Google GlassCom o tempo, muitas tecnologias foram criadas e adotadas com a finalidade de facilitar o cotidiano, como o telefone celular: de um simples aparelho para troca de informações a verdadeiras centrais multimídias, que possibilitam a visualização de fotos e vídeos, acesso à internet, troca de mensagens, edição de áudio e imagens e outras tantas funções, que significaram uma evolução gigantesca em pouco mais de 12 anos, quando tornou-se popular.

Atualmente, mesmo em meio ao lançamento de um novo smatphone a cada semana, certa expectativa é criada em torno do Google Glass, o mais novo projeto da gigante Google. O óculos, segundo informações, permitirá acesso à internet, realização de chamadas e troca de mensagens, acesso a mapas via GPS, assim como os celulares, mas com o diferencial da comodidade acoplada aos óculos. Será como manter o telefone ligado em frente ao usuário enquanto estiver no rosto. 

Mas algo fica no ar: o recurso da realidade aumentada implica em que na sociedade?

Partindo do ponto de vista tecnológico, significa um avanço, pois a maneira como a comunicação é feita pode tomar outros rumos, ainda mais levando em conta as propostas de designs que algumas marcas oferecem, podendo o  usuário se comunicar com o mundo sem perder o estilo.

Do ponto de vista social, a mudança gera certo medo, pois a realidade passará a ser vigiada 24 horas por dia, 7 dias da semana, ininterruptamente. Qualquer conteúdo poderá ser disponibilizado à rede, a qualquer momento, de qualquer lugar. Será preciso agir com maior cuidado nas tomadas de decisão do cotidiano, pois atitudes como furar o semáforo, por exemplo, poderão ser vistas pelo mundo num clique, graças à captura de imagens do Google Glass, aliada à democracia que a internet propicia. Dessa forma, o conceito “sorria, você está sendo filmado” tomará um sentido quase vazio, pois o que antes era novidade, tornar-se-á algo comum, onde todos poderão ser filmados por todos, mudando apenas o ponto de vista ou perspectiva de quem adota o ângulo do receptor da mensagem.

Assim, conceitos antes vistos apenas no cinema serão trazidos ao cotidiano, e logo cairá por terra a frase em que a vida imita a arte.

Por Junior Almeida


O Google revelou as configurações técnicas do seu novo “brinquedinho”, o Google Glass.

Ele conta com display de 640×360 pixels, 16GB de memória flash (12GB utilizáveis), câmera de 5 megapixels, gravação em 720p, Wi-Fi b/g, Bluetooth, e uma bateria que aguenta (segundo o Google) "um dia inteiro de uso típico".

Vejam os detalhes:

  • Câmera: tira fotos de 5 megapixels e filma em 720p;
  • Conectividade: Wi-Fi b/g e Bluetooth;
  • Armazenamento: 12GB de memória flash utilizável, sincronizada com o armazenamento na nuvem do Google. Sendo 16GB no total;
  • Compatibilidade: qualquer celular compatível com Bluetooth. O app "MyGlass" requer um smartphone com Android 4.0.3 (ICS) ou superior. O MyGlass possui funções de GPS e SMS.
  • Bateria: "Um dia inteiro de uso típico";
  • Carregador: carregador e cabo microUSB inclusos;
  • Áudio: tradutor para condução óssea de som. Esta tecnologia emite o som com vibrações que se movem pelo crânio até o nervo auditivo. Assim sendo, em teoria você poderia ouvir claramente enquanto escuta os sons externos.

O app já está disponível na Play Store, mas só funciona nos EUA e só pode ser instalado no Glass.

Quanto aos apps do Glass, eles serão basicamente webapps, usarão HTML e JSON (derivação de JavaScript) para exibir textos, imagens e vídeos. Além disso, o Glass precisará estar com conexão permanente, seja por Wi-Fi ou 3G – usando o Bluetooth do celular.

O preço ainda não foi divulgado.

E então, curtiu o novo Glass? Compraria um? Deixe seu comentário!

Por Atila Felipe





CONTINUE NAVEGANDO: