Mercado dividido quanto à tecnologia 4K




A tecnologia 4K está ficando cada vez mais próxima de nós, com televisões e cinemas já adaptados à imagem Ultra HD, formato utilizado na cobertura da Copa do Mundo deste ano.

A gravação de vídeos em 4K também já chegou ao mercado, e modelos como o Galaxy S5 e o Xperia Z2 realizam o sonho dos aspirantes a Hollywood. O próximo passo é fazer com que os smartphones também sejam capazes de reproduzir materiais neste formato, e a Samsung já percebeu a importância desta novidade no mercado de celulares.


A gigante sul-coreana tem planos de lançar, em 2015, modelos capazes não apenas de produzir, mas também de reproduzir vídeos nesta configuração, fato que acaba dividindo opiniões.

Por um lado, a impressionante qualidade de imagem transforma filmes, fotos, vídeos e jogos em uma experiência quase surreal, quando comparamos o desempenho dos displays 4K com os já tradicionais HD. Por outro, os usuários discutem se realmente vale a pena investir tanto em uma tecnologia avançada enquanto os modelos anteriores ainda têm muito potencial para ser explorado.

A maior definição na tela também traz duas novas preocupações: a duração da bateria e o preço dos novos modelos. Apesar do Ultra HD ter um quê de mágico, muitos se perguntam se esta é, realmente, uma prioridade para o mercado, quando ainda há outras áreas, mais essenciais, a serem melhoradas.


O futuro das baterias, por exemplo, é um assunto muito questionado em fóruns e seções de comentários em sites e blogs de tecnologia, onde usuários costumam questionar sobre lançamento de modelos que realmente deem conta da demanda de energia necessária para manter as novas tecnologias funcionando por mais tempo.

O preço das novidades também é ponto de preocupação para os futuros clientes, que, em sua maioria, não estão dispostos a gastar fortunas em um aparelho que não traz tantas mudanças.

O questionamento fica para as gigantes do mercado de smartphones: já estamos prontos para o 4K?

Por Cássio Coutinho Bogdan

Foto: divulgação



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *