Google pagou US$ 1 bi para ser o buscador padrão do Safari



  

O pagamento foi feito à Apple para manter a barra de busca do Google como padrão nos dispositivos com iOS.

Nos dispositivos móveis, Google e Apple são rivais de mercado. O Google, com o Android, hoje, o sistema operacional Mobile mais utilizado do mundo, e a Apple, com o iOS, que concorre diretamente com os smartphones com o Android, com o diferencial de somente a Apple poder produzir aparelhos com o iOS, o que não acontece no Android, por ser um SO livre (Linux).

Porém, a ferrenha concorrência que ambas as empresas enfrentam no mercado, não as inibem de fazer negócios juntas, ao menos, algo parecido com isso. O Youtube, que pertence ao Google, está presente no iOS, o Google é o buscador padrão do Safari e US$ 1 bilhão saíram dos cofres do Google para a Apple.

O motivo? O pagamento foi feito para manter a barra de busca da empresa de Mountain View como padrão nos dispositivos com o iOS. O pagamento foi descoberto graças a um processo de 6 anos atrás, em 2010, da empresa Oracle contra o Google, que foi revelado recentemente pela Bloomberg.

Ao que parece, ambas as empresas gostariam que tal informação fosse mantida em sigilo, ainda mais pelo fato de no passado, o atual CEO da empresa da maçã, Tim Cook, ter duramente criticado o serviço de propagandas do Google em sua plataforma de pesquisas.

A decisão do Google em pagar para a Apple manter sua barra de pesquisa nos dispositivos com iOS, gerou polêmica na rede, não só pelo alto valor pago, mas também por muitos estarem acusando o Google de concorrência desleal, por estar pagando para usarem seu serviço.





Certo ou errado, é fato que muitas das grandes empresas fazem negócios ''debaixo do tapete'', para não ocorrer vazamentos como esse na mídia, que acabam por gerar polêmica.

Não se sabe até quando, tal valor pago é válido para o Google manter a preferência por sua barra de pesquisas ou mesmo os detalhes de tal contrato entre as duas empresas.

Por Isis Genari

Buscador do Google

Foto: Divulgação



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *