WhatsApp deixa rastros das conversas do usuário



  

Segundo um especialista em segurança digital do iOS afirmou que o WhatsApp deixa um rastro total das conversas do usuário.

Recentemente Jonathan Zdziarski, especialista em segurança digital do iOS fez um comentário que provocou uma boa repercussão. O motivo é mais do que claro: Qualquer coisa que envolva o app que tem mais de 1 bilhão de usuários ativos é motivo de atenção. Mas vamos ao que interessa.

De acordo com ele apesar de uma gama que parece infinita de especialistas afirmar com toda a certeza de que a criptografia no WhatsApp funciona de fato ele vai na contramão e diz que a versão mais recente do mais famoso aplicativo de mensagens deixa um rastro total das conversas do usuário. E isso mesmo depois de apagá-las, limpar ou arquivar.

De acordo com ele, mesmo que o usuário opte por apagar todas as conversas, ao que parece a única forma disso acontecer de verdade seria apagando o app!

Não é novidade para ninguém que a questão da privacidade é um fundamento básico de serviços de mensagens a exemplo do WhatsApp. Até pouco tempo atrás o aplicativo era tido como o mais seguro de seu “setor”.

No mês de abril, o WhatsApp decidiu introduzir no sistema do serviço algumas mudanças bem depois que o FBI havia solicitado a Apple o acesso ou melhor o “como desbloquear” um iPhone para um caso em andamento.

Na época em que houve a implantação da tecnologia de criptografia a empresa chegou a se pronunciar publicamente afirmando que tinha o orgulho de terem conseguido criar algo que colocava o WhatApp como líder na questão de proteção a comunicação dos usuários.

Os usuários até começaram a receber mensagens dizendo que nem o próprio app tinha o “poder” de ler as mensagens deles.





Mas eis que surge Zdziarski na história e as pessoas começaram a questionar se de fato a tão falada segurança na criptografia era de fato verdade ou não passava de um mito no WhatsApp.

Pelo sim ou pelo não até agora ninguém que represente o app se manifestou sobre os comentários do especialista.

Zdziarski ainda cita os dados de sua pesquisa feita em iPhones. De acordo com ele o registro não é apagado ou eliminado por completo da base de dados do app. O que quer dizer que os rastros permanecem.

Em outras palavras é o mesmo que dizer que tudo poderia ser restaurado e reconstruído até sua forma original.

Bom… isso é algo para se pensar…

Por Denisson Soares

Conversas no WhatsApp



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *