Lenovo tem planos de acabar com as linhas Moto E e Moto G da Motorola.

Uma notícia recente desagradou e causou surpresa em diversos brasileiros, fãs dos smartphones da Motorola. A Lenovo, empresa chinesa, dona da Motorola, teria planos para acabar com as linhas Moto E e Moto G, duas das que mais fazem sucesso em solo tupiniquim. A empresa já havia anunciado que irá acabar com a marca Motorola.

A informação do suposto fim das linhas, foi dada por Chen Xudong, vice-presidente da Lenovo. As linhas E e G, teriam fim graças ao fato de que, com a unificação completa das marcas, haveria uma junção dos produtos de ambas, e para os smartphones de baixo custo, uma nova linha da Lenovo tomaria conta desse mercado.

Porém, com os modelos de 2016 já definidos e com o enorme sucesso que as linhas fazem no Brasil e em países emergentes, a Motorola Brasil, comunicou que houve um mal-entendido nas declarações de Xudong. A empresa afirmou que tanto o Moto E como o Moto G, fazem parte do planejamento da empresa para o ano de 2016.

Entretanto, o comunicado da empresa apenas garante as duas linhas de sucesso para 2016, ficando uma dúvida sobre a continuidade em 2017. O desejo da Lenovo é reformular a linha de smartphones de linha básica, com o ''Moto by Lenovo''.

Além da ''morte'' da Motorola, a Lenovo também anunciou novas tendências para suas produções com a unificação das marcas, como a adoção completa do sensor biométrico, telas grandes, nova versão do Android, unindo o que há de melhor na versão da Lenovo e da Motorola, e maior foco em dispositivos intermediários no mercado e high-end nos próximos anos.

Embora a notícia possa parecer péssima, mesmo não imediata, para os brasileiros, mesmo as duas linhas chegando ao fim, evidentemente a Lenovo lançaria uma nova linha de smartphones de entrada, que já teria inclusive um nome, como reportado na notícia, e ao menos a princípio, não deve haver uma grande diferença de preço e custo-benefício com o hardware, podendo até mesmo, gerar produtos ainda melhores para o mercado nacional.

Por Isis Genari

Moto G

Foto: Divulgação


Android Marshmallow já pode ser instalado nos aparelhos Moto E de primeira geração.

Mesmo com a notícia recente de que as linhas E e G, da Motorola (que possui como dona, a Lenovo), podem chegar ao fim em breve, nem só notícias ruins existem para os usuários dos aparelhos. Já é possível instalar a nova versão do Android no Moto E de primeira geração.

O trabalho se deve aos desenvolvedores da versão alternativa do Android, CyanogenMod. As ROMs foram disponibilizadas pelos desenvolvedores na terça-feira, 12 de janeiro. O Marshmallow chega, também, com o CyanogenMod 13 nightly para os donos de outro smartphone, mas esse, não da Motorola, o HTC One A9.

Esse último, já havia recebido a atualização oficial da HTC, porém, muitos usuários preferem a atualização personalizada, sem a interface gráfica do Android da Motorola.

Para aqueles que são novatos em ROMs personalizadas e estão nos seus primeiros dias ou pretendem ainda, ao menos experimentar uma dessas atualizações em seu smartphone, vale lembrar que é necessário baixar o gapps, que é um pacote de aplicativos disponibilizados pelo Google para o CyanogenMod 13, ROMs personalizada mais famosa.

Porém, essa atualização ainda não é estável, por isso, é recomendável que todos os usuários que pretendam atualizar seu aparelhos para o Android Marshamallow 6.0 pelo CyanogenMod, façam um backup dos seus arquivos pessoais mais importantes ou até mesmo, o máximo possível, já que pode haver perda de dados e problemas durante e depois da instalação. Até mesmo por isso, os usuários devem concordar que são responsáveis por possíveis problemas em seus smartphones.

A ROM CyanogenMod, é bem conhecida no mercado e utilizada por diversos usuários, muitos, por não estarem satisfeitos com seu Android modificado pelas empresas, como a Samsung, uma das que mais recebem reclamações graças a lentidão de seus aparelhos, causada pelo ''peso'' das modificações feitas no Android.

Além da CyanogenMod, existem outras opções de ROMs alternativas no mercado, para aqueles que não andam muito satisfeitos com seus Androids atualmente.

Por Isis Genari

Moto E

Foto: Divulgação


Motorola lança 2ª geração do modelo Moto E. Smartphone ganha melhorias na tela e conexão 4G.

A segunda geração do famoso Moto E da Motorola chegou ao mercado com mudanças bastante significativas para se tornar o smartphone de entrada da empresa. As principais e mais significativas mudanças que a empresa fez no Moto E ficaram por conta da melhoria da tela e agora com a presença da conexão 4G. Estes são atrativos excelentes para quem deseja entrar no mundo dos smartphones com uma opção de aparelho que tenha um valor um pouco mais em conta.

Apesar dessas mudanças realizadas, o Moto E é um aparelho para aquelas pessoas que desejam ter um smartphone para utilização de aplicativos mais simples (como Whatsapp), contudo, que não abrem mão de ter muito luxo, pois o aparelho tem apenas 1,23 cm de espessura.

O Moto E ficou um tanto quanto gordinho se comparado aos aparelhos mais modernos, apesar disso, ele conta com um ótimo acabamento em plástico emborrachado. Um fator negativo é o fato de a câmera traseira do aparelho não possuir flash, além de que na versão que possui televisão a antena ficou mais parecida com um rabicho, o que deixou o aparelho com um design meio deselegante.

Agora uma vantagem que muitos consumidores irão gostar é os preços das versões deste telefone, haja vista que as versões 3G ou 4G com 8 GB de armazenamento poderão ser adquiridas por R$ 699,00. A outra opção disponível é a versão com TV Digital, que sai com a configuração 4G e com 16 GB de armazenamento, que custa R$ 729,00.

O processador utilizado neste aparelho pela Motorola foi o quad-core de 1,2 GHz, o qual permite rodar aplicações mais pesadas, no entanto, para os usuários que gostam de usar o telefone para jogar, vale ressaltar que o aparelho em todas as versões possui apenas 1 GB de memória RAM.

Portanto, o aparelho ficou bom devido ao custo benefício e ainda trás consigo funções interessantes, tais como o acionamento da câmera que pode ser feito por meio de movimentos e a Moto Tela, que permite com que o usuário cheque notificações de algumas aplicações sem que seja necessário fazer o desbloqueio do aparelho.

Sobre o Motorola Moto E:

O Moto E é um smartphone que foi apresentado pela Motorola no ano passado, logo após o lançamento do famoso Moto G. Ele foi produzido para o mercado emergente e tinha como objetivo oferecer aos consumidores um aparelho elegante, moderno e que não custasse tão caro. Os primeiros países a receber o smartphone foram os Estados Unidos e a Índia. Na Índia, por sinal, o aparelho fez um tremendo sucesso e teve uma procura semelhante ao do Moto G. Para conhecer um pouco mais sobre o aparelho, acesse o site www.motorola.com.br.

Por Adriano Oliveira


De acordo com produção realizada pela Motorola, o Moto E é considerado um dos melhores smartphones que implica um valor acessível aos consumidores já feito. No Brasil, os interessados poderão adquiri-lo por R$ 529,00. Integrando essa faixa de preço o produto se torna visado.

Apresenta tela maior designada por 4,3 polegadas, o seu processamento é constituído com um dual-core e a câmera corresponde a 5 megapixels, número expressivamente maior que os demais existentes no mercado, que estão pareados a concorrência.

O evento para o lançamento do smartphone Moto E foi realizado em São Paulo, e a empresa propiciou aos consumidores com clareza a sua tática. A Motorola optou pela produção do celular em questão, com a estratégia de motivar aqueles que não se satisfizeram com outro interligado a marcas concorrentes, ou que ainda não obtiveram condições para comprar algum modelo existente no mercado.

Concernente às pessoas que conseguiram adquirir um telefone celular, um grande número designado a 70% possui um feature phone (celular tradicional), que não estabelece uma conexão contínua com a internet, sem acessos a vídeos, redes sociais, aplicativos, entre outros. Foi realizada uma estatística onde houve a comprovação de que 2,1 bilhões de pessoas no mundo nunca tiveram um telefone móvel.

O intuito da companhia é ganhar cada vez mais consumidores, e o produto em contexto foi criado principalmente na tentativa de buscar uma quantidade significativa de compradores para a marca. A construção do objeto foi realizada para que pessoas sem condições reais para usufruir de um celular, tenham a chance de conseguirem incluir em seu cotidiano o uso frequente de uma das maiores ferramentas de trabalho atualmente.

Dois aspectos que foram considerados para exclusão na montagem do smartphone foram a câmera traseira que não inclui flash e não existe em sua composição câmera frontal. Porém, a Motorola afirma que mesmo sem alguns equipamentos que são considerados por outros como essenciais, o telefone propicia um desempenho de alta qualidade.

Por Lorena de Oliveira

Moto E

Foto: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: