Quem possui deficiência auditiva fica limitado na hora de usar um celular para se comunicar. Exceto pelo serviço de SMS, os aparelhos têm pouca serventia.

Para resolver este problema, pesquisadores da Universidade de Washington estão desenvolvendo um aplicativo que permite a realização de vídeo-chamadas com foco no rosto e mãos do usuário, assim a transmissão ficaria mais leve.

O MobileASL ainda está em processo de desenvolvimento, mas segundo os testes realizados, ao focar na região das mãos e rosto, o aplicativo identifica que a pessoa está usando a linguagem dos sinais e consome menos energia. A vantagem do MobileASL é permitir uma comunicação mais rápida e efetiva entre pessoas com problemas de surdez.

Por Camila Porto de Camargo   

Fonte: R7





CONTINUE NAVEGANDO: