Samsung pretende lançar smartphones com o sistema operacional Tizen



  

A Samsung especificada como a companhia sul-coreana de eletrônica, inicia a sua independência em relação ao Google com a amostragem no mês de junho referente ao seu novo smartphone, que é integrado com um sistema operacional próprio, denominado Tizen.

A nova produção busca adquirir uma maior porcentagem do mercado potencial que inclui aparelhos eletrônicos que possuem ativação e desempenho de modo interconectado.

Concernente ao Samsung Z, implica um divisor de águas interligado a maioria dos dispositivos que advém de um grande fabricante mundial responsável pela produção de smartphones, que eram executados até o momento com o sistema operacional do Google, referenciado como Android, sistema expressivamente conhecido por todos que utilizam o produto em contexto.

A exibição foi realizada ao decorrer de uma conferência composta por desenvolvedores de aplicativos direcionados ao Tizen. A reunião aconteceu em São Francisco, próxima a outra conferência que foi especificamente realizada por uma das maiores concorrentes, nomeada Apple.

Durante o agrupamento, a Samsung não estabeleceu o Tizen apenas como uma plataforma para telefones, mas também para uma série relacionada a dispositivos conectados que futuramente podem formar comunicação, dando origem aos eletrodomésticos, fechaduras das portas, e até relógios.

Além da apresentação feita para o novo smartphone, a companhia aproveitou a oportunidade à frente de pessoas importantes ao mercado, para exibir câmeras de fotos Tizen-Android e um arquétipo de televisão que se interliga a teores online usando o novo sistema operacional.





De acordo com informações propostas pelo vice-presidente executivo da Samsung, Jong-Deok Choi, o intuito deste projeto é a progressão relacionada a serviços direcionados para a internet.

A Samsung contribuiu com a norte-americana Intel para produção de desempenho e desenvolvimento da plataforma Tizen, que implica como base o sistema Linux, ou seja, sistema “livre”, o que sugere aos fabricantes a realização de mudanças e requerimento de adaptações em sua interface.

Por Lorena de Oliveira

Samsung Z

Foto: Divulgação



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *