Modelo S8 + é a versão top de linha do Galaxy S8, sendo o último lançamento da Samsung.

A linha Galaxy da Samsung já é clássica quando o assunto é smartphones de ponta. O Samsung Galaxy S8 + ou S8 Plus, como é conhecido, é o último lançamento da marca, sendo a versão top de linha do Galaxy S8, versão “simples” do Plus. Ambos foram lançados este ano (2017), no mês de março, no dia 29. Os S8 vieram ao mercado para fazer a substituição os aparelhos Edge da linha, mantendo o design específico com tela curva, detalhe que foi nomeado pela marca como – a famosa – tela infinita.

A tela do Samsung Galaxy S8 Plus conta com 6,2 polegadas e possui as bordas arredondadas, caracterizando o Display Infinito promovido pela marca. Acerca da qualidade, a tela conta com resolução Quad HD +, tratando-se de 2960 x 1440 pixels, ou seja, é uma tela grande, de alta resolução.

Já o processador do Galaxy S8 Plus tem a seguinte especificação: Qualcomm Snapdragon 835 Octa Core. Podemos traduzir isso em 2.35GHz Quad somado a 1.9GHz Quad. A versão do processador é a 64 bit. Além disso, podemos citar como principais atrações do aparelho, sua memória RAM, que é de 4GB e ainda sua memória interna de incríveis 64GB, sendo possível estender através de cartão de memória.

De câmera principal, ou traseira, conta com a qualidade de 12 MP, possuindo também dual-pixel tecnology. Já a câmera frontal possui 8 MP. Outras funcionalidades do aparelho, incluem leitor de íris e capacidade de resistir à água. O Samsung Galaxy S8 Plus apresenta compatibilidade com o Samsung Pay, além de possuir carregamento sem necessidade de fio.

Em território nacional, o valor sugerido pelo aparelho Samsung Galaxy S8 Plus é de R$ 4.399. Entretanto, é possível encontrar variáveis desse preço, principalmente em prateleiras online. O Android executado pelo sistema é o Nougat 7.0.

A grande sacada do Samsung Galaxy S8 + é a tela, que estende a imagem até o final das bordas, alcançando as bordas. Outro ponto muito positivo, é a qualidade da câmera, que faz imagens dignas de revista, sendo muito usadas e divulgadas por artistas como, por exemplo, a Anitta.

Por Carolina B.

Samsung Galaxy S8 +


Modelo top de linha estará disponível no Brasil a partir de 12 de julho, com preço de R$3.999.

A Sony anunciou a data de lançamento do Xperia XZ Premium no Brasil. Em evento realizado em São Paulo, a fabricante informou que o aparelho top de linha estará disponível no país a partir de 12 de julho, com preço de R$3.999. Assim, o dispositivo deverá concorrer diretamente com os smartphones LG G6 e Galaxy S8.

Design

O aparelho tem formato bem semelhante aos tradicionais dispositivos da Sony. Sua superfície é revestida de vidro de proteção Corning Gorilla Glass 5, tanto na parte da frente, quanto traseira.

As bordas superior e inferior receberam recortes em formato de diamante, enquanto a câmera principal possui anel de aço inoxidável.

Desempenho

O Sony Xperia XZ Premium tem processador Qualcomm Snapdragon 835, com 2,45 GHz, além de memória RAM de 4GB e armazenamento interno de 64GB. A fabricante garante que o aparelho oferecerá desempenho superior com CPU 20% mais rápida e estrutura térmica, para evitar que o aparelho fique superaquecido.

Câmeras e tela

Os pontos altos do novo smartphone top de linha poderão ser sua tela e câmeras. A principal contará com 19MP, sendo capaz de gravar vídeos em 4k. Essa ferramenta também poderá filmar em modo Super Slow Motion. As imagens poderão também ser carregadas um segundo antes de pressionar o botão de tirar fotos.

A câmera posterior será de 13MP com estabilização ótica de 5 eixos e lente capaz de aumentar o ângulo de visão.

Já a tela, será de 5.5 polegadas e 4k com suporte HDR. Isso deverá conferir ao dispositivo maior nitidez durante a visualização de imagens e vídeos.

Ficha técnica Sony Xperia XZ Premium

O novo aparelho Sony terá as seguintes características:

· Display: tela de 5.5 polegadas, com display 4k HDR e resolução Full HD (1920×1080).

· Proteção: Corning Gorilla Glass 5 (frente e atrás).

· Processador: Qualcomm Snapdragon 835.

· Sistema operacional: Android 7.1 Nougat.

· Memória RAM: 4GB.

· Armazenamento: 64GB, expansível para 256GB com cartão microSD.

· Câmera principal: 19MP, f/2.0, sensor Exmor RS (1/2, 3 pol.), zoom de 8x, flash LED e SteadyShot.

· Câmera frontal: 13MP, com sensor Exmor RS (1/3, 6 pol.), f/2.0 e SteadyShot.

· Conectividade: Wi-Fi, 4G, Bluetooth 5.0 e USB 3.1 tipo C.

· Bateria: duração de 3.230mAh.

· Dimensões: 156mm (altura) x 77mm (largura) x 7.9mm (profundidade/espessura).

· Peso: 191 gramas.

· Extras: sensor de impressão digital, à prova d´água e fone de ouvido Bluetooth.

O Sony Xperia XZ Premium poderá ser encontrado nas cores cromo luminoso ou preto mar profundo. Estará disponível nas principais lojas físicas e virtuais do país.

Por Camilla Silva

Sony Xperia XZ Premium


O modo avião traz diversos benefícios. Confira e comece a usar.

Os aparelhos celulares modernos possuem muitas funções. Esses programas ajudam no dia a dia dos usuários, esses pequenos sistemas ajudam na organização das tarefas, lembretes, dentre outros. Mas, existe também uma função de extrema importância, que é a função: modo avião. Mas, afinal para que serve o modo avião em um aparelho de celular e por que ela é tão utilizada pelas pessoas no cotidiano?

Geralmente, o modo avião foi desenvolvido para que os donos de celulares colocassem nesta função durante viagens aéreas, já que os smartphones poderiam atrapalhar no deslocamento pelos ares. Mas existem outros benefícios ao ligar este sistema, como: economizar bateria. Pois, ao ativar esse modo, os outros programas e aplicativos do celular simplesmente, não funcionam, dessa forma a sua bateria que dura menos tempo quando se mexe em aplicativos, por exemplo, vai durar muito mais, já que o aparelho vai estar em um modo de repouso, pode-se assim dizer.

Outra vantagem é você não ser incomodado quando não se deve. Pense na seguinte situação, você está em uma reunião ou consulta médica e as mensagens e notificações do seu celular chegam a todo momento. E claro que você, como todas as pessoas, vai dar uma olhadinha atrapalhando o desenvolvimento da sua consulta, dessa forma, ao ligar este sistema você não corre este risco. As mensagens e notificações vão chegar e vão estar lá prontas para serem lidas e respondidas, mas não vão atrapalhar o seu momento. E isso também contribui para que você não se torne tão dependente do aparelho, checando de minuto a minuto.

Assim como ele economiza bateria, ele ajuda que os smartphones carreguem mais rápido. Ao ativar essa função, você coloca o celular para carregar e as outras funções vão estar indisponíveis, fazendo com que você não mexa nessas funções e consequentemente o celular vai carregar mais rápido. Gerando também um gasto menor de energia elétrica, já que o aparelho não vai ficar tanto tempo ligado à tomada.

Uma vantagem importantíssima é que, ao ligar o modo avião, você automaticamente não consegue ligar o 3G do celular, a internet paga. Mas, você consegue ligar o Wi-Fi. Assim você pode usar a rede de Wi-Fi para se conectar a internet. Assim, a sua conta de celular não fica tão cara, usando o pacote de internet de uma operadora.

Crie o hábito de ligar esta função e veja essas vantagens!

Por Isabela Castro

Modo avião


Modelo tem leitor de impressões digitais e conexão com rede LTE 4G, além de outras diversas funcionalidades.

O celular Moto Z Play é um aparelho anunciado pela Lenovo, a possuidora da marca Motorola na IFA do ano passado por um valor de U$ 499. O dispositivo que faz parte da linha Moto Z desembarcou em território brasileiro no mês de setembro custando R$ 2.199. O celular possui um design modular, além de integração com os Moto Mods nos Estados Unidos ou Moto Snaps, que são acessórios que somam algumas funcionalidades ao smartphone.

O Moto Z Play conta com uma bateria de alto poder de 3.510 mAh, a qual vem com duração de 50h, prometidos pela fabricante, além de possuir uma tecnologia TurboPower para que o carregamento seja feita de forma rápida. As especificações desse modelo contam com display super AMOLED de tamanho 5,5” e resolução 1920 x 1080 pixels, Full HD.

Além das funcionalidades citadas até o momento, a ficha técnica do aparelho ainda traz um leitor de impressões digitais, o que aumenta a praticidade ao utilizar aplicativos e da uma maior segurança, sem contar que ainda há uma conexão com rede LTE 4G, o que faz com que a navegação pela internet fique ainda mais veloz.

O smartphone da Motorola (Lenovo) ainda possui uma câmera na parte de trás com resolução de 16 MP, somado a um autofoco a laser, que também realiza gravações de vídeos em resolução 4K, e na parte da frente um sensor de 5 MP, para tirar selfies.

O seu sistema operacional de fábrica é o Android 6.0.1 Marshmallow e para que o aparelho rode tal sistema, o mesmo foi equipado com um processador Snapdragon 625 octa-core da Qualcomm com uma velocidade de 2 GHz e com 3GB de memória RAM. O dispositivo tem armazenamento interno de 32 GB, sem versão de 16 GB, porém pode ser expandido até 2 TB fazendo uso de cartão microSD.

O modelo foi disponibilizado nas cores prata, preto, ardósia preta, branco e ouro fino.

Ficha Técnica:

Sistema Operacional – Android 6.0

Processador – Snapdragon 625 2GHz

Número de núcleos – 8

Memória RAM – 3GB

GPU – Adreno 506

Dimensões – 156,4 – 76,4 – 6,99 mm

Peso – 165g

Armazenamento – 32GB

Armazenamento expansível – Até 2TB

Bateria – 3.510mAh

Tela – 5.5 polegadas

Resolução – 1080 x 1920

Resolução vídeos – 2160p em 30 fps

Tipo de cartão – Nano SIM

Bluetooth – versão 4.1

Por Filipe Silva

Moto Z Play


Confira aqui o preço e a ficha técnica do Lenovo Vibe C2.

É visível que os preços estão exorbitantes quando falamos do mercado de smartphones no Brasil, com valores que chegam a quase cinco mil reais. E se você está em busca de um celular barato, mas que atenda muito bem as suas necessidades básica, apresentamos o Vibe C2.

Se a sua ideia é gastar pouco e ter um bom celular, o modelo da marca Lenovo será comercializado nas lojas de varejo por preços a partir de R$ 490. O preço pode ser justificado, inicialmente, pelo seu acabamento, que é em plástico e relativamente simples em relação aos demais aparelhos.

Com tela de 5 polegadas em HD (720 x 1280 pixels), o modelo Vibe C2 pesa 135 gramas e reproduz as imagens com uma grande nitidez de cores. Outro agregado é em relação ao áudio, que apresenta as músicas com perfeição e poucas distorções. Ainda, o aparelho vem com um fone de ouvido compatível com o mesmo.

A bateria é de 2.750 mAh, de rápido carregamento. Esse é, inclusive, um dos grandes diferenciais, uma vez que os smartphones dessa faixa de preço normalmente demoram muito para serem carregados.

O processador do mesmo é de quatro núcleos, sendo a memória RAM de 1 GB. Sendo assim, seu desempenho tende a desejar, sendo considerado mediano.

Por outro lado, não se espera problemas quanto a conexão com alguns aplicativos básicos, como contas de e-mail, Whatsapp e outros. Basta, todavia, evitar o uso de vários apps simultaneamente, uma vez que, por conta disso, podem haver alguns travamentos do aparelho.

Outra dica importante é o armazenamento em nuvem de arquivos, uma vez que o armazenamento interno dá conta de 16 GB, que são rapidamente consumidos por conteúdos baixados. Para expandir a memória, ainda pode-se utilizar um cartão de memória de 32 GB.

Em relação à câmera, essa possui uma principal de 8 MP e uma frontal sem flash de 5 MP. Sendo assim, fotos de boa qualidade são esperadas e não vão decepcionar os usuários.

Com comercialização no Brasil desde metade do ano passado, o Vibe C2 é com certeza um achado em um mercado cada vez mais competitivo e, pode-se dizer, caro. Por isso, essa pode e deve ser uma boa opção para você que espera um bom custo benefício de um aparelho.

Kellen Kunz


A Sharp foi a encarregada de fabricar celulares inspirados na série Star Wars.

Há décadas que tudo o que diz respeito à saga criada por George Lucas rende muito (dinheiro e atenção), e se transforma instantaneamente em item obrigatório. Quer seja um simples ticket para assistir a qualquer filme da série, quer na compra de um item de colecionador que apresente qualquer relação com os personagens da saga espacial famosa.

E agora em dezembro teremos uma série de smartphones especialmente criados levando em conta as luzes, personagens, zumbidos estelares de Star Wars.

A Sharp foi encarregada de fabricar celulares que muito bem poderiam ser utilizados pelos personagens dos filmes de Lucas. Os smartphones serão produzidos para a operadora japonesa (sim, apenas no Japão) SoftBank, aproveitando a proximidade da estreia do novo filme Rogue One: Uma História Star Wars.

Os aparelhos virão em duas versões: Light e Dark Side. Os aparelhos são poderosos, como vemos nas especificações técnicas a seguir:

. Tela de 5.3 polegadas, resolução de 1080p, IGZO;

. Processador Snapdragon 820;

. Câmera de 22.6 megapixels;

. Bateria 3,000mAh;

. Receptor de TV;

. 3GB de RAM;

. 32GB de armazenamento (além de slot microSD);

. 7.6mm de espessura, pesando 155g.

E como não se bastasse essas características superatraentes, os aparelhos também contarão com:

. Papéis de parede “vivos”, que farão o celular ter a aparência do cockpit de um X-Wing ou TIE Fighter;

. Temas exclusivos de skins para Android 6.0 tanto para a série Light quanto Dark Side;

. Cinco figurinos metálicos exclusivos tirados do filme Rogue One;

. O aplicativo Star Wars Movie Player que possibilitará ao usuário assistir O Despertar da Força até 2020;

. Game card pré-carregado com Star Wars: Force Collection com código para gold game card;

. Aplicativo com os temas de Star Wars para o alarme;

. Emojis Star Wars;

. Ringtones Star Wars.

A venda dos aparelhos está prevista para 2 de dezembro no Japão e a pré-venda começou dia 25 de novembro.

Como percebemos, a saga estelar criada por George Lucas ainda tem muito que render, principalmente para o imaginário do fã de Star Wars, que aguarda com ansiedade a chegada de dezembro, 16, quando o novo filme terá estreia mundial.

Por Dan Dias

Celuar Star Wars


Aparelho possui tela de 6 polegadas e maior bateria do mercado.

O Samsung Galaxy A9 é o celular ideal para quem aprecia qualidade. Tela com super resolução, câmera super competente e longa duração de bateria (sem muito tempo de recarga) são algumas de suas qualidades.

A propaganda não é enganosa. O Galaxy A9 SUPER AMOLED tem tela FULLHD de 6 polegadas e 1080×1920 pixels de resolução. Não bastasse isso, o aparelho conta com uma potente bateria, que dura 436 horas em stand-by.

Para quem é ligado em alta qualidade de imagem, o A9 é o celular perfeito. O aparelho conta com uma câmera de 16 megapixels, grava em FULL HD, possui estabilização óptica de imagem (o que garante a qualidade da foto mesmo quando tirada em movimento), a resolução pode chegar a 4608×3456 megapixels e a câmera possui flash LED.

Para armazenar tanta qualidade, o aparelho é equipado com 4GB RAM, mais memória interna de 32GB. Vale lembrar que o smartphone conta com capacidade de expansão da memória para até 256 GB via MicroSD.

Além de toda essa tecnologia, quem gosta de aproveitar tamanha qualidade para ver vídeos online, não ficará na mão. Com uma única carga, o A9 tem autonomia de 20 horas de navegação pela rede 4G, velocidades máximas de 50mbps em upload e 350mbps em download. Vale lembrar que toda essa potência não está atrelada à horas de carregamento: o carregamento da bateria é rápido.

O celular tem espaço para 2 chips nano, opera o Android 6.0.1 Marshmallow e pesa 210 gramas.

A câmera frontal é de 8 megapixels e também grava em FULL HD (30 fps).

Comparando os preços online, o Galaxy A9 é encontrado por até R$ 2.089,00, enquanto no site oficial da marca está avaliado em R$ 2.799,00.

Em setembro (16), o A9 foi lançado na Índia. Há rumores – chineses – de que no Brasil uma nova versão do A9 será lançada na virada do ano, mas nada confirmado ainda.

Na hora de escolher o celular, vale a pena pesar o custo-benefício. Se você mescla muitas horas de navegação com muito tempo longe do carregador, se você vê muitos filmes e fotos, se você gosta de estar sempre compartilhando cenas do seu dia-a-dia ou produz conteúdo, gravando vídeos, o Samsung A9 é com certeza uma excelente escolha.


Rumores indicam que a Google deverá lançar o Pixel XL no dia 4 de outubro de 2016, com pré-vendas pela empresa australiana de Telecomunicações Telsra.

O lançamento do Pixel XL, da Google, esteve envolto em uma rede de mistério. E essa estratégia parece estar funcionando, já que muita gente está curiosa para saber mais detalhes do aparelho. Talvez outro motivo para todo esse alvoroço é que o smartphone será concorrente do iPhone7 e iPhone7 Plus. Ou seja, vem por aí um certo “embate” no mercado de celulares premium, disputado por duas grandes companhias.

Para diminuir esse sentimento, há rumores de que a Google deverá lançar o Pixel XL no dia 4 de outubro de 2016, com pré-vendas pela empresa australiana de Telecomunicações Telsra. Já a data definitiva para vendas diretas, deverá ser de 20 de outubro. O preço que o smartphone será vendido também é outro mistério, no entanto há quem diga que deverá ser próximo ao cobrado pelo Nexus 6P.

Até o momento, a Google não confirmou nenhuma dessas informações, o que fará com que a espera seja mais desesperadora para os fãs desse tipo de aparelho.

Algumas imagens e até mesmo a possível configuração do Pixel XL já estão circulando pela internet. Assim, é provável que ele tenha as seguintes especificações:

· Tela de 5,5 polegadas, com resolução de 1440×2560 pixels.

· Proteção com Gorilla Glass (versão não especificada).

· Sistema operacional Android Nougat.

· Processador Snapdragon 820.

· Memória RAM de 4GB.

· Armazenamento interno de 32GB, 64GB ou 128GB.

· Câmera de traseira de 12 megapixels, com detecção de face e autofoco.

· Câmera frontal de 8 megapixels.

· Bateria de 2.770 mAh ou 3.450 mAh (dependendo da versão)

· Leitor de impressão digital.

· Resistência à água.

· Possibilidade de ter diversas cores.

Como visto, o aparelho não irá rodar com Android puro, como acontecia com os modelos da linha Nexus. Por isso, provavelmente o Pixel XL contará com um sistema um pouco mais personalizado. Além disso, há indícios de que essa nova geração venha com o nome da Google, ou seja, sem a marca da HTC.

Bom, só nos resta aguardar para saber se o Pixel XL irá atender as exigências do público apaixonado por smartphones Top de Linha. Uma coisa é certa: será uma luta de gigantes, com um precinho salgado em terras brasileiras.

Por Camilla Silva

 

Google Pixel XL


O Banco Itaú permite que pessoas físicas abram uma conta corrente a partir de seu próprio celular, sem precisar comparecer a uma agência.

A tecnologia e a facilidade que ela nos proporciona já chegou, definitivamente, ao Banco Itaú: a instituição já oferece, há alguns dias, a possibilidade de pessoas físicas abrirem uma conta no banco a partir de seu próprio celular, sem precisar comparecer a uma agência. Saiba mais sobre esta novidade e descubra como abrir sua conta no Banco Itaú sem sair de casa.

Através do aplicativo Abreconta, lançado pelo Itaú há algumas semanas, é possível realizar todo o procedimento padrão de abertura de conta corrente a partir do celular. Para instalar o aplicativo, é necessário ter um iPhone e baixá-lo na Apple Store. Após a instalação, o novo cliente deve seguir o passo-a-passo do processo de abertura de conta e, caso esteja tudo correto, a conta é aberta em poucos minutos.

O programa solicita documentos, comprovantes e até a assinatura do cliente através do smartphone, sem a necessidade de comparecer a uma agência bancária para concluir o processo de abertura de conta, como costumava acontecer em alguns casos, quando a instituição bancária permitia que o processo fosse iniciado pela internet e finalizado pessoalmente.

Para abrir uma conta corrente no Banco Itaú pelo aplicativo Abreconta é preciso enviar fotos com boa nitidez do documento de identificação do interessado, que pode ser RG, CNH ou RNE, e do comprovante de residência. As imagens podem ser capturadas com a câmera do celular. Após o envio, o aplicativo solicita ao usuário uma assinatura e o envio de uma selfie capturada em um lugar com bastante luz. Já a senha de seis dígitos – necessária para acessar o Internet Banking do Itaú ou fazer saques no banco ou caixas eletrônicos, é criada pelo usuário no início do processo de abertura de conta.

Por enquanto, apenas clientes que possuam iPhone podem ter acesso ao aplicativo Abreconta. O Itaú confirmou, no entanto, que em breve deverá disponibilizar o aplicativo também para usuários de smartphones com sistema operacional Android.

O aplicativo já está liberado para uso graças à autorização recente do Banco Central que permitia que a abertura de contas em instituições bancárias no Brasil fosse realizada remotamente. O Itaú foi o primeiro grande banco do país a liberar esta nova tecnologia através de aplicativo aos clientes brasileiros, uma vez que apenas bancos menores já ofereciam este serviço ao futuro cliente antes do Itaú, como o banco Original, que é direcionado a clientes com alta renda.

Após a novidade apresentada pelo Banco Itaú, outros bancos informaram que já estão testando ferramentas que viabilizam a abertura de conta corrente pela internet, sem a necessidade de comparecer a uma agência bancária. Vale lembrar, no entanto, que todos os bancos que permitirem a abertura remota de conta através da internet devem, obrigatoriamente, permitir que o cliente encerre o relacionamento com o banco também através da internet, caso ele deseje.

Por André Barbirato

Itaú


Configurado com o sistema iOS típico da Apple, o modelo oferece ao usuário uma série de facilidades e ferramentas para as mais diversas tarefas do dia a dia.

Ter um iPhone de última geração é o desejo de muitos consumidores, que buscam a tecnologia, facilidades e características inovadoras que os produtos da Apple podem ter. Se você é um dos fãs da marca ou apenas quer saber mais sobre os modelos da Apple, conheça mais sobre o iPhone 6s, o último modelo lançado pela marca, e saiba por que tantos consumidores ao redor do mundo desembolsam grandes quantias para ter o aparelho em seu dia-a-dia.

O Apple iPhone 6s é um dos melhores smartphones do mercado. Configurado com o sistema iOS típico da Apple, o modelo oferece ao usuário uma série de facilidades e ferramentas para as mais diversas tarefas do dia a dia. O celular traz uma tela de 4,7 polegadas, com resolução 1334×750, conectividade Wi-Fi e GPS, além dos serviços de Bluetooth e leitor multimídia.

O design do celular segue, em geral, as linhas da versão anterior, o iPhone 6, com algumas melhorias. O smartphone é fino e leve, o que facilita a mobilidade e o uso por qualquer usuário.

Em relação à inovação, o modelo chegou ao mercado trazendo a novidade do 3D Touch da Apple, que reconhece diferentes toques do usuário na tela e direciona cada um deles a uma função distinta, de acordo com a configuração do aparelho.

A câmera do Apple iPhone é de 12 megapixels, e permite ao usuário tirar fotos de excelente qualidade e gravar vídeos em resolução Full HD, o que acaba se tornando uma excelente ferramenta para usuários que costumam tirar fotografias e fazer vídeos com frequência.

O preço é um dos únicos pontos negativos do iPhone 6s. Na configuração 16GB , o modelo é comercializado online a partir de R$ 3.390 no mercado nacional; já a versão de 64GB, por exemplo, custa R$ 3.655. Na versão topo de linha, com 128 GB de capacidade de armazenamento, o iPhone 6s custa R$ 3.909.

Ainda há no mercado a opção do modelo na versão PLUS, que traz uma tela e um preço ainda maior, com valores a partir de R$ 3.550, na versão de 16GB, que podem alcançar a bagatela de R$ 4.600 na versão top, de 128 GB.

Por André Barbirato

iPhone 6s


Modelo é encontrado por R$ 949 e oferece boa configuração.

A Samsung fez de sua linha J uma espécie de mistura de outras linhas. Por isso mesmo ela é completamente diferente das outras linhas que compõe a marca. Para quem duvida é só olhar um pouco mais atentamente para ela para perceber que a Samsung pegou um pouquinho de cada lado para compor a mesma.

Com isso em mente um dos dispositivos que mostram bem para que veio essa “mistura” é o Galaxy J5. Então vamos aos detalhes para que você mesmo forme sua opinião.

Começando pela parte que interessa a maioria, as configurações, temos o processador Snapdragon 410. As especificações são praticamente as mesmas encontradas no Galaxy A5 com quatro núcleos Cortex – A53 que rodam a 1,2 GHz. A GPU presente é uma Adreno 306. Já as diferenças ficam pelo ponto de que o J5 conta com menos memória. Neste caso são 1,5 GB contra os 2 GB que se encontram presentes no A5.

O processador que integra o J5 é bem comum entre os dispositivos intermediários. Ainda assim vale chamar a atenção para o fato de que ele se mostra em alguns pontos inferior ao Moto G lançado em 2015, ao Idol 3 e ao Zenfone 5.

De fato, aqui temos uma experiência mais fluida coisa que está se tornando comum nos dispositivos mais recentes lançados pela Samsung. O TouchWiz presente tem uma coisa curiosa: A grande quantidade de jogos “sem graça” e de bloatwares, mas deixando isso de lado ela roda com o Android 5.1 Lollipop. Sobre a atualização para a versão 6 não há nenhuma informação certeira. Entretanto, não dá para descartar por completo a questão já que ela depende também do sucesso que o aparelho possa ter. Para fechar ainda temos o suporte para 4G LTE e suporte para microSD.

A tela do J5 conta com a tecnologia Super AMOLED da fabricante. Isso chama a atenção por ser algo raro para os dispositivos da empresa que custam menos de R$1.000. Seguindo o padrão entre os modelos intermediários ela conta com 5 polegadas e uma resolução de 1280×720.

A câmera traseira conta com 13MP e a frontal com 5MP. As duas possuem flash e podem gravar vídeos em 1080p sendo 30 quadros por segundo. Nos dois casos a qualidade das imagens se mostrou excelente.

A bateria tem a mesma capacidade da presente no S6 Edge. São 2.600 mAh. Com uma configuração econômica ela é suficiente para um dia inteiro.

O valor de R$949 pode até não ser tão barato quanto se pensava. Ainda assim, o preço é compatível com a proposta apresentada pelo dispositivo.

Em termos gerais o J5 não tem grandes problemas. Ele deve agradar uma boa fatia dos consumidores da linha. Mas fica o aviso, a concorrência oferece aparelhos que se saem melhor ou até iguais a ele por preços menores.

Por Denisson Soares

Samsung Galaxy J5


Confira os 5 smartphones mais vendidos do ano de 2016.

Os smartphones tonaram-se indispensáveis em nosso dia a dia, afinal hoje eles possuem múltiplos recursos, que nos mantêm conectados praticamente 24 horas. Com as redes sociais então, ficou impossível não checá-los o tempo todo. Nesse sentido, esses dispositivos, há muito tempo ultrapassaram a função de apenas realizar e receber ligações.

Assim, não importa por qual motivo você o utiliza, a verdade que ao escolher um smartphone muitos aspectos podem ser levados em consideração. Com certeza os principais deles são as especificações e preço. Para te ajudar na busca pelo celular ideal, listamos os 5 smartphones mais vendidos de 2016.

1. Lenovo Vibe K5 A6020:

Fazendo parte da categoria dos celulares intermediários, o aparelho possui ótimo custo-benefício. Os destaques ficam por conta do seu acabamento em alumínio e a memória interna de 16 GB, a qual pode ser expandida para 32 GB. Além disso, sua câmera de 13 MP apresenta boa reprodução de imagens e gravação em Full HD, sendo este outro ponto positivo.

Principais especificações:

· Android 5.1 Lollipop

· Dual Chip

· Tela de 5 polegadas

· Câmera posterior de 13 MP

· Câmera frontal de 5 MP

· Memória interna de 16 GB, expansível até 32 GB (micro SD)

· Bateria com capacidade de 2.750 mAh

· Preço: em torno de R$750

Lenovo Vibe K5 A6020

2. Asus Zenfone Go ZB452KG:

No time dos smartphones mais básicos, este aparelho apresenta boas especificações e preço honesto. Suas características principais são: espessura de 11.2 mm, memória expansível de até 64 GB (com cartão micro SD) e tela de 4.5 polegadas.

Principais especificações:

· Android 5.1 Lollipop

· Dual Chip

· Tela de 4.5 polegadas

· Câmera posterior de 5 MP

· Câmera frontal de 0.3 MP

· Memória interna de 8 GB, expansível até 64 GB (micro SD)

· Bateria com capacidade de 2.070 mAh

· Preço: em torno de R$550

Asus Zenfone Go ZB452KG

3. Samsung Galaxy S7 G930F:

No nível dos aparelhos top de linha, este dispositivo é digno de aspectos invejáveis, sendo seus destaques: resistência à água e poeira, detecção facial, memória interna de 64 GB (expansível em até 200 GB, micro SD), gravação de vídeos em Full HD e espessura de 7.9 mm.

Principais especificações:

· Android 6.0 Marshmallow

· Capacidade para somente um chip

· Tela de 5.1 polegadas

· Câmera posterior de 12 MP

· Câmera frontal de 5 MP

· Memória interna de 64 GB, expansível até 200 GB (micro SD)

· Bateria com capacidade de 3.000 mAh

· Preço: em torno de R$3.000

Samsung Galaxy S7 G930F

4. Samsung Galaxy J7 2016:

Também na categoria dos smartphones intermediários, o aparelho tem dentre as suas principais especificações uma espessura fina de 7.8 mm, memória interna de 16 GB (com expansão de ate 128 GB micro SD), gravação de vídeo em Full HD e tela grande.

Principais especificações:

· Android 6.0 Marshmallow

· Dual Chip

· Tela de 5.5 polegadas

· Câmera posterior de 13 MP

· Câmera frontal de 5 MP

· Memória interna de 16 GB, expansível até 128 GB (micro SD)

· Bateria com capacidade de 3.300 mAh

· Preço: em torno de R$1.200

Samsung Galaxy J7 2016

5. Samsung Galaxy J5 2016:

Com funções avançadas para o seu preço de mercado, esse dispositivo possui interessante capacidade para armazenamento de arquivos. Além disso, realiza gravação de vídeos em Full HD, tem espessura de 8.1 mm e bateria duradoura.

Principais especificações:

· Android 6.0 Marshmallow

· Dual Chip

· Tela de 5.2 polegadas

· Câmera posterior de 13 MP

· Câmera frontal de 5 MP

· Memória interna de 16 GB, expansível até 128 GB (micro SD)

· Bateria com capacidade de 3.100 mAh

· Preço: em torno de R$900

Samsung Galaxy J5 2016

Gostou dessas dicas? Você compraria um desses smartphones?

Por Camilla Silva


Isso acontece por que os aparelhos acabam não tendo capacidade de analisar com precisão o quanto ainda resta de bateria. Ou seja, os números que são vistos nem sempre representam com exatidão o quanto de carga ainda temos e sim uma estimativa.

Todo mundo já se viu diante da situação de estar nos últimos dígitos da bateria do celular, computador ou tablet. Quando se chega a esse ponto tentamos preservar o máximo possível até que possamos recarregar o dispositivo novamente. Mas não é que mesmo com um pouco de carga o aparelho desliga de uma hora para outra e só volta a ligar se o conectarmos a uma fonte de energia? Pois é, isso acontece com qualquer um. Porém, ao contrário do que alguns acham não se trata de um problema. Os dispositivos desligam mesmo contendo um “restinho” de carga devido a um comportamento completamente normal de seus componentes.

O motivo para que isso ocorra (segundo especialistas na área) é o fato de que os aparelhos acabam não tendo capacidade de analisar com precisão o quanto ainda resta de bateria. Isso quer dizer que os números que são vistos nem sempre representam com exatidão o quanto de carga ainda temos e sim uma estimativa feita pelo sistema operacional que, como sabemos, são baseados em algoritmos.

Para que fosse possível precisarmos com certeza o quanto ainda temos (de bateria) seria necessário que tivéssemos um sensor instalado no interior das células. O problema é que considerando os elementos químicos necessários para tudo isso mais os componentes elétricos misturados seria o mesmo que andar com uma espécie de bomba no bolso. Então, o melhor mesmo é ter o celular desligado do que ter ele explodindo.

Ainda existe uma outra razão para que o celular desligue. Com o tempo as baterias naturalmente acabam perdendo parte de sua autonomia. De acordo com o jeito como o usuário usa seu aparelho e até da quantidade de recargas que faz ela perde sua vida útil. Em contrapartida os algoritmos dos sistemas operacionais entram em atividade para compensar essa situação. O problema é que quanto mais o tempo passa, mas difícil fica para fazer a medição. Por isso temos a impressão de que quanto mais velho é o celular menos tempo ele fica ligado.

Por fim, guardar um pingo de carga é preciso para que o SO continue trabalhando. Sendo assim, ele mantém atualizados coisas do tipo os sistemas de inicialização funcionais, elementos internos a exemplo do relógio e etc., mas isso é mais comum em tablets e notebooks, o que não deixa os celulares de fora.

E só para fechar, com uma bateria zerada por completo os dispositivos basicamente não conseguiriam religar de novo isso porque até para recargar é preciso que o software funcione nem que seja em seu “último fôlego”.

Por Denisson Soares

Bateria do celular


Modelo é um aparelho intermediário, mas possui boa configuração.

Foi lançado recentemente no mercado brasileiro o Xperia X, um smartphone intermediário com características de um top de linha. Apesar de ser um aparelho intermediário, o Xperia X possui boa configuração, o que faz dele um concorrente direto de aparelhos como, por exemplo, Galaxy S7, iPhone 6S e LG G5 SE. Seu preço sugerido é de R$ 3.799.

Um dos principais destaques desse aparelho é, sem sombra de dúvidas, o seu design. O mesmo é disponibilizado nas cores rose, grafite e branco. O seu design é bastante elegante e lembra bastante os demais aparelhos da Xperia, entre eles o top de linha Xperia Z5, por exemplo. Seu acabamento em metal na parte traseira, visando mais resistência contra quedas, é quase imperceptível, pois não parece ser um metal convencional.

Para um celular considerado intermediário, é importante destacar que o Xperia X possui um desempenho muito bom. A memória RAM é de 3 GB e seu sistema operacional é o conhecido Android 6.0.1 (Marshmallow), o sistema operacional mais recente do Google e que já vem instalado de fábrica em todos os celulares da linha X. Completando as configurações de hardware, o Xperia X traz o processador intermediário Snapdragon 650 com dois núcleos de 1,8 GHz e quatro de 1,4 GHz.

A tela desse aparelho é uma LCD IPS de 5 polegadas com resolução Full HD, 1920 x 1080 pixels. Um detalhe bastante interessante é a tecnologia Triluminos, que consegue aumentar a paleta de cores tornando-as mais vivas, mesmo sem supersaturação.

Apesar de possuir apenas 2.620 mAh, saiba que a bateria do Xperia X é bastante resistente. A mesma é capaz de suportar até mesmo dois dias de uso contínuos. Toda essa resistência é resultado da tecnologia Qnovo de carregamento adaptativo. A Sony destaca que tal recurso faz com que a corrente de carregamento seja monitorada de forma constante, dessa forma, a mesma é ajustadas o que possibilita a maximização do ciclo de vida da bateria.

E se você curte tirar boas fotos, saiba que o Xperia X conta com câmera traseira de 23 MP que além de oferecer grande qualidade nas suas fotos ainda filma em Full HD e possui lente grande-angular de 24 mm. A câmera frontal possui sensor Exmor RS de 13 MP e se destaca pelas excelentes fotos em locais mais escuros.

Por Bruno Henrique

Sony Xperia X

Foto: Divulgação


Smartphone indiano já começou a ser enviado para os compradores que reservaram o aparelho em fevereiro deste ano.

Já imaginou comprar um smartphone e pagar somente R$ 15? O que pareceu impossível foi criado pela fabricante indiana Ringing Bells e chegará esta semana a seus usuários.

Trata-se do smartphone Freedom 251. De acordo com a empresa, o envio dos aparelhos será feito para quem encomendou o produto em fevereiro deste ano, pelo valor de US$ 4, o que convertido em reais equivale em torno de R$ 15.

Em seu lançamento, todavia, a organização mostrou os protótipos, sendo que estes nada mais eram do que outros celulares de outra marca coberta, caracterizando somente a aparência que o Freedom 251 terá.

Em entrevista ao jornal indiano Indian Express, o fundador e presidente-executivo da organização criadora do aparelho, Mohit Goel, afirmou que ele está sendo produzido e incentivado por duas iniciativas na Índia que buscam disseminar e massificar as vendas de smartphones no país. São essas: a Digital India e a Make in India. Além disso, o governo local tem apoiado incondicionalmente o projeto.

Com isso, Mohit explica que há uma questão social por trás deste apoio e do valor extremamente atraente do celular. Conforme ele, em cada aparelho vendido, a Ringing Bells perde aproximadamente US$ 2,20, como forma de realizar o sonho de inúmeros indianos que vivem à mercê da pobreza nas áreas rurais do país. Sendo assim, estes cidadãos carentes terão a oportunidade de se conectar com outras pessoas e usufruir da tecnologia na palma da mão.

Até o momento, pelo menos 200 mil celulares já estão prontos para o envio no primeiro lote. Porém, os planos são de expansão, com a abertura de mais um lote de 200 mil unidades já nos próximos meses. Em relação ao prejuízo da Ringing Bells, em termos financeiros, este é de US$ 247,5 mil, somente com a distribuição da primeira remessa do Freedom 251.

Apesar de a companhia indiana ainda não ter enviado ele para seus testes finais, o modelo já apresenta algumas especificações, sendo que este terá conectividade 3G e tela de 4 polegadas, bem como câmera frontal de 3,2 megapixels e câmera traseira de 8 megapixels, além de sistema Android 5.1. A capacidade de processamento será de 1,3 GHz e 1 GB de memória RAM, além de 8 GB de armazenamento e entrada para cartão SD.

Kellen Kunz


Aparelho terá três versões que devem agradar em cheio os amantes de smartphones com telas grandes.

A Xiaomi, embora seja uma empresa extremamente nova, já aparece como uma das marcas mais fortes e com maiores investimentos no mercado chinês e até mesmo mundial. Seguindo essa tendência, a empresa acabou de anunciar o seu novo smartphone, o Mi Max, phablet da empresa que conta com boas configurações técnicas e deve atrair o público que adora telas maiores para assistir a vídeos na Internet e acessar a rede, se tratando ainda de um aparelho compacto mesmo com seu tamanho.

O dispositivo aparece em três versões, todas com características equilibradas, não havendo muita diferenciação entre o poder do processador e a quantidade de memória RAM, por exemplo. O aparelho é feito totalmente em metal e conta com leitor de impressões digitais, características bastante atraentes para um dispositivo desse nível. O preço também pode ser considerado bom, apresentando um excelente custo-benefício final ao consumidor. Confira.

Para diferenciar as três opções de seus dispositivos, a empresa apostou em variantes mais potentes e menos potentes, ao invés de simplesmente seguir o padrão do mercado, de alterar a quantidade de armazenamento interno e memória RAM de um dispositivo para o outro.

A primeira versão do Mi Max conta com 3GB de RAM, 32GB de armazenamento interno e o processador Snapdragon 650. Das três versões, esta é a mais simples. A segunda versão do smartphone da marca chinesa conta com 3GB de RAM, 64GB de armazenamento interno e o processador Snapdragon 652.

Já a última e mais potente versão do dispositivo conta com 4 GB de RAM, 128GB de armazenamento interno e o processador Snapdragon 652.

Em comum em todas as versões, temos a tela de 6,44 polegadas, placa gráfica Adreno 510, câmera traseira de 16 megapixels e frontal de 5 megapixels, acesso ao 4G, leitor de impressões digitais, sensor infravermelho, bateria de 4.850 mAh e o Android Marshmallow 6.0 como sistema operacional.

Por enquanto, a data de lançamento ainda não foi definida pela empresa, mas o preço do dispositivo e as cores, cinza claro e dourado, já foram divulgados. A tendência é que o aparelho seja lançado primeiro na China e depois nos demais mercados, porém, os preços já foram revelados pela Xiaomi.

Em sequência, de acordo com o mencionado na matéria, a primeira versão custará US$ 230 ou cerca de R$ 810. Já a segunda versão custará US$ 260 ou cerca de R$ 915, enquanto que a versão mais potente do dispositivo custará US$ 300, algo em torno de R$ 1.055, sempre desconsiderando os impostos, é claro.

A empresa possui suporte no Brasil e há a possibilidade do dispositivo ser lançado por aqui, ao menos uma de suas versões.


Novo modelo promete excelente hardware e custará cerca de US$ 415.

As empresas chinesas Qihoo e Lenovo anunciaram essa semana um novo smartphone. Com a marca ZUK, o aparelho conta com especificações bastante interessantes, incluindo 6 GB de memória RAM. O aparelho é fruto de uma parceria das duas empresas, que iniciou no ano passado com o lançamento do Z1. Neste ano, a ZUK tem como objetivo oferecer um smartphone com um excelente hardware com um preço acessível.

O Z2 Pro custa em torno de US$ 415, valor acima do esperado nos diversos rumores que rondaram a internet nas últimas semanas. O aparelho conta com 128 GB de armazenamento interno e com inúmeros sensores para oferecer dados precisos na prática de atividades físicas, que incluem oxigenação sanguínea, frequência cardíaca e detecção de raios ultravioletas.

O ZUK Z2 Pro conta com uma tela AMOLED de 5,2 polegadas e resolução Full HD. Seu processador é um Qualcomm Snapgradon 820 QuadCore, rodando a 2,1 GHz, aliado a 6 GB e memória RAM. A câmera principal do aparelho tem 13 megapixels (com f/1.8) e foco automático, enquanto a câmera frontal é de 8 megapixels.

O Z2 Pro também conta com um sensor biométrico para permitir acesso com segurança ao aparelho e também é equipado com uma tecnologia de auto aprendizado que se torna mais eficaz a medida que é utilizado. Sua bateria tem uma autonomia de 3.100 mAh. Seguindo a tendência, o dispositivo acompanha uma porta USB C. Seu design não foi deixado de lado. O aparelho é bastante atraente com um corpo em metal e traseira em vidro. Um outro detalhe que chama atenção no ZUK Z2 Pro é o suporte ao iCloud da Apple. Os usuários poderão obter acesso aos backups realizados em iPhones, podendo baixar qualquer arquivo armazenado na nuvem. Seu sistema operacional de fábrica é o Android 6.0 Marshmallow. A ZUK adaptou o sistema inserindo uma interface customizada proprietária, a ZUI. A empresa disponibilizará uma versão mais barata do aparelho com 4 GB de RAM e 64 GB de armazenamento interno.

Ainda não há qualquer informação sobre quais países ele estará disponível. No entanto, é bem difícil que ele desembarque em território brasileiro. A expectativa é que o Z2 Pro chegue aos Estados Unidos. Sendo assim, se você está interessado no aparelho, poderá utilizar algum meio para importar o aparelho, que deverá ter um preço atraente mesmo com a conversão do dólar e os impostos aplicados.


Aparelho chega ao Brasil com belo design e certificação IP67.

Falar em Samsung mexe com a cabeça de muitos apaixonados por tecnologia. Há anos, a empresa inova e investe no mercado da modernidade, a fim de conquistar novos clientes e de manter os que são fieis a fabricante de aparelhos eletrônicos. Por isso, a Samsung traz ao mercado o seu mais novo lançamento: o Galaxy S5 Duos.

O site da própria Samsung traz como principal especificação do aparelho o seu design moderno, que se adapta ao perfil do usuário em suas diversas atividades diárias. O design do Galaxy S5 Duos promete conquistar por ser resistente e moderno. Com o Galaxy S5 Duos, você não precisa mais se preocupar de molhar ou sujar o celular com poeira. A Samsung garante que o aparelho possui a certificação IP67, que dá a esse aparelho essa função. Mas calma, não vá sair por aí jogando o celular na lama ou mergulhando tirando fotos debaixo d’água. O celular é resistente contra poeira e água, mas não é há “prova d’água”.

Além disso, os apaixonados por foto não ficarão para traz. O Galaxy S5 Duos possui câmera de 16 MP com alto foco ultra-rápido. As fotos sairão com mais vivacidade e brilho. Para ver fotos e vídeos em alta qualidade, o Galaxy S5 Duos conta com uma tela de 5.1” com tecnologia Super Amoled de alto brilho. A tela é tão grande, mas tão grande, que irá proporcionar uma boa visão. Sobre os arquivos com a Tecnologia HDR, você poderá capturar fotos com brilho vivaz, mesmo quando a luz é precária e não proporciona boas fotos. A câmera ainda possui foco seletivo que permite você selecionar o que quer manter em foco na foto e deixar o segundo plano desfocado.

Os apaixonados por esporte irão amar o monitor cardíaco integrado ao aparelho. O Galaxy S5 Duos vem com um monitor cardíaco que permitirá medir a frequência cardíaca onde você estiver. O aparelho possui várias funcionalidades e é surpreende.

Raquel Alice Moreira


Novo sistema operacional mobile da Microsoft permite que as chamadas sejam gravadas nos dispositivos.

Agora é possível gravar chamadas no seu Windows Phone com a versão 10, uma das novidades trazidas pela Microsoft para seu novo sistema operacional Mobile e que, embora não deva ser tão utilizado assim entre os usuários, já que é incomum se gravar chamadas entre amigos, certamente será extremamente útil para aqueles que precisavam de uma função nativa como essa em seu dispositivo.

Evidentemente, a função vem causando muita polêmica, já que permite gravar sua conversa com outras pessoas sem a outra poder saber se você está ou não utilizando a função, embora deva ser muito útil para diversos usuários, como até mesmo jornalistas que muitas vezes fazem as entrevistas pelo smartphone, confira abaixo, um pequeno tutorial para poder fazer uso dessa novidade do Windows 10 Mobile.

É bastante simples conseguir gravar uma chamada no sistema, basta que você vá até o menu de configuração do dispositivo, indo até a aba Sistema e depois, Telefone. Lá, há uma opção para que você possa escolher um aplicativo para gerenciar as gravações em chamadas no seu aparelho, basta escolher a opção do gravador de voz.

Com isso, todas as vezes que você ligar para alguém ou atender a chamada de alguma pessoa, irá poder observar um ícone para você iniciar ou terminar a gravação da chamada. Se você optar por gravar uma chamada, ela será salva no caminho Telefone>Histórico, onde há uma opção para ver suas chamadas gravadas, onde todo o conteúdo da ligação estará salva.

Vale lembrar que tal função já está liberada para todos os usuários do sistema, desde os que atualizaram o smartphone com o novo sistema como nos dispositivos já atualizados com o Windows 10 Mobile e, aqueles que já foram lançados com o sistema, que já podem usufruir dessa função atualmente.

A novidade foi lançada pouco antes do lançamento oficial do Windows 10 Mobile no final de Março, apenas para usuários com dispositivos com o W10 de fábrica, após muita espera por parte dos usuários, que sofreram com diversas alterações na data de lançamento do sistema, mas que vem agradando muito os usuários que já contam com a nova versão do sistema da Microsoft em seus dispositivos.

Por João Trajano

 

Gravar chamadas no Windows Phone

Foto: Divulgação


Foi realizado um teste para comparar o desempenho de autonomia do G5 com seu antecessor.

O LG G5 é o novo smartphone top de linha da sul-coreana LG, que chamou a atenção nas últimas semanas não apenas por sua qualidade mas também pela notícia de que a versão vendida na América Latina, será inferior a vendida no restante do mundo, o que decepcionou os usuários latino-americanos.

Outro ponto que decepcionou os usuários, é a potência de sua bateria, que conta com apenas 2.800 mAh, menos do que o LG G4, agora, o GSM Arena realizou um teste para comparar o desempenho de autonomia do G5 com seu antecessor, confira os resultados:

O GSM Arena realizou testes com a duração da bateria do dispositivo da LG, em diversas situações, para ligações 3G, o aparelho conseguiu autonomia de 17h38, com brilho de 200 nits, 7h35, brilho em torno de 50%, já para vídeos, a duração chega a 10h21. Os números podem ser considerados positivos, embora não seja um dos smartphones mais tops do mercado em autonomia, ainda mais se levarmos em consideração que o LG G5 conta com uma tela Quad HD de 5,3 polegadas.

Embora a tela do LG G4, seu antecessor, seja maior, com 5,5 polegadas também Quad HD, e uma bateria também superior com 3.000 mAh, seu desempenho ficou um pouco abaixo do G5. No G4, temos 16h40 de autonomia em chamadas, 7h54 em navegação na internet e cerca de 7h23 na execução de vídeos, este, destoando mais em relação ao G5, com 2h58 de diferença. Porém, se levarmos em consideração que o chipset do dispositivo, o Snapdragon 820 conta com 14nn, o avanço é considerado pequeno, o que acaba se agravando se levarmos em consideração que, um dos maiores se não o maior problema dos smartphones hoje, é a baixa autonomia das baterias, que duram apenas algumas horas.

Um detalhe interessante ainda sobre os testes, é que quando o modo Always On, que mantém a tela do LG G5 sempre ligada para que o usuário tenha acesso a informações como horário e algumas notificações, está ativado, o G5 conta com 4 horas a menos de autonomia em relação a seu antecessor no modo standby.

Por João Trajano

 

LG G5


Smartphone permite unificar a memória microSD com o armazenamento interno do dispositivo.

Uma notícia que dividiu os usuários após a apresentação do Galaxy S7, da Samsung, foi o fato do Android Adoptable Storage, não estar disponível para os novos smartphones high-end da empresa sul-coreana. O serviço que estreou no Android Marshmallow, permite aos usuários unificar a memória microSD com o armazenamento interno do dispositivo. Porém, ainda assim, diferente do divulgado anteriormente, é possível unificar ambos, mesmo sem o serviço oferecido na última versão do sistema do robozinho verde.

A função não está disponível nativamente, porém, os especialistas do MoDaCo, mostraram que é possível os donos do S7 e do S7 Edge, unificaram o microSD ao armazenamento interno, desde que eles tenham um computador, acesso à internet e alguns cabos para transferência de dados, isso tudo, sem a necessidade de se acessar o root dos dois dispositivos.

A possibilidade, é claro, deve ser tentada apenas por usuários mais experimentados do Android com esse tipo de ação, com conexões não nativas do dispositivo, já que ela deve ser feita por sua conta e risco, visto que qualquer erro pode acabar prejudicando ou até mesmo inutilizando seu smartphone.

O processo não é dos mais simples, sendo que para unificar as duas opções de memória, o usuário deverá fazer um backup de todos os seus arquivos no smartphone, indo na opção de ajustes de seu aparelho e clicando 5 vezes sobre o número de build de seu smartphone para poder ativar a função USB Debugging. Após tal procedimento em seu smartphone, no seu computador, é necessário baixar ou o Android Debug Bridge ou o SDK do sistema Android, para que, com o USB Debugging rodando em seu smartphone, você possa acessar o prompt de comando em seu desktop e digitar o código ''adb shell'' (não inclua as aspas).

Após isso, digite ''sm list-disks'' (também sem as aspas), para ter acessos às informações do microSD e armazenamento interno de seu dispositivo. Finalizando, é necessário saber se você quer que apenas metade da capacidade de seu microSD seja destinado ao armazenamento interno ou se toda a capacidade do microSD deve ser destinado ao armazenamento interno. Caso você prefira a primeira opção, basta digitar o código ''sm partition disk:id_disco mixed 50'' e caso você queira destinar toda a capacidade do microSD ao armazenamento interno, basta digitar ''sm partition disk:id_disco'', substituindo em todos os casos, o id_disco, pelo disk ID, código obtido após inserir o código ''adb shell'' no prompt de comando.

Após o processo ser finalizado, o dispositivo já estará com parte ou a totalidade da memória microSD integrada com o armazenamento interno.

Por Paulo Henrique

 

Galaxy S7

Foto: Divulgação


Novo smartphone top de linha da Samsung traz melhorias e custa a partir de R$ 3.799.

A cada lançamento de smartphone da Samsung no mundo, todo o público fica bastante ansioso para saber quais serão as novidades e inovações trazidas por esta que é uma das maiores marcas fabricantes de smartphones atualmente no mundo. E por aqui no Brasil, quando há um lançamento da marca, a euforia não é diferente e foi neste contexto que a Samsung fez o lançamento, na noite do último dia 17 de março, do seu mais novo smartphone topo de linha. Seguindo as linhas anteriores, o aparelho foi batizado com o nome de Galaxy S7 e este smartphone será a principal aposta da empresa neste primeiro semestre do ano de 2016.

O evento de lançamento do Samsung Galaxy S7 ocorreu em um evento de grande porte na cidade de São Paulo e foi marcado pela presença de diversas pessoas famosas, bem como executivos da companhia.

O Samsung Galaxy S7 chega para substituir o Galaxy S6, que já estava no mercado desde o mês de abril do ano passado. Assim como no modelo anterior, o smartphone topo de linha da fabricante sul-coreana chega em duas versões, sendo que umas delas possui tela com curvatura na borda, enquanto a outra ficou com o antigo display tradicional reto.

Os materiais de confecção destes smartphones continuaram sendo os mesmo, ou seja, o vidro Gorilla Glass 4, que é reforçado com um contorno de metal. O aparelho neste primeiro momento será disponibilizado nas cores prata, preto e dourado, contudo, outras cores devem ser anunciadas em breve.

Apesar das resoluções das duas versões do S7 serem iguais (Quad HD 2560 por 1440 pixels), elas se diferem no tamanho da tela, haja vista que o S7 comum possui uma tela de 5,1 polegadas, já a versão Edge do S7 tem a tela um pouco maior com 5,5 polegadas.

Com relação às configurações utilizadas nas duas versões, elas são idênticas, tendo em vista que ambos possuem memória RAM de 4GB, processador Exynos modelo 8890 octa-core e armazenamento interno de 32 GB, com possibilidade de expansão de até 200 GB por meio da utilização de um cartão microSD. A câmera frontal do aparelho tem a resolução de 5 MP, já a traseira tem uma resolução de 12 MP.

As vendas deste novo modelo da Samsung serão iniciadas oficialmente a partir do dia 02 de abril, tanto nas lojas quanto nas operadoras, sendo que os preços sugeridos pela fabricante são de R$ 3.799 para o S7 e de R$ 4.299 para o S7 Edge.

Por Adriano Oliveira


Aparelho possui tela 4K e custa cerca de R$ 4.699.

Cada vez mais a exigência dos consumidores, bem como a vontade das empresas fabricantes de smartphones de atrair e encantar os compradores, estão fazendo com que elas invistam em novas tecnologias nos seus aparelhos. É neste contexto que a grande e renomada fabricante Sony surpreendeu os amantes da tecnologia, haja vista que a empresa anunciou o lançamento do aparelho Sony Xperia Z5 Premium.

Antes do lançamento deste modelo premium no mercado nacional, foi lançado o Sony Xperia Z5, o qual espantou muitos  consumidores devido ao seu preço que é de R$ 4.299, enquanto no mercado internacional os dois modelos foram anunciados juntos.

Aqui no Brasil, o lançamento do Sony Xperia Z5 Premium é mais uma das grandes apostas da Sony para atrair os consumidores, uma vez que este aparelho tem como diferencial a primeira tela 4k do mundo disponível em um smartphone. Segundo as informações da fabricante. o aparelho possui uma tecnologia inovadora capaz de fazer a reprodução de vídeos em 4k, porém, tirando essa inovação o restante das configurações deste novo modelo se compara com o modelo anteriormente lançado, o Xperia Z5.

Outro aspecto positivo apontado pela fabricante no Z5 Premium é a sua bateria de 3.430 mAh.

Com relação às configurações internas desta novidade, o aparelho vem com um processador Snapdragon 810 dotado de oito núcleos, memória RAM de 3 GB, capacidade de armazenamento de 32 GB (podendo ser expandida por meio da utilização de um cartão MicroSD), já a câmera com os seus incríveis 23 MP (com lente F2.0, 1/ 2,3 polegadas e sensor Exmor RS) é uma atração a parte para aqueles que gostam de utilizar o telefone para fotografar.

Para quem gostou dessa novidade, o parelho já está disponível para comercialização nas lojas de todo o país, porém, a única novidade que sem sombra de dúvida não irá agradar uma grande parcela dos consumidores é o valor sugerido pela fabricante, que é de R$ 4.699, valor este que apesar de ser bem alto para o atual contexto econômico vivido no Brasil, é o preço para se ter o primeiro aparelho smartphone com reprodução de vídeos com tecnologia 4k do mundo.

Por Adriano Oliveira


Modelo deve receber uma versão otimizada da Touch Wiz, que deve substituir o Lollipop pela última versão do sistema criado pela Google.

A Samsung divulgou em nota que o modelo Galaxy S6 Edge + receberá a atualização para o Android 6.0, ainda esse mês no continente asiático. Graças a sua tela curva, smartphone é sucesso de vendas e deve receber uma versão otimizada da Touch Wiz, que deve substituir o Lollipop pela última versão do sistema criado pela Google.

Como é de costume, a empresa lançará a atualização primeiro na Coreia do Sul e, posteriormente, no restante do mundo, onde o modelo é destaque. Vale lembrar, que a atualização deve ocorrer sem a necessidade de um desktop e sim via OTA (Over the Air).

Com o novo sistema operacional, os usuários do smartphone terão maior desempenho e menor custo de bateria em relação à versão anterior. Além disso, o sistema promete corrigir o gerenciamento de memória RAM e falha ao abrir a câmera.

Menos de um ano após o lançamento do Galaxy S6 Edge +, a fabricante sul-coreana apresentou o novo dispositivo da linha, o Galaxy S7 Egde, durante o evento MWC 2016, na Espanha.

O Galaxy S7 Edge possui Android 6.0 Marshmallow, processador Snapdragon 820, 4 GB de memória RAM, 32 GB de armazenamento interno e tela Super AMOLED de 5.5 polegadas. O preço do dispositivo no Brasil é de R$ 4.299 e estará a venda no mês de março.

No entanto, o Galaxy S6 Egde + não faz feio e se mantém entre os melhores smartphones topo de linha da atualidade. O modelo conta com ecrã tátil AMOLED de 5.7 polegadas com resolução 4K para exibição de imagens e vídeos. Já o processamento fica por conta do chipset Exynos 7420, de oito núcleos que trabalha a 2.1GHz. Possui também capacidade de armazenamento de 32 GB em sua versão de entrada, e não pode ser expandido por meio de cartão microSD, e memória RAM de 4 GB, que permite que vários aplicativos sejam abertos ao mesmo tempo. Além disso, o modelo conta com câmera traseira de 16 megapixel e frontal de 5 megapixel.

O modelo está disponível em território nacional e possui preço médio de 3,5 mil reais. Resta esperar que a atualização do dispositivo para a nova versão do Android chegue ao país nos próximos meses.

Por Wendel George Peripato

Samsung Galaxy S6 Edge +

Foto: Divulgação


App pode ser utilizado para rastrear encomendas tanto dos Correios como do serviço DirectLog.

Mesmo com as recentes decepções com o sistema, a Microsoft continua investindo fortemente no seu Windows Phone e uma das novidades mais positivas nos últimos tempos para o sistema operacional mobile da empresa norte-americana, foram os aplicativos universais, que garantem que um aplicativo que roda no Windows pelo desktop, também possa rodar no Windows Phone, unificando os aplicativos, agora, o sistema operacional está recebendo mais um app graças ao serviço.

Trata-se do Rastreador Correios, para que os usuários possam rastrear suas compras feitas pelas internet, ou demais encomendas, e também acompanhar o andamento da entrega de produtos que você vendeu, por exemplo, pela internet até a casa de seus clientes de maneira bem simples.

O aplicativo agora disponível para os usuários do Windows Phone, pode ser utilizado para rastrear suas encomendas tanto dos Correios como do serviço DirectLog, sendo necessário que você forneça alguns dados para que a pesquisa seja feita, como o número do CPF, porém, tal dado não ficará armazenado no sistema do aplicativo, sendo necessário apenas para as entregas a serem realizadas pelo DirectLog. A pesquisa e acompanhamento são bem práticos ainda mais para aqueles que constantemente estão realizando compras pela internet ou são vendedores pela rede.

O aplicativo é simples e objetivo tanto para os usuários que estão aguardando uma entrega, que devem digitar o código de rastreio e uma descrição, como o nome do produto, por exemplo, para receber todas as atualizações referentes a entrega de seu produto, como para os vendedores, que poderão fazer o rastreio através do código de barras do pacote, no recibo de que seu pacote foi enviado pelos Correios a seu cliente, facilitando a vida dos usuários.

Por exemplo, vamos supor que você está recebendo uma encomenda vinda de São Paulo, capital, pelo aplicativo, é possível que você ative uma opção que faz com que, sempre que seu pacote avance uma etapa, chegando em outra cidade, você receba uma notificação em seu smartphone.

Ainda será possível, por meio do app, salvar todos os dados de suas encomendas no OneDrive, opção que não estava disponível anteriormente para os usuários do aplicativo, guardando seus históricos mesmo com a perda do dispositivo ou de dados.

Por Isis Genari

App Rastreador Correios

Foto: Divulgação


Novo modelo conta com as funções fotográficas Wide Selfie, Selfie Flash e Spotlight que melhorar a qualidade e a maneira de tirar fotos.

Mesmo com a conferência da sul-coreana Samsung na MWC (Mobile World Congress) deste ano, em Barcelona, na Espanha, muitas novidades do novíssimo smartphone high-end da empresa acabaram ficando de lado, e agora as funções que acabaram ficando um pouco de lado na apresentação da empresa começam a ter mais destaque na WEB.

As informações estão no site da própria empresa, inclusive na versão nacional, para o Brasil, onde a sul-coreana mostra mais alguns detalhes interessantes a respeito de seu novo smartphone de ponta da família Galaxy.

Uma das funções que não receberam tanto destaque da empresa na apresentação dos smartphones, foi o Wide Selfie, funcionalidade presente no smartphone e que garante que todos os seus amigos apareçam na hora de tirar aquela selfie, tudo graças às lentes grande-angulares do aparelho, o que facilita que todos seus amigos saiam na foto. Não somente por essa função, mas também pelo que pudemos ver na apresentação da empresa, de fato o grande foco da Samsung com os seus novos smartphones, é de fato as fotografias, principalmente se pensarmos que a empresa chegou a reduzir a quantidade de megapixels para poder aumentar a qualidade da imagem.

Outra função também presente no smartphone e relativo às fotos é o Selfie Flash, que certamente irá gerar uma nova polêmica entre os usuários e, na pior das hipóteses, talvez até mesmo uma nova disputa judicial entre Samsung e Apple, já que alguns modelos anteriores do iPhone, também contam com uma função parecida com essa: usar a tela Super AMOLED do smartphone para iluminar selfies tiradas com a câmera frontal do dispositivo. Ao menos, a função é certamente útil para ambientes escuros.

Seguindo a linha de manter o foco no aspecto fotográfico, o smartphone ainda possui outra função interessante para aqueles que desejam tirar fotos, o Spotlight, que faz o papel de uma espécie de ''Photoshop'' automático, removendo, por exemplo, espinhas de sua face nas fotos, além de possibilitar ao usuário, direcionar a luz em sua face antes de tirar a foto, para criar mais possibilidades de efeitos e variações.

Essas e outras novidades podem ser conferidas no site da própria Samsung no Brasil, na página dedicada ao novo smartphone da marca.

Por Isis Genari

Câmera do Galaxy S7

Foto: Divulgação


As baterias dos aparelhos móveis sempre foram um grande problema para os usuários, tanto pela durabilidade quanto pela maneira de carregamento. Por isso, as grandes empresas estão investindo em novas tecnologias de sistema de carregamento sem fio.

É necessário ter ao menos um smartphones nos dias atuais, afinal a maior parte da interação social ocorre por meio deles. Eles proporcionam acesso fácil à informação e comunicação entre familiares, amigos e profissionais de trabalho. No entanto, apesar do hardware potente os smartphones sofrem no quesito autonomia.

Atualmente, as empresas tem se empenhado em produzir baterias de grande capacidade e muitas prometem autonomia real de ao menos doze horas. Na prática, ao utilizar o smartphone de forma moderada, efetuando curtas ligações e pesquisas vida dados móveis, os modelos topo de linha produzem autonomia média de oito horas.

Uma pesquisa feita nos Estados Unidos em 2015 mostrou que aproximadamente 33% dos americanos gostariam de ter dispositivos com melhor capacidade de duração. Pensando nisso, a Samsung, o Google e a LG produziram os primeiros modelos de smartphones com sistema de carregamento sem fio. Ao que tudo indica a Apple também almeja introduzir essa tecnologia de carregamento aos seus novos modelos.

De maneira simplificada, o carregamento sem fio ocorre graças ao efeito Tesla, que transforma e energia em um verdadeiro campo magnético imperceptível a olho nu, mas que pode ser captado por dispositivos específicos. O processo é semelhante ao utilizado para obter a frequência de rádios e satélites.

A primeira vista essa tecnologia parece ser revolucionária e futurista, no entanto, a mesma teve início entre o século XIX e XX, graças aos experimentos do físico Nicola Testa. Vale ressaltar, que a tecnologia só não foi utilizada antes porque o custo era extremamente elevado e somente com o passar dos anos se tornou viável.

Ao adquirir um modelo com base sem fio, como o Galaxy S7, é necessário compreender que a distância entre o aparelho e a base é de extrema importância. No mercado brasileiro existem bases de carregamento sem fio com preço médio de R$ 300. Vale lembrar, que não basta apenas comprar o carregador sem fio. É preciso que o seu dispositivo seja compatível com a tecnologia.

Por enquanto, a opção mais viável para quem deseja maior autonomia, é adquirir dispositivos com bateria de longa duração, como o Moto G de terceira geração, ASUS Zenfone 6, Moto X Force, Moto Maxx, Samsung Galaxy S5, entre outros. Estima-se que nos próximos anos a duração da bateria deixe de ser um problema graças às novas tecnologias empregadas pelas empresas responsáveis por sua produção.

Por Wendel George Peripato

Carregador sem fio

Foto: Divulgação


Dispositivo mantém a tela dos smartphones sempre ligada.

Na MWC (Mobile World Congress) deste ano, a Samsung finalmente revelou ao público os detalhes do seu novo smartphone high-end, o Galaxy S7 e também de seu ''irmão'', o Galaxy S7 Edge, colocando um ponto final nas especulações em torno do dispositivo. Entre as novidades anunciadas pela empresa sul-coreana, para os dispositivos, está a função ''Always On'', que, para a tristeza de muitos usuários, será ao menos por enquanto, exclusividade dos novos smartphones.

O ''Always On'', é uma função, já presente em smartphones de outras marcas, mas com nome diferente, que mantém a tela do dispositivo sempre ''ligada''. Isto é, você não precisará mais ligar o display do aparelho para poder ter acesso a funções como o horário local, calendário, além de algumas notificações, que sempre estarão presentes na tela do dispositivo, o que facilita a vida dos usuários. Isso, sem gastar uma grande quantidade de bateria, segundo a empresa, o que poderia comprometer a autonomia do smartphone.

Porém, o ''Always On'' não estará disponível para outros smartphones que não os novos e primeiros modelos do Samsung Galaxy S7, o que foi confirmado pela própria sul-coreana Samsung e acabou por aborrecer diversos usuários de modelos mais antigos do Galaxy, que estavam na expectativa de poder contar com a função também em seus dispositivos, o que não será possível, infelizmente.

A informação foi dada pela empresa na MWC deste ano. Como dito, a notícia acabou por zangar os usuários, que reclamaram de um possível desleixo da empresa com os seus usuários mais antigos. Quanto ao suporte aos modelos mais antigos, a empresa já contava com a reclamação de outros usuários, que alegam que a sul-coreana finaliza o suporte de atualizações do Android para smartphones mais antigos rápido demais.

Porém, vale ressaltar que, a empresa não especificou os motivos que fazem com que o ''Always On'', esteja de fora dos smartphones anteriores da linha Galaxy, ou seja, é até mesmo provável que possíveis problemas de adaptação ou até mesmo impossibilidade de adaptar a função a smartphones antigos, tenham feito com que a função não tenha suporte a modelos passados.

Por Isis Genari

Galaxy S7 Edge com Always On

Foto: Divulgação


Aparelho da Ringing Bells possui configurações modestas e custa apenas R$ 16,00.

O Freedom 251, smartphone de origem indiana, é oficialmente o smartphone mais barato do mundo, haja vista o seu preço que equivale a nada mais que R$ 16,00. O aparelho vem se tornando notícia mundial devido ao seu baixo custo de aquisição. O Freedom 251 entrou em pré-venda na quinta-feira, dia 18 de fevereiro, na Índia. Mesmo se considerarmos os preços dos smartphones mais acessíveis no Brasil, por exemplo, o aparelho indiano ainda é muito mais barato. Em média um smartphone de baixo custo no Brasil não sai por menos de R$ 150,00.

A fabricante do Freedom 251 é a Ringing Bells, que trouxe esse aparelho para o mercado indiano com grande apoio do governo da Índia. Os executivos da Ringing Bells já destacam que esse projeto tem como principal objetivo fazer com que cada indiano esteja conectado ao mundo e tenha acesso à tecnologia. Com isso, esse projeto lembra bastante o tablet Aakash, lançado em 2011 na China. O tablet era destinado a estudantes chineses e tinha um preço bem abaixo do normal.

A Ringing Bells também destaca que o objetivo deste projeto é levar a tecnologia atual para todos os cidadãos indianos, sejam eles das áreas mais remotas do país como, por exemplo, a rural ou até mesmo áreas semi-urbanas.

O preço local dos aparelhos são 251 rúpias indianas. É importante destacar que, para os padrões indianos, um aparelho custando 500 rúpias já é considerado de baixo custo. Ou seja, o Freedom 251 tem quase a metade do preço de um aparelho considerado de abaixo do custo. Com isso, é esperado que o aparelho tenha um grande sucesso no mercado local.

O preço baixo não é o único destaque do Freedom 251. O aparelho possui Android 5.1 como sistema operacional, por exemplo. Além disso, 1 GB de memória RAM, processador quad-core de 1.2 GHz, 8 GB de armazenamento interno (com opção de expansão para até 32 GB através de cartão microSD) também são outros destaques do aparelho. O mesmo ainda possui câmera traseira de 3.2 megapixels e uma câmera frontal de 0.3 megapixel. A tela é de 4 polegadas com resolução 960×540 pixels.

Como já destacado, a pré-venda do Freedom 251 se iniciou em 18 de fevereiro. A entrega dos aparelhos está marcada para o fim de junho. Ainda não foram divulgadas informações em relação à internacionalização do aparelho, por enquanto o mesmo deve se restringir apenas ao mercado indiano.

Por Bruno Henrique


Smartphones contam com bom sistema de áudio e corpo todo feito em metal.

A marca chinesa Lenovo, segue investindo pesado para conseguir cada vez mais espaço entre as grandes empresas do mercado de smartphones, tendo comprado, inclusive, a respeitada Motorola. Agora, na MWC (Mobile World Congress) deste ano, a empresa tratou de apresentar os dois novos smartphones da linha ''K'' para seus consumidores.

A conferência aconteceu na cidade de Barcelona, na Espanha, e os dois novos aparelhos anunciados são o Vibe K5 e o Vibe K5 Plus, ambos modelos intermediários da marca chinesa. Se comparados, os dois smartphones não possuem grandes diferenças entre si, seguindo apenas o padrão do mercado de se lançar uma versão ''comum'' e outra ''turbinada'' do mesmo dispositivo.

Um dos pontos fortes dos dois dispositivos segundo a Lenovo, é a performance agradável dos aparelhos, unida de um custo abaixo do cobrado comumente no mercado por smartphones com essas configurações. Tal alegação, nos faz lembrar da linha Moto G e E da Motorola, subsidiária da marca chinesa, que também oferecem boas configurações por um bom preço.

Um dos pontos mais destacados pela Lenovo na conferência, foi o potencial do áudio dos smartphones, que contam com o sistema Dolby Atmon, junto de dois alto-falantes para garantir a melhor qualidade possível aos usuários que gostam de ouvir músicas nos dispositivos.

Outro ponto considerado não apenas positivo, mas também um atraente para o dispositivo, é seu corpo todo feito em metal, que acaba por deixar o já belo visual, disponível tanto na cor prata como dourada, dos smartphones, ainda mais atraente. Isso sem falar que é difícil encontrar smartphones intermediários com corpo em metal.

O preço dos smartphones também é, de fato, extremamente baixo, sendo que o Vibe K5 custa apenas US$ 129, enquanto o Vibe K5 Plus custa um pouco mais, US$ 149, não há nenhuma informação divulgada pela marca a respeito do lançamento dos dispositivos no Brasil.

O Vibe K5 conta com uma tela de 5 polegadas HD, 2GB de RAM, chipset Snapdragon 415 com um processador octa-core e GPU 405, além de 16GB de memória interna expansível por microSD e câmera principal com 13 megapixels flash e frontal de 5 megapixels. O dispositivo tem 2.750 mAh de bateria e roda o Android 5.1

Enquanto isso, a versão Plus conta também 5 polegadas, porém, Full HD, chipset Snapdragon 616 com processador octa-core e GPU 405, 2GB de RAM, câmera principal de 13 megapixels e frontal de 5 megapixels, junto de 16GB de armazenamento interno expansível por microSD, bateria de 2.750 mAh e o Android 5.1.

Por Isis Genari

Lenovo Vibe K5

Lenovo Vibe K5 Plus

Fotos: Divulgação


Modelo conta com um design atraente e outras características que chamam a atenção dos consumidores.

A MWC (Mobile World Congress) 2016 teve seu início no dia 21, em Barcelona, e com ela, as grandes empresas começaram finalmente a abrir seus principais lançamentos para o ano, para o público, apresentando, principalmente, os seus novos smartphones high-end, dando fim a série de rumores e boatos que acontecem antes da apresentação dos dispositivos, entre eles, o LG G5, que foi oficialmente apresentado pela marca sul-coreana na conferência.

Um dos grandes chamativos ou diferenciais do novo smartphone da LG, certamente é seu design, bem diferente do seu antecessor LG G4, lançado no último ano. O aparelho conta com um corpo em metal, bem melhor acabado do que o G4 e outros dispositivos anteriores da marca sul-coreana, que não contavam com uma alta qualidade como essa.

Na tela, também é possível notar diferenças, como o quase fim das bordas, extremamente pequenas e redondas, o que deixa o uso mais confortável para os usuários que passam longos períodos utilizando o dispositivo.

O dispositivo, aliás, tem uma vantagem em relação a seus concorrentes quando o assunto é design: é possível remover a bateria do dispositivo, algo inédito em smartphones com acabamento feito em metal, através da remoção da borda inferior. A parte traseira ainda conta com um leitor de impressões digitais, função já obrigatória nos high-end.

Uma novidade que já havia sido anunciada pela empresa, é a função ''Always On'', que garante a tela do smartphone sempre ligada, para que o usuário possa conferir algumas notificações além do horário local, sem precisar ligar a tela do aparelho. A LG garante que a função deve consumir apenas 0,8% da bateria por hora, não reduzindo consideravelmente a autonomia do dispositivo. Porém, a potência da bateria não agradou muito os usuários, já que o G5 irá contar com apenas 2.000 mAh de potência, embora o tempo de duração da mesma não tenha sido divulgado.

A tela do aparelho irá contar com 5,3 polegadas Quad HD 554p, mais um atrativo do smartphone, que garante uma excelente qualidade de tela para os usuários, principalmente para os que gostam de ler, jogar e assistir vídeos no dispositivo.

Já a câmera do dispositivo também chama a atenção, contando com 16 megapixels podendo tirar fotos em até 135 graus. Acontece que o dispositivo possui dois sensores traseiros, sendo um de 16 megapixels, responsável por tirar fotos em até 78 graus e o outro de 8 megapixels. A câmera frontal para as selfies também não desagrada, contando com 8 megapixels.

O dispositivo virá com o Android 6.0 Marshmallow instalado e não será possível excluir os apps instalados da tela inicial sem o Launcher.

O ponto mais chamativo da conferência, porém, foram os acessórios que serão lançados para o aguardado smartphone, como o LG Rolling Bot, um pequeno robô que pode monitorar sua casa transmitindo vídeo ao vivo para seu smartphone, o LG 360 VR, óculos de realidade virtual e o LG Hi-Fi Plus, para aumentar a qualidade do áudio, entre outros acessórios extremamente interessantes.

Por Isis Genari

LG G5

LG G5

Fotos: Divulgação


Tecnologia Hi-Fi estará presente no smartphone, garantindo um som extremamente potente e com altíssima qualidade.

É fato que nos últimos anos o mercado de smartphones cresceu de forma monstruosa, tomando o lugar de Notebooks e Computadores de mesa, mas ainda há muito o que evoluir nos dispositivos, muito mais do que vimos até agora. Entre os pontos que ainda precisam de um ''upgrade'' estão a bateria e o som. E é nesse último que a LG promete investir fortemente no seu novo lançamento, o high-end LG G5.

A empresa sul-coreana confirmou que o novo high-end da empresa irá contar com o sistema de áudio da B&O Play, empresa especializada quando o assunto é áudio. A empresa levará sua tecnologia Hi-Fi pela primeira vez desde que foi criada, a um smartphone. A promessa da LG é levar aos usuários um sistema de som extremamente potente e com altíssima qualidade, sendo que esse foi um dos pontos mais elogiados do LG V10, smartphone lançado pela empresa no ano passado e que fez enorme sucesso, principalmente por seu sistema de som.

A informação foi confirmada pela LG na sexta-feira, 19, antes da MWC (Mobile World Congress) 2016.

A LG também confirmou que a parceria também é valida para futuros smartphones, ou seja, não será apenas no LG G5 que teremos um sistema de som de alta qualidade, mas também em outros dispositivos da marca, embora não se saiba se tal parceria deve chegar também aos modelos mais simples, já que maiores informações não foram divulgadas sobre o chip dedicado.

Certamente a empresa sul-coreana está dando um enorme passo em relação às suas concorrentes, já que, o sistema de som dos smartphones atuais, embora não ruins, certamente não agradam muito aqueles que buscam a maior qualidade de som possível, como um dispositivo dedicado, além, é claro, de acessórios de alta qualidade, como bons fones de ouvido. A Apple é outra empresa que em breve, também deve apostar em um som de alta qualidade em seus dispositivos, possivelmente já com o lançamento do iPhone 7.

Não se sabe se o sistema de som de alta qualidade deve ter um impacto no preço do dispositivo, porém, é certo que com o tempo, a parceria se tornará cada vez mais forte e eficaz na qualidade.

Por Isis Genari

LG G5

LG G5

Fotos: Divulgação


Dados poderão ser armazenados em um dispositivo de cristal extremamente pequeno capaz de armazenar 360TB por mais de 14 bilhões de anos.

Atualmente, estamos habituados a utilizar os HDs externos e pen drives para armazenar nossos dados mais importantes ou que simplesmente desejamos transportar de um lugar para o outro. É claro que ambas as opções de armazenamento possuem um limite, muitas vezes nem tão grande, para armazenar dados, e podem simplesmente acabar se corrompendo ou enfrentando outros problemas com o passar dos anos.

Agora, você já pensou em gravar todos os seus dados em uma espécie de dispositivo de cristal, extremamente pequeno e que seria capaz de armazenar 360TB por mais de 14 bilhões de anos? Saiba que essa possibilidade, embora ainda não disponível, é real!

As pesquisas foram feitas na Universidade de Southampton, que chegou ao resultado final, onde é possível armazenar toda essa quantidade de dados, em um cristal do tamanho de uma moeda, por tantos e tantos anos, algo simplesmente impressionante, já que permite armazenar com extrema segurança diversas informações importantes por muito tempo. Os mais entusiasmados já dizem que o dispositivo poderia ser usado para que um dia, os extraterrestres tenham conhecimento de nossa existência, caso não estejamos mais aqui, será?

Para se ter uma ideia, o cristal aguenta temperaturas altíssimas, de até 1.000 graus, muito acima do que vimos atualmente e do que poderemos ver em bilhões e bilhões de anos, embora também dentro de bilhões de anos, nossa Terra deva ser ''engolida'' pelo Sol, graças a um fenômeno astronômico.

A equipe da Universidade de Southampton, já está buscando parceiros comerciais para dar início a comercialização do dispositivo de cristal que, evidentemente e infelizmente, deve chegar inicialmente por um preço extremamente elevado, mas, quanto antes o produto chegar no mercado, melhor, já que a desvalorização ocorreria mais rapidamente, principalmente se levarmos em conta que tal cristal parece ser algo ideal para os smartphones, já que se trata de um produto extremamente pequeno, leve e com armazenamento e duração incríveis.

A gravação é feita por meio de um laser que é considerado ultra-rápido, e responsável por gerar pulsos de luz extremamente fortes no disco de quartzo do dispositivo, para poder realizar a gravação. Ainda não se sabe quando uma fabricante irá decidir investir na nova opção que agora temos no mercado, já que certamente, não é barata, mas independente disso, é algo que deve acrescentar num futuro próximo para o armazenamento interno de dispositivos.

Por Isis Genari

Dispositivo de cristal

Foto: Divulgação


X Cam possui um maior destaque para as câmeras fotográficas e X Screen possui uma tela que nunca desliga.

O LG G5, é um dos smartphones mais aguardados para este ano de 2016, tratando-se do dispositivo high-end da sul-coreana LG, que será revelado e apresentado oficialmente na MWC (Mobile World Congress) 2016, mas enquanto o smartphone não é apresentado e lançado, a LG continua trabalhando em outros smartphones, e anunciou no dia 15 os novos dispositivos intermediários da empresa para este ano.

O anúncio foi direcionado ao X Cam, que como o próprio nome diz, possui uma dedicação maior às câmeras, sendo duas traseiras, e o X Screen, que possui uma tela que nunca desliga, exibindo algumas notificações e o horário do local onde o usuário se encontra, sem a necessidade de desbloquear a tela. Ambos os novos smartphones fazem parte da linha da LG que traz especificações intermediárias com recursos especializados em alguns pontos, como a câmera e a tela, nesses dois casos, a linha ''Specialist''.

O LG X Cam, vem com duas câmeras traseiras, sendo uma de 13 megapixels e outra de 5 megapixels, além de uma câmera frontal de 8 megapixels para as selfies. O smartphone ainda conta com uma bateria de 2.520 mAh, que não garante muita autonomia ao usuário, infelizmente, além de um processador octa-core que conta com 1.14 GHz, 2GB de RAM, 16GB de armazenamento interno expansível por cartões microSD, e uma tela de 5,2 polegadas.

O outro smartphone anunciado pela empresa, o LG X Screen, que conta com foco na tela e sua função ''Always On'', que mantém uma tela secundária sempre ligada para exibir a hora e algumas notificações, conta com uma câmera traseira de 13 megapixels e outra frontal de 8 megapixels, 2GB de RAM, processador quad-core com 1,2 GHz, tela de 4,93 polegadas com resolução HD, além de uma tela secundária sobreposta com 1,76 polegadas para a função citada, além de armazenamento interno de 16GB expansível por cartão microSD.

Ambos os modelos já chegarão ao mercado contando com o Android Marshmallow 6.0, e será lançado na Ásia, Europa e América Latina já no próximo mês, Março, embora não haja qualquer informação a respeito do preço de lançamento ou demais informações para o mercado brasileiro.

Por Isis Genari

LG X Cam

LG X Screen

Fotos: Divulgação


Algumas ações fazem com que a bateria do celular dure mais tempo.

Atualmente, os celulares são cada vez mais utilizados pela população. Um problema que vem junto com esses aparelhos é a bateria, que em vários deles tem durado muito pouco. A bateria pode acabar no meio do dia, no meio de uma ligação importante ou justamente na hora que você mais precisa.

Confira aqui dicas para fazer com que a bateria de seu celular dure mais:

Confira se é realmente necessário que ele esteja ligado em alguns momentos. Se você estiver dormindo, por exemplo, e não pretende atender o telefone, procure desligá-lo. Essa é a forma mais eficiente de fazer com que sua bateria dure mais tempo. Se está em um área com pouco sinal e não irá utilizá-lo, desligue também, pois quando o sinal está fraco o aparelho tende a ficar continuamente procurando pelo serviço, e isso irá consumir sua bateria. Algumas baterias, quando continuamente recarregadas perdem parte de sua capacidade, e passarão a trabalhar até mesmo com só 50% do que tem a oferecer.

Quem passa muito tempo com o celular no bolso pode notar que a bateria acaba rapidamente. Isso ocorre por conta das trocas de calor do corpo com o aparelho, pois o calor acelera os processos químicos da bateria que fazem com que ela descarregue rapidamente.

Mantenha-o longe do calor. Além de descarregar com mais rapidez, os componentes internos de seu celular poderão ser seriamente prejudicados. O superaquecimento dele quando está carregando também não é normal e pode significar que o carregador está com problemas. Caso o aparelho superaqueça, o deixe na geladeira durante a noite desligado e ligue-o após uma hora.

Há diversas funções para customizar seu celular. As luzes de fundo, as vibrações, a lanterna, o Bluetooth, o flash, etc, todas essas funções consomem muita bateria. Verifique se você realmente vai precisar de todas elas e desative as que não são necessárias no momento.

O volume também consome bateria. Quanto mais alto, mais bateria irá consumir. Portanto, ajuste-o somente quando necessário. Se for usar o celular para despertar ou ouvir música aumente-o e logo após, quando já tiver utilizado essas funções, diminua-o.

A luz de fundo também pode ser ajustada para funcionar um determinado período de tempo, geralmente o suficiente para que você enxergue o que quer.

O Bluetooth é outra função que irá consumir muito a bateria. Além disso, também pode transmitir vírus e conteúdos que você não quer em seu aparelho. Portanto, mantenha-o desligado quando não for necessário. O mesmo vale para o Wi-Fi e o GPS.

Para não só aumentar a duração de sua bateria, mas também a vida útil dela, é necessário mantê-la longe de umidade, pois o aparelho poderá absorver e longe de metais. Limpe a parte que conecta a bateria no celular, pois com o tempo sujeira poderá ficar acumulada ali. Para a limpeza devem ser utilizados cotonete e álcool isopropílico. Use pouco álcool e espere secar completamente antes de fechar o celular.

Por Isabela Palazzo

Bateria de celular


App AdBlock Fast voltou a ficar disponível na Play Store.

Nos últimos tempos, a publicidade abusiva na Internet vem incomodando cada vez mais os usuários, que sofrem com  diversos anúncios em vídeos, notícias e outros tipos de conteúdos encontrados pela Internet, sendo obrigados a recorrerem aos famosos apps que bloqueiam os itens de publicidade.

Evidentemente, isso acaba por incomodar as grandes empresas, que pressionam outras empresas como o Google, por exemplo, para bloquearem esses apps de seus sistemas. Um caso envolvendo exatamente o Google gerou polêmica e acabou pela exclusão do app AdBlock Fast da Play Store, porém, a decisão foi revertida.

O app se aproveitou de uma novidade recente no navegador padrão do Android, que possibilita que apps que bloqueiam publicidade possam ser integrados ao aplicativo, que havia sido bloqueado recentemente, o que fez com que a Rocketship Apps, responsável pelo aplicativo, recorresse da decisão no primeiro dia de Fevereiro. Porém, por algum motivo desconhecido, o Google aceitou liberar novamente o aplicativo na Play Store no dia 5, mas apenas no dia 9, o aplicativo definitivamente voltou a estar disponível na loja do Android.

Para se ter uma ideia do que a brecha na API do navegador padrão do Android gerou, em poucos dias após a descoberta do fato de que era possível que outros apps bloqueassem a publicidade no app, o AdBlock Fast foi para a lista dos aplicativos mais baixados pelos usuários. Tal API, inclusive, havia sido disponibilizada pelo próprio Google, não se tratando de um erro ou falha no sistema, como talvez muitos pensem.

O motivo usado pelo Google para justificar a exclusão do aplicativo da Play Store, é que o AdBlock Fast supostamente quebrava o Contrato de Distribuição dos desenvolvedores da Play Store, descrito no item 4.4, que proíbe aplicativos de interferirem na rede, servidor ou propriedade de terceiros, o que evidentemente, não aconteceu. Outro detalhe bem curioso, no mínimo, é que outros aplicativos que faziam o mesmo trabalho, não foram removidos pelo Google de sua loja.

O aplicativo é bem avaliado na Play Store e elogiado pelos usuários, já que se trata de um app simples, mas que ajuda, e muito, os usuários, removendo a publicidade.

Por Isis Genari

AdBlock Fast

Foto: Divulgação


Maru OS, ROM do Android, aumenta o desempenho do sistema por ser mais leve, ocorrendo integração com os computadores por meio dos cabos HDMI.

A intenção de criar uma integração entre os computadores de mesa e dispositivos móveis já foi algo extremamente discutido e tentado no passado, porém, com o crescimento dos smartphones e com os usuários usando cada vez menos os computadores, tal ideia acabou ficando um pouco de lado nos últimos tempos.

Entretanto, ainda há empresas que buscam investir nessa integração, e uma delas é a Microsoft com o Continuum para o novo Windows 10 Mobile. No passado, empresas que fabricaram smartphones com Android, já chegaram a investir em tecnologias semelhantes e agora, tempos depois, os usuários do Android poderão, novamente, contar com uma integração entre os softwares de computadores de mesa e seu smartphone.

Isso graças a uma ROM alternativa do Android, chamada de Maru OS, pouco conhecida entre a maior parte dos usuários, sendo uma versão que conta com o Android 5.1 Lollipop e extremamente puro, o que acaba por aumentar o desempenho do sistema por ser mais leve, ocorrendo integração com os computadores por meio dos cabos HDMI.

Ao conectar seu smartphone a um monitor externo pelo cabo HDMI, o sistema passa a rodar o Debian GNOME, umas das várias e mais conhecidas distros do Linux. E, embora o SO seja de um desktop e as configurações dos smartphones ainda não são exatamente o que vemos em um computador de mesa, por se tratar de um sistema operacional Linux, aqueles que quiserem experimentar a tecnologia não devem ter grandes problemas, visto que o Linux é consideravelmente mais leve que o Windows.

Para melhorar a experiência do usuário, ainda será possível conectar tanto mouse como teclado para que possa executar o sistema Debian, desde que via Bluetooth, já que, embora o Android também seja um Linux, os apps do Linux não foram feitos para rodar no Android, propriamente dito.

Porém, o Maru OS ainda não está em sua versão definitiva e, por enquanto, apenas usuários do Nexus 5, podem utilizar o sistema. Se você possui o Nexus 5 e deseja experimentar a ROM, basta se inscrever no site da ROM para poder receber os arquivos e passos para instalá-la em seu Nexus.

Por Isis Genari

Integração entre computador e smartphone

Foto: Divulgação


Projeto Ara, do Google, permite que o usuário customize o smartphone ao seu gosto.

O Projeto Ara, do Google, é um promissor do projeto que, caso venha se concretizar, realmente teria um enorme impacto no mercado de smartphones, já que se trataria da possibilidade de você customizar seu smartphone ao seu gosto, escolhendo desde a câmera do seu smartphone, passando pela bateria até o chipset, algo hoje ainda não presente e disponível no mercado, parecido com a opção de montar um computador, comum entre usuários que costumam jogar na plataforma.

O projeto havia sido adiado para 2016 e agora finalmente parece estar saindo do papel. Isso graças a um benchmark realizado pelo site GFX Bench, onde podemos encontrar um smartphone com o nome de Google Project Ara (A8A01), exibindo algumas configurações do dispositivo, entre elas, uma bem curiosa: o suposto tamanho da tela do aparelho.

Segundo o site, a tela do dispositivo trata-se de uma Full HD de 13,8 polegadas, algo que mais se parece com um tablet do que um smartphone propriamente dito. Porém, vale lembrar que a ideia do Project Ara é que o usuário customize seu dispositivo, haveria um limite para o tamanho da tela tão grande assim, a ponto do dispositivo praticamente ser um tablet?

Ainda segundo o site, o dispositivo conta com um chipset Snapdragon 810 de 1,9 GHz, 3GB de RAM e a placa gráfica Adreno 430.

Outros dois pontos curiosos, ficam para a câmera e para a memória interna do aparelho. Segundo o GFX Bench, o dispositivo conta com uma câmera principal de 5 Megapixels e uma frontal VGA, o que novamente leva ao questionamento: seria o dispositivo na verdade um tablet, visto que câmeras com essa resolução são comuns entre esses aparelhos?

Já a memória interna do aparelho, consta como 10GB e 25GB, algo também pouco comum no mercado. Mas novamente, vale o lembrete, a ideia do projeto é o usuário customizar seu dispositivo, ou seja, nada impede de que nos deparemos com algo assim, no futuro.

Ainda não se sabe exatamente quando o projeto realmente sairá do papel e será lançado, embora o benchmark seja um forte indício de que podemos ver isso acontecer em breve. Resta-nos aguardar.

Por Isis Genari

Projeto Ara

Foto: Divulgação


Após ser lançada a última atualização do Firefox OS, 2.6, a Mozilla não dará mais suporte e continuidade ao sistema operacional.

Foi bom, ou nem tanto, enquanto durou. No dia 4 de fevereiro, a Mozilla anunciou oficialmente que irá descontinuar o Firefox OS, tendo sua morte decretada pela empresa. O sistema operacional Mobile deverá receber sua última atualização, 2.6, em breve, e após isso, a empresa não dará mais suporte e continuidade ao sistema, que foi uma tentativa de competir com o Android, o iOS e o Windows.

Não deu certo. Pouquíssimos aparelhos com o sistema operacional foram lançados no mercado e, mesmo esses, acabaram não recebendo atenção alguma, tanto por parte dos usuários, como por parte da mídia que ''boicotou'' os aparelhos.

Um dos motivos do fracasso do OS, além do fato de não ter oferecido uma experiência razoável para seus usuários, é o grande número de dispositivos de entrada lançados com Android, visto que a estratégia da Mozilla para entrar e ganhar espaço no mercado, seria a aposta em um OS mais barato para as fabricantes. Porém, não é apenas a grande quantidade de opções de smartphones de entrada do Android, que acabou por derrubar o projeto da Mozilla.

Recentemente, a Google anunciou o ''Android One'', versão mais simplificada do Android, para smartphones que são fabricados em parceria com a Google e possuem um preço bem abaixo do normal para o mercado, mesmo para dispositivos simples e tem como grande foco, mercados como o da Índia.

Além da forte concorrência do Android, o Firefox OS sofreu até mesmo com o Windows, que por não ser um sistema ainda tão popular e que possa ser devidamente comparado com o iOS e o Android, acaba por ter diversos aparelhos de baixo custo para os usuários.

Porém, a notícia não significa a retirada da Mozilla do mercado Mobile ou de sistemas operacionais Mobiles, visto que, no e-mail enviado à imprensa, segundo o site The Next Web, a Mozilla afirma que vem testando novas formas de inovar no mercado Mobile.

Já a Marketplace, loja de apps do OS, continuará no ar até o dia 29 de março, sendo desativada completamente, após a data.

Vale lembrar que, em dezembro do ano passado, a Mozilla já havia anunciado que a produção de smartphones com seu sistema operacional próprio, estava cancelada.

Por Isis Genari

Firefox OS

Foto: Divulgação


Novo modelo será apresentado oficialmente um dia antes da MWC 2016.

O lançamento do novo high-end da sul-coreana Samsung, o Galaxy S7, está cada vez mais próximo de acontecer. O smartphone deve ser apresentado oficialmente um dia antes da MWC (Mobile World Congress) 2016, que ocorre em Barcelona, na última semana de fevereiro, em um evento da Samsung.

Com a proximidade, evidentemente os rumores e informações a respeito do dispositivo, aumentam expressivamente, principalmente as referentes aos ''benchmarks'', que passam os aparelhos.

Como se sabe, o novo Galaxy S7, contará com 2 chipsets, mas em versões diferentes. Trata-se do Exynos 8890, chipset da própria Samsung e que deve ganhar cada vez mais espaço em seus smartphones, visto a vontade da empresa em se tornar cada vez mais independente de outras marcas, e o chipset da Qualcomm, o Snapdragon 820.

Embora testes feitos com o S7 já tenham sido divulgados nas últimas semanas, com essa comparação, poderemos saber provavelmente qual é o chipset ideal para os usuários que buscam o máximo de desempenho.

Tais testes são feitos com apenas um núcleo de processamento do dispositivo ativado, e com todos os núcleos ativados, posteriormente. No primeiro teste, com apenas um núcleo, o chipset da Qualcomm, acabou levando a melhor sobre o da Samsung, obtendo 2.282 pontos enquanto o Exynos 8890 conseguiu 1.873 pontos no teste.

Porém, quando todos os núcleos de processamento estão ativados, quem leva a melhor segundo os testes é o chipset da Samsung, que conseguiu obter 5.946 pontos no teste, enquanto o chipset da Qualcomm fez 4.979 pontos.

Tal resultado já era esperado, já que o Exynos 8890, possui 4 núcleos de processamento a mais que o Snapdragon 820, o que acaba por aumentar o desempenho, evidentemente. Nos testes, a diferença de desempenho com todos os núcleos ativados foi de 20%.

Os testes foram realizados pelo GeekBench.

Lembrando que, o chipset da Samsung, o Exynos 8890 conta com oito núcleos de processamento (4 núcleos que trabalham com 1,6 GHz para tarefas mais básicas e outros 4 núcleos que chegam a 2,3 GHz).

Já o chipset da Qualcomm, Snapdragon 820 conta com 4 núcleos sendo 2 núcleos Kryo a 1,6 GHz também para aplicações que não necessitam de desempenho máximo e outros 2 núcleos com velocidade a 2,15 GHz.

Por Isis Genari

Samsung Galaxy S7

Foto: Divulgação


Aplicativo do Facebook está atrapalhando o desempenho e a utilização da bateria de smartphones Android.

De acordo com um teste feito por um editor do jornal britânico The Guardian, o aplicativo do Facebook pode ser responsável por pioras no desempenho e na utilização da bateria de smartphones. Após o blogueiro Russell Holly desinstalar o aplicativo de seu Android, juntamente com o app do Facebook Messenger, e constatar uma melhora de 15% tanto na duração da bateria quanto no desempenho, Samuel Gibbs resolveu remover o aplicativo de seu Huaweii Nexus 6P.

Gibbs permaneceu com o Facebook Messenger instalado em seu telefone, mas desinstalou o app do Facebook, substituindo-o pelo app Metal, uma espécie de replicador da versão mobile do site do Facebook. Ao final de uma semana, o jornalista percebeu que a bateria de seu smartphone tinha um consumo 20% menor em média, sem o aplicativo da rede social instalado em seu sistema operacional.

Curiosamente, as estatísticas de uso da bateria mostradas pelo seu celular não mostravam que o aplicativo consumia muita energia da sua bateria. Porém, os dados de consumo de bateria de outros serviços do telefone, como o próprio sistema operacional Android, caíram depois que o app foi excluído. Assim, Gibbs constatou que o Facebook gastava muita energia rodando em segundo plano, já que esses serviços geralmente são uma plataforma para os aplicativos que ficam rodando em background.

Em nota ao The Guardian, o Facebook se manifestou: “Recebemos alguns relatos de pessoas reclamando de problemas com a velocidade procedentes do nosso aplicativo para Android. Estamos analisando o caso. Estamos comprometidos a continuar melhorando esses serviços”. A empresa não mencionou os problemas relacionados ao consumo de bateria.

Enquanto o Facebook não resolve os problemas de desempenho com o app de sua rede social, Gibbs aconselha os usuários de Android a usar outros programas que hospedem o Facebook, como o Metal, que ele usou em seu experimento. Outra alternativa é acessar a rede social através de seu site, nos navegadores em seu Android. As novas atualizações do Google Chrome, inclusive, trazem a opção de, uma vez logado em sua conta no Facebook, receber as mesmas notificações sem a necessidade da instalação do app, economizando, assim, a bateria e a velocidade do seu smartphone.

Por Renato Senna Maia

Facebook


O pagamento foi feito à Apple para manter a barra de busca do Google como padrão nos dispositivos com iOS.

Nos dispositivos móveis, Google e Apple são rivais de mercado. O Google, com o Android, hoje, o sistema operacional Mobile mais utilizado do mundo, e a Apple, com o iOS, que concorre diretamente com os smartphones com o Android, com o diferencial de somente a Apple poder produzir aparelhos com o iOS, o que não acontece no Android, por ser um SO livre (Linux).

Porém, a ferrenha concorrência que ambas as empresas enfrentam no mercado, não as inibem de fazer negócios juntas, ao menos, algo parecido com isso. O Youtube, que pertence ao Google, está presente no iOS, o Google é o buscador padrão do Safari e US$ 1 bilhão saíram dos cofres do Google para a Apple.

O motivo? O pagamento foi feito para manter a barra de busca da empresa de Mountain View como padrão nos dispositivos com o iOS. O pagamento foi descoberto graças a um processo de 6 anos atrás, em 2010, da empresa Oracle contra o Google, que foi revelado recentemente pela Bloomberg.

Ao que parece, ambas as empresas gostariam que tal informação fosse mantida em sigilo, ainda mais pelo fato de no passado, o atual CEO da empresa da maçã, Tim Cook, ter duramente criticado o serviço de propagandas do Google em sua plataforma de pesquisas.

A decisão do Google em pagar para a Apple manter sua barra de pesquisa nos dispositivos com iOS, gerou polêmica na rede, não só pelo alto valor pago, mas também por muitos estarem acusando o Google de concorrência desleal, por estar pagando para usarem seu serviço.

Certo ou errado, é fato que muitas das grandes empresas fazem negócios ''debaixo do tapete'', para não ocorrer vazamentos como esse na mídia, que acabam por gerar polêmica.

Não se sabe até quando, tal valor pago é válido para o Google manter a preferência por sua barra de pesquisas ou mesmo os detalhes de tal contrato entre as duas empresas.

Por Isis Genari

Buscador do Google

Foto: Divulgação


Foram realizados testes que comprovaram que o Lumia 950 XL não possui sistema especial de resfriamento interno líquido.

A notícia de que a Microsoft iria utilizar no seu novo Lumia 950 XL um sistema especial de resfriamento interno líquido, certamente deixou diversos usuários extremamente felizes com a novidade, já que diminuiria, e muito, os riscos de superaquecimento do smartphone, que já vinha sofrendo críticas graças ao seu chipset Snapdragon 810, que apresentou exatamente problemas com superaquecimento.

Porém, a felicidade durou pouco. Muito pouco. Testes foram realizados no novo phablet da norte-americana e foi comprovado, que, embora um sistema interessante de redução de calor tenha sido implementado no aparelho, o sistema líquido prometido na apresentação do aparelho, de fato, não aconteceu.

O fato foi descoberto e comprovado por Jerry Rig, especialista em Mobiles e que possui um canal no YouTube, que explorou completamente tudo o que envolve o phablet, em seus vídeos. Jerry abriu o aparelho por completo para poder explorar o 950 XL. Ao fazer isso, Jerry encontra a haste que é responsável por dissipar o calor do chipset Snapdragon 810, que já como citado, apresentou problemas de superaquecimento em smartphones Android, vale ressaltar. Mas a descoberta vem ao abrir o componente que é responsável por prevenir esse tipo de problema: Não existe qualquer sistema líquido presente no phablet, como prometido.

O especialista Jerru Rig chegou a entrar em contato com o suporte da empresa, que respondeu que o Lumia 950 XL conta com uma solução apenas baseada em tubo líquido tradicional. Mostrando que a Microsoft, infelizmente, usou nada mais do que um jogo de palavras, para garantir um pouco mais de destaque para seu dispositivo.

Por outro lado, existem também notícias boas a respeito do phablet, que também passou por testes de resistência, e se saiu extremamente bem. Na tela, chegou-se a utilizar um isqueiro com fogo acesso, para tentar danificar a tela do dispositivo, porém sem sucesso. Normalmente  a tela fica esbranquiçada em definitivo, ou escurecem seus pixels. Apenas as partes em policarbonato, não apresentaram resultados satisfatórios, assim como, surpreendentemente, o logotipo da marca na traseira.

O Lumia 950 XL ainda não está disponível no Brasil e não existe uma previsão de lançamento, com a justificativa de que a crise financeira que o país enfrenta, esteja atrasando o lançamento do dispositivo.

Por Isis Genari


Lenovo tem planos de acabar com as linhas Moto E e Moto G da Motorola.

Uma notícia recente desagradou e causou surpresa em diversos brasileiros, fãs dos smartphones da Motorola. A Lenovo, empresa chinesa, dona da Motorola, teria planos para acabar com as linhas Moto E e Moto G, duas das que mais fazem sucesso em solo tupiniquim. A empresa já havia anunciado que irá acabar com a marca Motorola.

A informação do suposto fim das linhas, foi dada por Chen Xudong, vice-presidente da Lenovo. As linhas E e G, teriam fim graças ao fato de que, com a unificação completa das marcas, haveria uma junção dos produtos de ambas, e para os smartphones de baixo custo, uma nova linha da Lenovo tomaria conta desse mercado.

Porém, com os modelos de 2016 já definidos e com o enorme sucesso que as linhas fazem no Brasil e em países emergentes, a Motorola Brasil, comunicou que houve um mal-entendido nas declarações de Xudong. A empresa afirmou que tanto o Moto E como o Moto G, fazem parte do planejamento da empresa para o ano de 2016.

Entretanto, o comunicado da empresa apenas garante as duas linhas de sucesso para 2016, ficando uma dúvida sobre a continuidade em 2017. O desejo da Lenovo é reformular a linha de smartphones de linha básica, com o ''Moto by Lenovo''.

Além da ''morte'' da Motorola, a Lenovo também anunciou novas tendências para suas produções com a unificação das marcas, como a adoção completa do sensor biométrico, telas grandes, nova versão do Android, unindo o que há de melhor na versão da Lenovo e da Motorola, e maior foco em dispositivos intermediários no mercado e high-end nos próximos anos.

Embora a notícia possa parecer péssima, mesmo não imediata, para os brasileiros, mesmo as duas linhas chegando ao fim, evidentemente a Lenovo lançaria uma nova linha de smartphones de entrada, que já teria inclusive um nome, como reportado na notícia, e ao menos a princípio, não deve haver uma grande diferença de preço e custo-benefício com o hardware, podendo até mesmo, gerar produtos ainda melhores para o mercado nacional.

Por Isis Genari

Moto G

Foto: Divulgação


Imagens revelam poucas mudanças no aparelho. Previsão é de que o aparelho seja lançado no início de 2017.

As notícias para os apaixonados por tecnologia não são das melhores, principalmente pelos smartphones, haja vista que as imagens iniciais do possível Samsung Galaxy S7, aparelho com previsão de lançamento para o início do ano de 2017, estão frustrando muitos consumidores que estavam aguardando mudanças significativas no design deste aparelho.

Um portal eletrônico já conhecido por divulgar informações preliminares a respeito dos principais lançamentos da empresa sul-coreana fez a divulgação oficial daquilo que seria um protótipo do tão aguardado Samsung Galaxy S7. Essas imagens, segundo este site, teriam sido disponibilizadas para a fabricante de acessórios ITSkins, sendo que juntamente com as imagens desse protótipo a empresa já estaria de posse também dos detalhes relativos não só do layout deste lançamento, como também de suas proporções.

De acordo com a tendência atual, a Samsung deve fazer o lançamento de dois modelos do smartphone S7. Sendo que, segundo as notícias de bastidores, um deles medirá 143,37 x 70,8 x 6,94 milímetros, já a outra versão possui uma tendência de ser muito maior do que as conhecidas versões Plus, com seis polegadas e dimensões de 163,32 x 82,01 x 7,82 milímetros.

Atualmente, o aparelho da Samsung que possui a maior tela é o Galaxy Mega 2, a qual tem 5,9 polegadas. Logo em seguida temos os recém-lançados no mercado Galaxy Note 5 e o Galaxy S6 Edge+.

Com relação ao design, as notícias preliminares dão conta de que haverá apenas duas modificações nestes novos aparelhos, sendo que serão: o formato mais retangular do botão principal, bem como a realocação da entrada de cartão SIM do aparelho que nessa versão será colocada na lateral.

De qualquer forma, o que nos resta é aguardar até que maiores detalhes a respeito, não só da configuração como também do design deste lançamento, sejam divulgados, mas com certeza até o lançamento oficial teremos muitas notícias boas a respeito deste smartphone que de fato é muito aguardado por todos.

Por Adriano Oliveira


Vendas no Brasil iniciarão no final de dezembro pelo valor de R$ 2.599.

O novo smartphone da Sony, Xperia M5, começará a ser vendido no final de dezembro no Brasil. O preço do aparelho será de R$ 2.599. No país, o modelo terá entrada para dois chips, quadriband e televisão digital.

O maior destaque do lançamento, além de ser à prova d'água, são as duas câmeras. A traseira tem incríveis 21,5 megapixels com 5248×3936 pixels e a dianteira, não menos extraordinários, tem 13 megapixels. A câmera traseira grava em resolução 4K e possui a tecnologia chamada pela marca de Clear Image Zoom – zoom de cinco vezes sem grande perda de qualidade na imagem. O foco automático ajusta-se em apenas 0,15 segundo.

A tela, também impressiona com suas cinco polegadas e, como as capturas, alta resolução – full HD de 1080×1920 pixels. O LCD possui proteção scratch-resistant glass e 16 milhões de núcleos de exibição.

O smartphone não deixa a desejar em suas configurações principais. A memória RAM é de 3GB e o processador é um octa-core Helio X 10 de 2 GHZ. A memória interna de armazenamento tem capacidade de 16 GB com expansão para até 200 GB via cartão SD. O sistema operacional é o Android Lollipop, com atualização próxima para o Marshmallow.

Segundo a Sony, a bateria suporta dois dias inteiros de uso. Para stand by, a duração é de 627 horas. E, em conversação, a durabilidade estimada da carga total é de 11,5 horas.

A traseira do M5 é toda em vidro e as laterais, em aço inoxidável. As dimensões são 14,5×7,2 centímetros. A espessura é de 0,7 centímetro e o peso, de 142 gramas. As cores disponíveis são prata, dourada e preta.

O browser tem recurso HTML 5 para a abertura de páginas.

O novo Xperia terá mudanças apenas na compra pela Claro, que venderá o produto sem a possibilidade de dual chip e sem televisão digital. Será a única operadora, além do varejo em geral, que comercializará o smartphone.

Por Bruno Klein

Sony Xperia M5

Sony Xperia M5

Fotos: Divulgação


Agora no Google Play é possível colocar créditos na sua conta por meio do sistema de recarga.

O Google Play lançou uma novidade inédita e bastante acessível. Agora será possível colocar créditos na sua conta por meio do sistema de recarga. O processo funciona de forma idêntica ao utilizado na compra de créditos dos celulares pré-pagos.

As vendas de smartphones no Brasil cresceram consideravelmente nos últimos anos. Esse fator deu aos brasileiros o segundo lugar em número de downloads de aplicativos e games no Google Play, perdendo apenas para os americanos.

Mesmo com esse cenário, muitos brasileiros, principalmente os mais jovens não dispõem de cartão de crédito ou vale-presentes para efetuarem compras no Google Play. Isso levou a empresa a desenvolver a estratégia de recarga no Brasil tendo em vista a tentativa de alcançar esse público.

O Gerente de Parcerias de Varejo – Cristiano Andrade – explicou que a nomenclatura que está sendo utilizada na divulgação é a mesma dos celulares para que o entendimento do público ocorra de forma facilitada e natural.

A opção de recarga já está disponível desde a semana passa, mas a divulgação em massa começou apenas agora. A contagem de estabelecimentos comerciais que oferecem o serviço já alcançou a casa dos 250 mil e inclui pequenos comércios, casas lotéricas, bancas de jornais e mini mercados. De acordo com a empresa, a intenção é conseguir aumentar esse número em mais 50 mil até o começo de dezembro.

Os valores disponíveis para recarga variam de R$15,00 a R$100,00. O funcionamento do processo é bastante simples, os usuários deverão informar aos atendentes dos estabelecimentos que desejam realizar uma recarga do Google Play. Feito o pagamento, o sistema irá gerar um código que poderá ser digitado no campo “resgatar” da plataforma para efetuar a compra de aplicativos, filmes, livros, revistas ou qualquer tipo de conteúdo pago.

O Brasil é o primeiro país do mundo que recebeu essa possibilidade, vários fatores contribuíram para a escolha do Google. A grande extensão territorial do país foi um deles, os vale-presentes não são comuns em locais mais afastados, pois costumam ser mais acessíveis em grandes centros urbanos. A porcentagem elevada de consumidores que utilizam celulares pré-pagos – 76%, segundo a Anatel, também contribuiu para a inserção da nova estratégia. 

Por Beatriz 

Google Play Recarga


Novo modelo tem uma aparência totalmente metalizada, oferecendo um design premium.

A chinesa Xiaomi anunciou nesta semana o lançamento de um novo produto para os consumidores na China. Trata-se do seu novo phablet, o Redmi Note 3.

Um dos aparelhos mais esperados do ano pelos consumidores chineses, o sucessor do Redmi Note 2 promete ter um desempenho acima do esperado e desempenhar funções que agradarão até os mais exigentes.   

O Redmi Note 3 conta com uma aparência totalmente metalizada, o que lhe entrega um design premium. Apesar de ser bastante atraente, o visual do aparelho não é muito diferente dos aparelhos anteriores. O peso e a espessura continuam muito similares, o que não mostra uma grande evolução da Xiaomi em quesitos estéticos. No entanto, as especificações técnicas ganharam alguns upgrades de darão mais potência para o smartphone.  

O dispositivo chinês apresenta um sensor biométrico, o primeiro da Xiaomi com tal recurso. Diferente dos iPhones e similar a nova linha Nexus do Google, o sensor de leitura digital fica na traseira do aparelho. A fabricante garante que o desbloqueio do aparelho aconteça de maneira bem rápida, em apenas 0,3 segundos. Há também a possibilidade de utilizar o recurso para a realização de pagamentos mobile.   

Ele conta com uma tela de 5,5 polegadas de 1080p. Seu processador é o MTK Helio X10 de 64 bits e de oito núcleos rodando a 2,0 GHz. Há duas versões do aparelho, uma com 2 GB de memória RAM e outra com 3 GB, o que garante um excelente desempenho, principalmente no multi-tarefa. Mas, não é só isso. O Redmi Note 3 conta com 16 GB ou 32 GB de armazenamento interno, bateria de 4.000 mAh, conectividade 4G, Dual SIM e WiFi 802.11ac. Ele tem uma espessura de apenas 8,65 mm no ponto mais fino e pesa cerca de 165 gramas.   

Equipado de fábrica com o Android 5.1.1 (Lollipop), o aparelho vem com a interface MIUI 7, amplamente conhecida nos aparelhos da Xiaomi. A câmera traseira de 13 MP tem autofoco bastante rápido e flash em dois tons. Já a câmera frontal de 5 MP permite a escolha de 36 "perfis inteligentes" que ajudam na hora do selfie.  

Infelizmente, ainda não há previsão de chegada do Redmi Note 3 para o mercado brasileiro e nem mesmo nos Estados Unidos. Ele está disponível para venda na China nas cores prata, ouro e cinza (dark grey). Será comercializado em dois modelos: um com 2 GB de RAM e 16 GB de armazenamento e outra com 3 GB de RAM e 32 GB de armazenamento.

Por William Nascimento

Xiaomi Redmi Note 3

Xiaomi Redmi Note 3

Fotos: Divulgação


Empresa pretende conquistar o mercado brasileiro e ficar entre as 5 maiores marcas vendedoras de smartphones no País.

Apesar de estar comercializando seus smartphones há pouco mais de 10 meses, a Asus já conseguiu vender mais de 800 mil aparelhos e está empolgada com os resultados. Agora, a meta da empresa é ficar entre as 5 maiores marcas vendedoras de smartphones no Brasil, só que isso não será nada fácil, pois apesar de ser um mercado muito próspero, é também bastante concorrido e por grandes marcas.

Mas a Asus está disposta a encarar esta briga e na última quinta-feira (20) lançou no mercado brasileiro seus novos smartphones, os modelos da família ZenFone 2, com preços que variam de R$ 899,00 a R$ 1.999,00.

Por enquanto, a companhia taiwanesa está na 7ª posição, atrás das seguintes marcas:
Samsung, Apple, LG, Sony, Motorola e Nokia, que são as 5 maiores atualmente. Estas empresas fizeram um acordo para que não seja revelada qual a participação de cada uma no mercado de smartphones, por isso não é possível saber qual ocupa a primeira posição no ranking, mas uma certeza é que estas empresas respondem hoje, por 95% das vendas de smartphones aqui no Brasil.

A Asus quer conseguir uma fatia deste mercado, de forma especial da Motorola, empresa que ao lançar o Moto G conseguiu se tornar a empresa com o aparelho mais vendido do mercado.

Jerry Shen, presidente-executivo da Asus, informou que uma das metas da empresa para conseguir uma fatia maior deste mercado é lançar modelos top de linha, aparelhos que contam com tecnologia de ponta e que são mais resistentes.

Shen, indiretamente, criticou os aparelhos da Motorola, ao dizer que são smartphones bons, mas que os smartphones da Asus precisam ser excelentes.

Em relação à nova linha da Asus, o carro-chefe é o ZenFone 2 que conta com processador Intel e 4GB de memória, com o preço de R$ 1.299,00. A empresa responsável pela montagem dos smartphones da Asus aqui no Brasil é a Foxconn, porém, todos os componentes deverão ser importados, pois a Asus quer garantir uma melhor qualidade para seus smartphones.

Com o dólar custando quase R$ 3,50 não vai ser fácil para a Asus, importar as peças e, ainda assim, conseguir vender smartphones com preços mais em conta, mas a empresa promete investir em planejamento logístico e aposta nos subsídios chineses para as compras dos componentes, para conseguir manter o preço reduzido.

Por Russel

Asus ZenFone 2

Asus ZenFone 2

Fotos: Divulgação


Modelo SM-G9198 foi lançado para atender aos consumidores que gostam dos celulares com flip, porém não deixa a desejar quando os assuntos são tecnologia e processamento.

O smartphone tomou conta do mercado, mas ainda há uma parcela entre os consumidores que preferem os modelos flip e foi visando este público que a Samsung lançou na China um celular flip, porém, com toda a tecnologia disponível hoje no mercado, com um poderoso hardware e só mesmo o visual lembra os antigos modelos flip.

O modelo SM-G9198 procura atender estes consumidores mais nostálgicos, que por um motivo ou outro, preferem estes modelos aos smartphones. O processador é um Snapdragon 808, a câmera é de 16 megapixels e a bateria é de 2.020 mAh.

O celular flip era um modelo alternativo para quem não gosta ou não precisa ter um smartphone e foi pensando nisso que a sul-coreana apostou neste novo modelo, mas preferiu investir em um hardware mais poderoso e abrangente, pois sabe que por mais nostálgico que seja o consumidor, com o avanço da tecnologia ele vai querer um aparelho que ofereça bons recursos.

No Brasil, dificilmente encontramos alguém com um celular flip, mas na Ásia estes modelos são comuns e por isso mesmo, estão sempre sendo lançados novos modelos por lá.

O SM-G9198 não é nada modesto, inclusive, encaixa-se perfeitamente entre os smartphones modernos, para você ter uma noção do poder de processamento deste modelo, e para ajudar o poderoso processador Snapdragon 808, a Samsung ainda investiu em dar ao modelo 2GB de memória, para ele executar perfeitamente todas as tarefas. O espaço para armazenamento interno é de 16GB e além da câmera de 16 megapixels, tem outra de 5 megapixels. Uma configuração que, certamente, vai atender muito bem os amantes dos celulares flip.

Quem já está acostumado com os modernos smartphones, vai estranhar a tela do SM-G9198 que é somente de 3,9" mas conta com uma boa resolução, de 1280 x 720 pixels HD.

A câmera do SM-G9198 é superior à do iPhone 6 e de muitos outros smartphones considerados "bons", o que deixa claro que os usuários que optarem por este celular flip vão poder matar a saudade, mas sem abrir mão da qualidade, pois em questão de hardware, é um ótimo aparelho.

Por Russel

Samsung SM-G9198

Samsung SM-G9198

Fotos: Divulgação


Novos modelos chegarão ao mercado brasileiro em setembro e custarão em torno de R$ 4 mil. As novidades são que o Edge+ ficou maior e o Note 5 terá um design mais moderno.

O Samsung Galaxy Note 5 e o S6 Edge+ chegam ao mercado brasileiro no próximo mês de setembro e deverão custar em torno de R$ 4.000,00. Os modelos foram anunciados na última quinta-feira (13) pela empresa sul-coreana.

Os novos modelos da Samsung vão contar com telas de 5,7" e a linha Note terá um design completamente renovado, porém, se comparado com seus antecessores, as mudanças não serão tão significativas assim.

O Galaxy Note 5 e o S6 Edge+ não tiveram o preço anunciado oficialmente, mas ficarão em torno de R$ 4 mil. O anúncio dos novos modelos foi feito pela Samsung em Nova York, Estados Unidos, e quase todos os rumores que já vinham circulando pela internet foram confirmados.

A principal novidade nos aparelhos é que o Edge+ ficou maior e no Note 5 a novidade está no visual, que traz um design moderno, com leve curva traseira, deixando bem parecido com o S6.

Mas não é só no visual que o Note 5 se destaca, ele também conta com um processador superior, considerado hoje um dos melhores do mercado, tornando o modelo o número 1 entre os top de linha.
A memória é de 4GB, tanto para o Note 5 como para o Edge+ e a venda em vários países terá início no próximo dia 21 de agosto.

Roberto Soboll, diretor de produtos móbiles da Samsung, comparou estes novos lançamentos a um computador portátil, por causa da alta capacidade de processamento. Quanto ao tamanho do smartphone, Soboll disse que no passado as pessoas até se incomodavam com isso, mas atualmente já não ligam e tem uma parcela do público que até prefere os modelos assim, desde que ofereçam um excelente poder de processamento, principalmente para filmes e games.

Em 2011 a Samsung foi muito criticada ao lançar o “Phablet”, um super smartphone com tela de 5,3 polegadas, mas aos poucos o público se acostumou com a ideia e até outros grandes fabricantes começaram a apostar na ideia de telas grandes.

Os dois lançamentos da Samsung contam com bateria de 3.000 mAh que pode ser totalmente carregada em 120 minutos. A tela do S6 Edge+ tem resolução de 2560 x 1440p e conta com tecnologia Super Amoled. O Note 5 passou a ter uma câmera frontal de 5MP e a traseira continua com 16MP.

Por Russel

Samsung Galaxy Note 5

Samsung Galaxy S6 Edge+

Fotos: Divulgação


Segundo rumores, a novidade é a nova geração do modelos iPhone 6 e do iPhone 6 Plus.

A Apple pretende divulgar no próximo dia 9 de setembro um novo modelo do iPhone, que segundo informações de John Paczkowski do Buzzfeed, é a nova geração do modelos iPhone 6 e do iPhone 6 Plus.

Essa data foi escolhida, pois é na semana do dia 7 de setembro, quando o Brasil comemora a sua independência e o dia 9 (uma quarta-feira) é a mesma data que ano passado foi realizada uma conferência similar.

Inicialmente, esses modelos vão se chamar iPhone 6S e iPhone 6S Plus, que conforme algumas fotos que foram mostradas vão ter poucas mudanças no seu design, ou seja, não vão mudar nada em relação a aparência atual dos iPhone 6 e iPhone 6 Plus, mas o 6S vai ser bem mais espesso do que os modelo 6.

Esses modelos vão contar também com um processador que vai apresentar um melhor desempenho, conhecido como processador A9, bem mais potente do que o atual e ainda é esperado que esses mesmos aparelhos venham com  telas contendo a tecnologia Force Touch, já presente nos Apple Watch e também no Mac Book.

Existe também informações que nessa mesma conferência um novo iPhone com uma tela de 4 polegadas vai ser apresentado e com um custo bem mais barato que os demais modelos, além, é claro, de um novo gadget para a Apple TV, que vai apresentar uma App Store dedicada a ela. A Apple TV também se cogita que vai apresentar um novo controle remoto com touchpad, junto com um suporte à Siri e ainda comandos de voz, mais um novo método que realiza a interação com o set-top box da própria empresa.  Outro fato é que esse modelo ainda vai ser mais fina do que o modelo atual e com um processador A8, idêntico ao modelo do iPhone 6.

Nesse evento ainda temos a informação que a empresa vai divulgar novos modelos de iPad, que seriam o iPad Air 3 e também o iPad Mini 4, além do já esperado e sonhado iPad Pro que vem 12,9 polegadas, mais uma atualização do Apple Watch.

Por Fernanda de Godoi

Novo iPhone 6S

Novo iPhone 6S Plus

Fotos: Divulgação


Modelo DC-21 possibilta que as baterias dos celulares sejam recarregadas sem precisar de tomadas.

A nova geração de celulares com maiores funcionalidades trouxe uma preocupação a mais para os usuários: a bateria que descarrega com muita rapidez faz com que haja uma procura constante por tomadas disponíveis para que o celular seja recarregado. Mas e quando não há uma rede elétrica por perto?

Para solucionar esse problema, algumas empresas lançaram o carregador portátil de celular, que permite que o usuário faça uma recarga no seu celular, sem a necessidade de conectá-lo em uma tomada. O dispositivo funciona como uma bateria externa extra, que transfere a eletricidade para o aparelho.  

A Microsoft não ficou para trás e lançou seu modelo oficial de carregadores portáteis para seus celulares. O modelo chamado de DC-21 é compacto e leve e tem um visual chamativo por suas cores. O aparelho segue as cores padrão dos smartphones da empresa. O aparelho também é leve, possui somente 145 gramas, o que possibilita seu transporte em bolsas, mochilas ou mesmo no bolso, sem maiores problemas.

A Microsoft afirma que o carregador fornece 80% da carga de uma bateria comum em três horas conectado ao aparelho e 100% se ficar conectado 4 horas. Como nem sempre temos tempo para ficar 3 ou 4 horas carregando o celular, a intenção é que o gadget seja um aparelho para ser usado em momentos emergenciais.

Vale ressaltar que a carga pode ser alterada dependendo do estado da bateria de seu smartphone ou tablet. 

Os dias de desespero atrás de uma rede elétrica podem estar com os seus dias contados. Com o carregador portátil o usuário tem muito mais autonomia no uso de seu aparelho, com maior tempo de duração sem a necessidade de ligá-lo a uma tomada. Além da enorme funcionalidade, o carregador original garante toda a segurança que o usuário necessita e as garantias de fábrica, como qualquer aparelho da Microsoft.  O novo carregador portátil da Microsoft pode ser comprado em uma das lojas franqueadas, pelo preço de 179 reais.

Por Patrícia Generoso

Carregador portátil da Microsoft

Carregador portátil da Microsoft

Fotos: Divulgação


Novo modelo é mais resistente à água, poeira e quedas.

A fabricante sul-coreana Samsung anunciou o lançamento de mais um smartphone em sua linha de produtos. Trate-se do Galaxy S6 Active que se integrará a família do Galaxy S6 e Galaxy S6 Edge.

O gadget foi anunciado nesta segunda-feira (08/06) e conta com uma característica bastante resistente.   O Galaxy S6 Active foi desenvolvido para usuários aventureiros, ou desastrados, que precisam de um aparelho com resistência à água e à poeira, além de algumas quedas.

O smartphone conta com uma bateria de 3.500 mAh, consideravelmente superior a do S6 tradicional que é de 2.550 mAh. A traseira do aparelho é feita utilizando material mais resistente e conta com botões e proteção lateral em borracha.  

O aparelho é equipado com uma tela de 5,1 polegadas Super Amoled QHD com resolução de 2560 x 1440, processador Exynos 7420 Octa-Core, 3 GB de memória RAM, 32 GB de armazenamento interno e câmeras de 16 megapixels (traseira) e 5 megapixels (frontal). Ele conta com suporte a carregamento por indução e, há um recurso exclusivo do aparelho: o Activity Zone. O recurso, em geral, é uma página que mostra itens como bússola, lanterna, cronômetro e temperatura para ajudar quem pratica atividades ao ar livre.   

A Samsung teve o cuidado de elaborar o aparelho para que ele conte com a certificação IP68, que garante que o smartphone suporte ser inserido debaixo d'água, em uma profundidade de até 1,5 metro, por até 30 minutos. Em relação às quedas, segundo a fabricante asiática, o aparelho suporta cair de uma altura de 1,20 metros sem sofrer danos graves.  

Clientes da operadora americana AT&T nos Estados Unidos poderão adquirir o aparelho a partir do dia 12 de junho, custando US$ 695. Há três versões do smartphone: branco, cinza e azul.

A Samsung não falou sobre a possibilidade do smartphone chegar ao mercado brasileiro ou qualquer outro país.

Você pode conferir o vídeo promocional da AT&T sobre o novo aparelho da Samsung (www.youtube.com/watch?v=-0YeYMbw7xY).

Por William Nascimento

Samsung Galaxy S6 Active

Samsung Galaxy S6 Active

Samsung Galaxy S6 Active

Fotos: Divulgação


Apenas 11,5% dos domicílios brasileiros usam tablets e smartphones como únicas maneiras de acesso à internet.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2013, no Brasil, o computador era o aparelho mais usado pelo brasileiro para acessar a internet, porém, tablets e celulares já são usados por 11,5% dos domicílios brasileiros como únicos aparelhos que acessam a internet; dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD).

Conforme apontou a técnica de coordenação de rendimento e trabalho do IBGE, Jully Ponte, ainda assim, o Brasil, em relação ao percentual de residências que têm acesso à internet (48%), está atrás da média apurada nas Américas (54,6%) e na Europa (76,2%); o levantamento foi realizado pela União Internacional de Telecomunicações (UTI, sigla em inglês).

Ainda sobre o uso de tablets e celulares, a região norte do Brasil é a que tem o maior percentual de acesso à rede através desses aparelhos; destaque para os seguintes estados: Roraima, Amapá, Sergipe, Amazonas e Pará. Os dados são da última pesquisa, realizada em 2013, mas conforme apontou a Jully Ponte, foi observado em 2014 um grande aumento no comércio de smartphones, o que leva a crer que o aumento no percentual de acesso à internet exclusivamente através dos supracitados aparelhos seja ainda maior.

Quanto às formas de conexão, cerca de 30 milhões de domicílios usam a banda larga para se conectarem, mas ainda assim a velha conexão discada ainda encontra espaço no mercado, tanto é que em 750 mil casas esse método de acesso à internet é usado.

Quanto ao uso da banda larga, 77% tem algum ponto fixo; a região norte é o único local do Brasil que a banda larga móvel é mais usada do que a fixa. Quanto ao acesso por parte dos brasileiros, a população de baixa renda, aquela que as pessoas recebem até um quarto do salário mínimo, tem 49,1% com acesso rotineiro à internet, enquanto que as pessoas que faturam mais de dez salários mínimos acessam a rede de forma rotineira, o equivalente a 95,7% da "classe".

Por Vinícius Cunha

Internet em tablets e smartphones

Foto: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: