Motorola One Vision – Lançamento, Características





O Motorola One Vision deve mesmo contar com três variantes, diferenciando-se no espaço interno e também na memória RAM. A diferenciação deve colocar o modelo no mercado de celulares intermediários.

Acontece no dia 15 deste mês o evento programado pela Motorola em solo brasileiro. Iniciando às 10h na cidade de São Paulo, o momento é aguardado com muita expectativa por parte da imprensa de um modo geral, ele deve marcar a chegada do primeiro aparelho da fabricante com processador Exynos de fabricação da Samsung.

No final do mês de março, segundo a imprensa especializada, o modelo passou por homologação na Anatel, a agência que regula o setor de telecomunicações no país. A autorização do órgão é necessária para que o modelo possa ser comercializado em terras brasileiras. Segundo relatório disponível no site da agência, três modelos foram enviados pela Motorola para a homologação, com os prefixos XT-1790-1; XT-1790-2 e XT-1790-3, sendo estas variantes modificadas apenas pelo armazenamento interno segundo rumores.




Ficha técnica

O Motorola One Vision deve mesmo contar com três variantes, diferenciando-se no espaço interno e também na memória RAM. A diferenciação deve colocar o modelo no mercado de celulares intermediários.

Na internet surgem algumas das supostas especificações técnicas do aparelho, marcado por ser o primeiro da empresa a vir com o processador Exynos.


O modelo terá duas variantes, com memórias de 3GB e 4GB, algo bastante comum nos intermediários, acompanhados de três opções para espaço interno: 32, 64 ou 128Gb de espaço interno, possivelmente suportando o armazenamento externo via cartões SD com versões com apenas um SIM card ou dois SIMs cards. É bem possível que apenas a versão com suporte a múltiplos cartões de operadora seja lançada no país.

O One Vision contará com painel frontal de 6,2 polegadas e recorte na parte superior da tela. A tecnologia IPS LCD garante um bom ângulo de visão com resolução de 1080×2520 pixels, algo que não é surpreendente, mas também não deve incomodar. A versão deste ano deve seguir com poucas bordas, contando com proteção em seu painel contra riscos e arranhões leves.

Já na parte de câmeras, podemos esperar um sensor duplo de fotografia na parte traseira, sendo a câmera principal com 48MP de resolução e abertura f/1,8, acompanhado de uma lente com 5MP para efeitos de profundidade. As lentes traseiras contarão também com Dual LED, além de um flash dual tone com possibilidade de registros em fotos com o recurso HDR. Já na parte frontal, o recorte abrigará uma lente de 12MP também com abertura f/1,8 e Led flash para ambientes menos iluminados.

Apesar de ser um lançamento, ele herdará algumas características de modelos mais antigos como o sensor de digitais, que possivelmente ficará na traseira do celular, saída para fones de ouvido, além de suporte a redes sem fio de alta velocidade. A bateria é de 3.500 mAH.

Processador Exynos

O grande destaque deste celular fica por conta justamente do processador Exynos, que até o momento equipava apenas celulares da própria Samsung, que é a fabricante do componente. Isto já havia sido vazado há alguns meses e parece que o projeto andou.

Para este modelo foi escolhido o Exynos 9610, que é destinado justamente para este mercado. O processador foi lançado no ano passado e apresentado para a imprensa juntamente com o lançamento do Galaxy S9. Os intermediários premium da Samsung em sua grande maioria estão também recebendo este mesmo processador.

A fabricante aponta que o 9610 possui oito núcleos, sendo quatro deles para alto desempenho e outros quatro para economia de energia. Nesta mesma receita temos uma fabricação de 10 nanômetros, o que ajuda na economia de bateria. As especificações ainda apontam suporte para recursos de alta velocidade nas redes móveis 4G, além de melhorias se comparado com seus antecessores.

Se compararmos o 9610 ao lado do Snapdragon 845, que é um processador voltado para celulares topo de linha, percebemos uma pontuação ligeiramente maior para o processador da Qualcomm, ficando nove números a frente do 9610. Isto já nos dá uma amostra do bom desempenho que o Motorola One Vision deve entregar, ainda mais com a versão quase pura do Android 9.0 que deve equipar o aparelho.

Por falar em Android, os rumores apontam que ele será suportado para a chegada do futuro Android 10 e Android 11, garantindo pouco mais de um ano e meio de atualizações.

Preços

Nenhum rumor sobre preços foram levantados, mas ao menos no Brasil esperamos que a Motorola posicione o mesmo com valores próximos a nova linha do Moto G lançada há alguns meses.

Por Leandrinho de Souza

Motorola One Vision



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *