Mesmo com redução nos preços, internet 4G para smartphones está mais cara, além de problemas com a conexão e a qualidade da cobertura.

Faz pouco mais de dois anos que os brasileiros passaram a contar com a internet 4G nos aparelhos de celular e hoje o número de pessoas com acesso a esta tecnologia é bem maior, porém, a internet 4G está longe de ser popular, pelo contrário, ainda é muito restrita. As operadoras reduziram o preço da internet 4G. Além do alto preço, a conexão e a cobertura são problemas apresentados para justificar o fato de que a grande maioria dos brasileiros ainda não pode fazer uso desta tecnologia.

E até os smartphones que oferecem suporte a tecnologia 4G também já tiveram o preço reduzido, sendo que quando a internet 4G chegou ao Brasil os modelos mais em conta eram vendidos na média de R$ 1.300,00 e hoje podemos encontrar smartphones no valor de R$ 700,00 como o Moto E 4G, que oferece suporte a internet 4G.

Para as operadoras, o custo do serviço também teve o preço reduzido e com isso elas passaram a oferecer uma maior quantidade de planos para clientes que desejam ter acesso à internet 4G. Há pouco mais de 2 anos somente os clientes das operadoras com planos pós-pagos é que podiam ter acesso ao 4G. Atualmente, a internet 4G também está disponível para o plano controle e até para o plano pré, além de ter o preço reduzido para o mesmo patamar da internet 3G.

Mesmo assim, se os valores forem comparados, é possível constatar que de uma forma geral a internet para smartphone está custando mais cara, além dos vários problemas de conexão que são encontrados.
Desde o mês de novembro de 2014 a Vivo passou a oferecer aos seus clientes do plano pré, a internet 4G, porém o valor do pacote mensal já teve aumento e o plano mais simples passou de R$ 9,90 para R$ 14,90.
O plano de internet 4G da Claro, que era de R$ 0,50 subiu para R$ 0,75 por dia, igual ao aumento que teve na TIM. A Oi também elevou o preço de R$ 0,60 por dia para R$ 0,99.

Somente 153 cidades brasileiras estão oferecendo o sinal 4G e mesmo assim, o número de reclamações quanto à péssima qualidade da cobertura só vem aumentando. Menos de 1% dos municípios brasileiros contam com internet 4G em 4 estados brasileiros e somente no Rio de Janeiro é que mais de 10% dos municípios já contam com esta tecnologia. E o cenário para os próximos anos não é nada animador, pois até 2017 menos de mil municípios brasileiros irão receber a internet 4G e mesmo assim, a tendência é que os problemas de conexão tendem a aumentar, à medida que mais usuários chegarem à internet 4G.

Por Russel

Internet em smartphones

Foto: Divulgação


As ações da TIM tiveram alta de impressionantes 14,35% após rumores de que as prestadoras Oi, Vivo e Claro estariam interessadas em adquiri-la e dividir entre si. Os valores chegariam a 15 bilhões de dólares, segundo a Bloomberg.

Antes da informação, os papéis estavam congelados e acabaram o dia com ganhos de 11,30% e 12,89%. Nos Estados Unidos, a American Depositary Receipts, do grupo TIM fechou em 7,5%, depois de chegar a 19% de ganho durante a terça-feira.

Uma possível compra ou mesmo uma parceria já estava sendo divulgada pela Oi, o que justifica sua ausência no leilão para a faixa de 700 mhz para a internet 4G. A transação está sendo auxiliada pelo Banco BTG Pactual, enquanto há a perspectiva que a Telefônica/Vivo entre no negócio após a compra da GVT.

Segundo a agência de notícia, nessa jogada, a Oi ficaria com 25% da TIM e as demais, Vivo e Claro, dividiriam o restante.

Em contrapartida, a TIM negou a possibilidade de negociação para vender a companhia para seus concorrentes. O comunicado foi enviado à Bolsa de São Paulo com a afirmação que se trata de uma notícia antiga, de agosto, em que o banco BTG Pactual foi contratado para avaliar a participação da Telecom Itália junto a filial brasileira da TIM.

A Oi, por sua vez, negocia sua participação na Portugal Telecom com o Grupo Altice, de Luxemburgo.

A Claro afirmou que houve o contato com o BTG Pactual, entretanto as outras envolvidas, TIM e Telefônica, negaram a venda por diversas vezes. Segundo a Telefônica, a operadora passa por um processo para redefinir as relações com a empresa Telecom Itália, a qual possui ações.

Isso porque não há consenso entre os órgãos reguladores brasileiros para que ela controle a Vivo e a TIM, que atualmente são as duas maiores do país. 

Por Ana Rosa Martins Rocha

Foto: divulgação


Quais as principais diferenças entre a internet 3G e 4G? Comecemos pelo nome das redes: a que significa esse G? O que significa o número que aparece antes? Muito fácil: trata-se das gerações às quais pertencem as redes.

A primeira geração, 1G, foi a dos telefones analógicos; 2G a dos digitais. As seguintes gerações são a 3G, a mais utilizada agora, e 4G, a que está começando a ser implementada.

A velocidade é, com certeza, o principal diferencial oferecido (prometido) pela nova rede. A melhor forma para ter uma ideia da diferença entre ambos os tipos de redes é ver com exemplos práticos.

Por exemplo, queremos baixar em nosso celular um jogo de 20MB, qual seria a diferença? A média de download em 4G seria de 25 segundos, perante os 3 minutos que demoraria em uma rede 3G.

E se o vídeo que você quer estiver em alta definição? Aqui as coisas ficam ainda mais sérias: a 4G leva 30 segundos para carregá-lo, mas em uma rede 3G demorará entre 1,5 minuto. E sim, a conexão irá cair e as operadoras não podem simplesmente dizer que oferecem conexão 4G. 

Para uma operadora poder anunciar que dispõe de uma rede 4G, é necessário que os equipamentos que estejam usando o sistema atinjam velocidades de conexão entre 100 Mbps (em alta mobilidade) e 1 Gbps (em curto alcance da antena).

Os valores das tarifas serão também maiores para acessarmos as redes 4G. E outra coisa, as operadoras que oferecerem esse serviço deverão oferecer um mínimo aceitável de velocidade, que foi estipulado em 1mbs. As redes 3G de qualidade dificilmente operam perto disso.

Então, com o mínimo exigido de 1mbs para as redes 4G, o serviço já tende a melhorar muito. Em média, as operadoras anunciam velocidades em torno de 5 Mbps como o esperado de suas redes 4G.

Vamos aguardar 2015 quando novas redes entrarão em funcionamento para ver se tudo o que foi prometido será mesmo cumprido nas redes 4G. Os Smartphones agradecem.

Por Luciana Viturino

Foto: divulgação


Segundo o presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), é possível acelerar a universalização dos serviços de 3G e 4G para a população. O projeto da agência prevê o acesso banda larga para diversas cidades em etapas. A primeira refere-se à tecnologia 3G, que tem meta de ser implementada até 2017, enquanto a 4G até 2019. Afirmou ainda que serão feitos estudos para que o prazo seja encurtado em 1 ou 2 anos para a tecnologia 3G e em 1 ano para a tecnologia 4G. O que representa um avanço para a tecnologia banda larga no Brasil.

Atualmente, o projeto encontra-se sendo elaborado para a realização de um leilão. As prestadoras que vencerem terão de implementar uma rede de fibra ótica e atender as especificações da Anatel.

A agência também quer diminui o número de orelhões e trocar por pontos de Wi-Fi para dar acesso à internet. As prestadoras devem baixar os custos da infraestrutura, pois a frequência de 700 megahertz terá um custo bem acessível. Há mais de 1 milhão de orelhões que estão sendo cada vez menos usados por conta do avanço da telefonia móvel.

A implementação faz parte das negociações para concessões das companhias que serão renovadas nos próximos anos. Em 2014 haverá consulta pública e vale a pena opinar quanto à ação das operadoras.

Por Robson Quirino de Moraes


Muitos consumidores ficam na dúvida na hora de comprar aparelhos que já vêm com o suporte às redes 4G, principalmente de onde já está disponível esse tipo de tecnologia.

O G1 recentemente realizou testes, principalmente nas sedes da Copa das Confederações para saber como anda o funcionamento do 4G aqui no Brasil, veja agora alguns detalhes sobre os testes e onde a rede se encontra mais acessível:

– Em nossa capital federal, Brasília a internet 4G se mostrou até 9 vezes mais rápida que a 3G. Porém, a utilização total e sem problemas está centrada apenas no estádio. Segundo o teste no aeroporto internacional JK a rede ainda encontra alguns problemas.

– Belo Horizonte por sua vez, está um pouco atrasada em relação a essa tecnologia, apenas no Mineirão o uso é satisfatório.

– Em Fortaleza, o melhor local para se usar o 4G, é o aeroporto da cidade, com uma navegação muito boa.

– Salvador possui uma das melhores e mais amplas coberturas, com 4G em vários pontos turísticos, porém em seu estádio, ainda nada foi implantado.

Em São Paulo o 4G não foi testado pelo site, porém, a maioria da cobertura 4G do país está centrada na capital paulistana, o que pode ser uma grande vantagem para quem adquirir aparelhos com a tecnologia na cidade.

Por Henrique Nicolau


A Vivo começou, no dia 30/04, a disponibilizar os planos de telefonia móvel 4G, para os seus usuários localizados nas cidades-sede da Copa das Confederações (Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Fortaleza, Recife e Salvador), e ainda, na cidade de São Paulo.

A operadora ainda promete estender a cobertura 4G para outras três cidades do Estado de São Paulo: Santo André, São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul, até o fim de maio.

O presidente da operadora Vivo, Antônio Carlos Valente, afirmou que, até o final do ano, a tecnologia 4G da Vivo também chegará a Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Manaus (AM), Natal (RN) e Porto Alegre (RS), em conformidade com o cronograma de implantação da Anatel.

A Vivo traz a promessa de que sua tecnologia 4G terá um desempenho até 10x superior do que sua tecnologia 3G. Durante a implementação, a rede 4G da Vivo será interligada com a sua rede 3G Plus, permitindo assim, ao usuário dos planos com tecnologia 4G que, quando estiver em uma área sem a cobertura 4G, possa utilizar a 3G Plus da vivo. 

Por Leni do Vale


O Brasil se prepara para a chegada da quarta geração de telefonia móvel (4G), que foi uma das exigências para a realização da Copa das Confederações.

Segundo os dados levantados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), existem apenas 11 modelos no país que são compatíveis com a nova tecnologia, contra 370 aptos para o 3G de alto desempenho. Mas, companhias como a LG, Sony Mobile, Samsung e BlackBerry se adiantam e anunciam o lançamento de novos aparelhos com suporte 4G nos próximos meses.

Com dois dispositivos da quarta geração já homologados pela Anatel no Brasil, a LG lançará ainda nas próximas semanas o Optimus G, produzido no Brasil. Também é previsto a estreia de mais dois ou três modelos compatíveis com a nova tecnologia.

A Sony Mobile, por sua vez, tem o Xperia ZQ em fase de pré-venda e programa a chegada de mais um aparelho.

A maior fabricante de smartphones do mundo, Samsung, possui quatro modelos já homologados e promete que no segundo semestre do ano ainda mais dispositivos serão lançados.

Por último, a BlackBerry pretende colocar no mercado mais dois aparelhos 4G além dos divulgados  Z10 e Q1.

Por Davi Pizelli


Para quem não sabe, 4G representa a quarta geração de internet da telefonia móvel. É bastante similar a nossa já conhecida tecnologia 3G, com o diferencial de que é totalmente baseada em IP o que para o usuário na prática representa uma velocidade que vai de 100Mbps em movimento e até 5Gbps em repouso. O 3G ainda domina esse mercado, mais será por pouco tempo, segundo estimativas recentemente divulgadas.

Essa sonhada velocidade, muito superior aquela que os usuários estão acostumados, ainda é privilégio de pouquíssimas regiões no país, e uma série de entraves técnicos e burocráticos típicos do Brasil tem tornado essa expansão muito lenta. O fato de ela possibilitar grande aumento de cobertura com um investimento muito menor e a iminência da Copa do Mundo de futebol no Brasil fez com que uma série de esforços fosse direcionada para expansão desta rede. 

No mundo todo estima-se que esse ano o tráfego de dados através da tecnologia 4G subirá 207%. No Brasil, até o final deste ano, todas as cidades que servirão de sede para jogos da Copa do Mundo de 2014 terão essa cobertura.

Por Bruno Hardt


Nesta última semana, o governo holandês realizou um leilão para a concessão de licença para conexão em redes 4G.

O leilão obteve um valor recorde de 3,8 bilhões de euros e irá causar uma grande competição no mercado de celulares neste país.

No seu final, foram adquiridas licenças pelas empresas Vidafone, Deutsche Telekom e KPN.

Devido ao elevado valor para as licenças obtido no leilão, a KPN informou que irá cortar o seu dividendo final neste ano além de reduzir o valor dos dividendos por ação para 0,03 euro.

Todas estas medidas foram feitas para que a empresa pudesse comprar suas licenças para conexão 4G, mas os analistas temem pela capacidade da KPN para pagar seus dividendos já que está assumindo uma dívida maior do que suas metas de lucros.

Fonte: Reuters

Por Ana Camila Neves Morais


Nesta quinta-feira – dia 13 de dezembro de 2012 – a Claro apresentou oficialmente o início do serviço de telefonia com a tecnologia 4G.

O lançamento foi feito na cidade de Recife por ser uma das cidades que irão sediar a Copa das Confederações em 2013 e pela grande quantidade de clientes da empresa no local.

A telefonia 4G oferece uma velocidade de conexão até 10 vezes mais rápida do que a 3G e para oferecer este serviço foram instaladas 49 antenas em Recife para a cobertura de 80% da população residente

Ainda segundo a Claro a meta é distribuir o serviço até abril de 2013 para as cidades do Rio de Janeiro, Fortaleza, Brasília, Salvador e Belo Horizonte.

Fonte: Valor Online

Por Ana Camila Neves Morais


A primeira grande competição a acontecer no Brasil será a Copa das Confederações já durante o ano de 2013 e para garantir o seu bom andamento a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) irá realizar uma avaliação completa com relação à rede de conexão 4G no país.

Para isso, o órgão irá avaliar todos os dados relacionados à cobertura e transmissão desta rede e tem como objetivo a cobrança das operadoras de telefonia móvel para melhorar os seus serviços.

Esta avaliação se justifica porque, segundo a Anatel, o serviços de dados no país está muito abaixo do que as determinações legais com a exigência de que 98 em cada 100 conexões devem funcionar.

Além da qualidade na conexão, as empresas de telefonia serão cobradas com relação ao valor das tarifas para interconexão as quais devem chegar a R$0,16 em 2015 e a uma diminuição na cobrança para serviços de roaming nacional e internacional.

Fonte: Agência Brasil

Por Ana Camila Neves Morais


Em uma busca constante para aumentar a sua participação no mercado de informática, a Firefox lançou uma versão “light” de seu navegador para internet.

Esta versão é específica para smartphones com o sistema operacional Android e tem como grande novidade a possibilidade de ser usado em aparelhos mais simples e modestos com relação a tecnologias.

Com a nova interface, é possível utilizar o Mozilla em aparelhos com processadores ARM v6 de 800 MHZ e memória RAM de 512 MB.

A partir destas alterações será possível usar o navegador em aparelhos como o LG Optimus Q, o Samsung Galaxy Ace e o Motorola Fire XT.

Fonte: Android Central

Por Ana Camila Neves Morais


Mais um recorde no mundo da tecnologia foi quebrado na China, pois o smartphone Vivo X1 alcançou o posto de telefone mais fino do mundo.

O Vivo X1 foi lançado no dia 21 de novembro de 2012 possuindo 6,55 milímetros de espessura, sistema operacional Android 4.1 Jelly Bean, tela com 4,7 polegadas, câmera com resolução de 8 megapixels, processador do tipo duial-core e 1 GB de memória RAM para armazenamento.

Fonte: GSMinsider.com

 

O novo smartphone mais fino do mundo já está à venda na China com valores de aproximadamente R$800,00, mas não tem previsão do seu lançamento em outros países.

Por Ana Camila Neves Morais


Mais uma atualização está chegando no mundo da tecnologia, pois a Microsoft anunciou que irá realizar um aprimoramento no Windows Phone 8.

Segundo o site The Verge, o update do Qindows Phone 8 – com o nome de Apollo Plus – irá adicionar diversos recursos como aprimoramentos no Wi-Fi, suporte a VPN e correções de bugs no sistema operacional móvel da empresa.

Esta atualização em tão pouco tempo depois do seu lançamento – o Windows Phone 8 foi apresentado há cerca de 2 meses – é motivado pela não inserção antes de sua liberação para o mercado de recursos no sistema operacional.

Além das melhorias mostradas, o update Apollo Plus permitirá que atualizações sejam feitas diretamente do aparelho móvel, um melhor sistema de áudio além de melhorias no desempenho das suas conexões a internet.

O Apollo Plus deve ser apresentado de forma oficial pela Microsoft em Fevereiro de 2013 durante a MWC que é um grande evento do ramo de tecnologia.

Fonte: The Verge

Por Ana Camila Neves Morais


A HTC anunciou neste mês de setembro o lançamento do modelo Raider 4G. O aparelho é capaz de suportar as redes 3G e LTE, atingindo velocidades de até 50 MB para upload e 100 MB para upload.

O smartphone apresenta sistema operacional Android 2.3, processador dual-core de 1.5 GHZ, tela de 4.5 polegadas ( resolução de 540×960 pixels), Memória RAM de 1 GB, Memória Interna de 16 GB, Câmera de 8 Megapixels (com Flash LED), câmera frontal de 1.3 Megapixels e conexões Wi-Fi e Bluetooth.

O HTC Raider 4G deve ser lançado primeiramente no mercado coreano, depois deve chegar a Europa. Com relação ao seu lançamento no Brasil, ele não deve acontecer muito cedo, isso porque o país ainda não possui a rede 4G.

O seu preço ainda não foi estipulado pela fabricante.

Confira no vídeo o aparelho em funcionamento:


As redes de telefonia 4G já são uma realidade no exterior. Entretanto, o Brasil ainda não possui suporte a este tipo de rede. Para que o país não faça feio diante dos milhares de estrangeiros que devem desembarcar por aqui durante a Copa do Mundo de 2014, a ANATEL pretende antecipar o leilão dessas licenças.

Apesar de empolgante para alguns fabricantes de celular, a notícia pode complicar algumas coisas para as operadoras que ainda não terminaram de investir na rede 3G. Por isso, é preciso tomar alguns cuidados para que não aconteçam lacunas e problemas de infraestrutura durante a transição de uma tecnologia para outra.

A rede 4G opera na frequência de 2,5 GHz, o que resulta em uma capacidade de transferência dados cinco vezes maior do que a rede 3G operante no Brasil neste momento.

Por Luísa Barwinski


Se você já testou a tecnologia 3G, deve estar fazendo essa pergunta ao saber do lançamento da 4G.

Os celulares 3G mostraram-se um tanto problemáticos, baixa velocidade e preços extremamente altos. O 4G promete velocidades de transmissão superiores aos celulares 3G, entre 20 e 40 megabits e além disso prometem tornar a transmissão de dados mais barata.

No Japão o 4G já é usado desde 2007. Vejamos se será bem sucedida por aqui também.

Por Vivian Aguiar





CONTINUE NAVEGANDO: