Microsoft pretende desenvolver smartphone com bateria durável



  

Sabe aquela coisa chata de estar na rua, em uma fila ou aguardando um amigo e enquanto isso você fica freneticamente mexendo em seu celular bisbilhotando as redes sociais para fazer o tempo passar, mas aí de repente seu celular descarrega a bateria e te deixa a ver navios?

Acredito que isso já tenha acontecido em algum momento com todos nós e é mesmo uma situação chata, pois dá a sensação de que estamos com pés e mãos atados sem saber o que está acontecendo ao nosso redor.

Pois é, a Microsoft, entretanto, parece ser a empresa a se esmerar em resolver esse nosso pequeno-grande problema criando baterias que durariam uma semana. Isso já era visto antigamente em aparelhos celulares, quando a onda dos aplicativos e o acesso à internet ainda não havia tomado conta dos nossos dispositivos móveis. Hoje em dia damos pulos de alegria e fazermos a maior propaganda quando nossos smartphones sobrevivem a um dia inteiro sem precisar ir para o carregador.

Segundo a Microsoft, entretanto, essa deficiência na durabilidade das baterias tem como culpado em boa parte, os fabricantes de aparelhos que não trabalham no desenvolvimento de hardware e softwares que consigam gerir de forma eficaz o consumo de bateria de nossos aparelhos.

Em virtude de seu posicionamento quanto a esse fato, a Microsoft também anunciou que está trabalhando para desenvolver seu primeiro aparelho que terá capacidade de duração de bateria por cerca de uma semana. Para isso a empresa usaria um sistema chamado de E-Loupe que seria responsável por um rastreamento do aparelho, a fim de identificar algum app que por ventura estivesse usando bateria de forma desordeira e trabalharia na diminuição deste gasto de energia.

Outra proposta da empresa seria também a troca de uma bateria grande, por duas baterias menores. Sendo que uma delas trabalharia na maior geração de corrente que seria ativa quando fosse demandada maior necessidade de consumo, como no caso de o usuário utilizar o celular para jogos, por exemplo. Já a outra bateria atuaria nos momentos em que o aparelho demandasse menor corrente, a exemplo de quando o telefone está inativo.





A empresa ainda está em fase de pesquisa sobre qual seria a alternativa mais viável, mas já podemos esperar que novidades surjam por aí.

Por Jaime Pargan

Bateria de celulares

Foto: Divulgação



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *