulares que pessoas!

A Anatel ainda divulgou outros dados:

– Até o momento 81,65% dos celulares são pré-pagos e 18,35% pós-pagos;

– Os Estados do Pará e Alagoas conseguiram ultrapassar o número de celulares por habitantes, e somente o Maranhão e o Piauí ainda têm mais pessoas que celulares, no momento. No entanto, a tendência é que os números continuem crescendo e a população também irá adquirir cada vez mais telefones móveis;

– A líder no mercado de celulares continua sendo a VIVO, com 29,6% do mercado, seguido da TIM com 26%, CLARO com 25,1% e por último a OI, com 18,9%.

Por Dorcas Rosicler Nunes

Fonte: Exame


Dados divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) revelam que após o término de janeiro, o número de assinantes do serviço de telefonia móvel chegou a 205,15 milhões. Estes números confirmam o fato de o país ser um dos maiores mercados do mundo no segmento.

A agência indica que o Serviço Móvel Pessoal (SMP), em janeiro, atingiu 2,2 milhões de novas assinaturas, ao mesmo tempo em que a teledensidade abrangeu 105,74 acessos a cada 100 habitantes. Do total de acessos registrados pela Anatel, 82,32% dos telefones em operação são de origem pré-pagada e o restante, 17,68%, pertencentes à modalidade pós-paga.

O sistema de internet 3G, também conhecida por banda larga móvel, ultrapassou 22,567 milhões de acessos em janeiro.

Os números só tendem a crescer a cada mês. As facilidades para a aquisição de um ou mais aparelhos, alguns deles dual-chip, e o maior acesso das classes sociais menos privilegiadas no sistema de telefonia móvel devem, em breve, fazer o setor adotar novas medidas para ampliar a capacidade de números disponíveis, situação realizada recentemente.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Anatel





CONTINUE NAVEGANDO: