Testes estão sendo realizados para transmitir cheiros por meio dos smartphones

  

  

Antes só falávamos pelo celular. Depois conseguimos mandar mensagens de texto. Depois imagens, vídeos cada vez mais nítidos. Vídeos tão reais que parece que estamos dentro do aparelho. Agora uma novidade que pode chegar a qualquer momento e causar uma nova revolução no mundo da tecnologia: sentir cheiros através dos aparelhos. Parece maluquice, mas o assunto já vem sendo estudado, e há algum tempo.

Já pensou num namoro pelo celular você puder sentir o perfume de seu amado (a)? O aroma daquele jantar que ele(a) disse estar preparando para você? Isso será muito possível em breve. Gigantes como Google e Microsoft já pesquisam o tema. Além de muitos pesquisadores solitários que já estão fazendo suas experiências.


Os primeiros testes deram origem a engenhocas parecidas com impressoras, onde dentro contêm cartuchos de espuma. Estes cartuchos já vêm pré-carregados com diferentes tipos de aroma, que são ativados através de pulsos elétricos. Dentro dos cartuchos são colocados cheiros básicos que podem ser misturados e originar diversos tipos de cheiros, dos agradáveis aos desagradáveis. O problema desse projeto é a confecção do hardware e armazenamento dos fluidos de cheiros. Ficaria caro, inacessível a muitos e, principalmente, armazenaria poucos tipos de cheiro. Foi pensado também armazenamento em chips, porém o problema neste projeto seria um software de administração desses aromas. O que importa é que já está sendo testada e que caso tenha sucesso uma das últimas barreiras que torna a ficção um pouco distante da realidade pode estar sendo quebrada e que, se isso for um sucesso, aí que muitas pessoas não sairão mais de casa e pouco desgrudarão de seus apetrechos tecnológicos, pois se eu vejo, ouço e sinto o cheiro, o que eu quero mais? Alguns dirão o toque, mas isso também já está sendo testado. Softwares que transmitem o toque através de outros equipamentos de hardware. Assim fica completo.

Mesmo que isso tudo funcione, tudo pode ser manipulado, desde uma mão calejada ou o chulé do outro lado da tela.

Por Luciana Viturino

  

Cheiros pelo celular

Cheiros pelo celular

Fotos: Divulgação

Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *